Archive for Fevereiro, 2008

Falemos então de desporto: Vou-te bater, outra vez!

Fevereiro 25, 2008

Miguel Pereira*

Na jornada 19 da Bwin Liga, assistimos a cenas lamentáveis no final do jogo em que o Nacional venceu o Vitória de Guimarães, por 1-0, no Estádio da Madeira. O técnico alvi-negro, Pedrag Jokanovic, teve uma paragem mental e quis tirar satisfações com o técnico adversário, Manuel Cajuda. Depois de ver as imagens – que muitos dos leitores com certeza também viram –, tenho pouco acrescentar.

Pelo que parece, no jogo da primeira volta, Manuel Cajuda terá dito a Jokanovic:”Vou-te partir a cara”. Algo que me custa, sinceramente, a acreditar. O técnico vimaranense é aquilo a que podemos chamar um “gentleman” do futebol. Uma pessoa extremamente calma e pacífica. Para alguém que já acompanha o desporto rei há vários anos, custa a acreditar que o Manuel Cajuda tenha dito algo do género.

E mesmo que tenha dito, será esta a forma correcta de resolver as coisas? Óbvio que não. Jokanovic podia chegar ao pé de Cajuda e dizer: “Então sempre me faz partir a cara?” Discretamente, sem chamar a atenção das câmaras; assim evitava um castigo de, por enquanto, 45 dias.

Contudo, há que realçar que esta reacção do treinador sérvio poderia ter acontecido no final do jogo da primeira volta, ou então há pouco mais de um mês, aquando de um encontro entre as duas equipas para a Taça de Portugal. Mas não: Jokanovic quis responder às alegadas ameaças de Cajuda no seu reduto – onde pelos vistos foi ajudado pela polícia – e numa situação em que saísse vencedor. Porém, esta cena é profundamente lamentável e não dignifica o futebol português.

Mais lamentável ainda é o suposto envolvimento do corpo da PSP presente no Estádio da Madeira, que se envolveu na confusão, não com o intuito de acalmar os ânimos, mas sim para se juntar à festa e, ainda mais grave, do lado do agressor. Uma prova disso poderá as marcas no pescoço do jogador vimaranense Radonovic.

Esta aparente colaboração dos corpos policiais, contudo, é algo que me causa alguma estranheza. Como adepto do Marítimo, estou habituado frequentar o Estádio dos Barreiros, onde a segurança sempre foi exemplar. Recordo-me de situações de tentativas de agressão a jogadores adversários em que os corpos policiais agiram prontamente. Só não percebo é por que não procederam da mesma forma neste jogo.

Pedrag Jokanovic errou e terá de pagar pelo seu erro. Não podemos comparar, no entanto, esta situação com o caso Scolari, pois as diferenças são bem evidentes: Scolari foi defender um dos seus atletas, algo que foi comprovado no relatório do árbitro, enquanto que Jokanovic quis resolver da pior forma supostas desavenças antigas.

A avaliação deste caso poderá vista num prisma muito simples: Manuel Cajuda sempre demonstrou ser um profissional calmo e sereno, enquanto Jokanovic, quando representou o União, Marítimo e Nacional, como jogador, foi sempre um excelente profissional, mas com pouca calma, pouca serenidade e sobretudo com muita … impulsividade.

*Editor de Desporto

Anúncios

Pedro Figueiredo triunfa no Campeonato Internacional de Portugal

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira

O golfista português Pedro Figueiredo conquistou o 78º Campeonato Internacional de Portugal, que se disputou no Estrela Golf Club, na Póvoa de Varzim.

header_pedro_figueiredo.jpg

Pedro Figueiredo, de apenas 16 anos, alcançou a sua primeira vitória numa competição internacional, concluindo a prova com um total de 282 pancadas, seis abaixo do par (72), levando a melhor perante o francês Edoard Dubois e o inglês Dale Whitnell, segundo e terceiro classificados, respectivamente.

O outro luso em prova, Tiago Rodrigues, terminou a competição no 44º, com 309 pancadas, 21 acima do par.

Fonte: A Bola

Stijn Devolder vence Volta ao Algarve

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira

O ciclista belga Stijn Devolder, da equipa Quickstep, foi o vencedor da 34ª Volta ao Algarve em bicicleta, embora a última etapa tivesse sido ganha pelo austríaco Bernhard Eisel, da High Road.

A vitória no contra-relógio acabou por dar a vitória ao belga, que fez o tempo total 19:42.59 horas na prova algarvia, seguido pelo francês Sylvain Chavanel.

1183307942.jpg

Geral individual:
1.º Stijn Devolder, Bel (QuickStep) 19:42.59 horas
2.º Sylvain Chavanel, Fra (Cofidis) a 22 segundos
3.º Tomas Vaitkus, Lit (Astana) a 32
4.º Hector Guerra, Esp (Liberty) a 33
5.º Martin Garrido, Arg (P. Tavira) a 01.03 minutos
6.º Jurgen Roelandts, Bel (Silence Lotto) a 01.05
7.º Pedro Romero, Esp (LA MSS) a 01.06
8.º Andreas Kloden, Ale (Astana) a 01.07
9.º Ruben Plaza, Esp (Benfica) a 01.13
10.º Markus Fothen, Ale (Gerolsteiner) a 01.18

Geral por equipas:
1.º Astana, 59:12.54 horas
2.º Palmeiras Resort Tavira, a 18 segundos
3.º Cofidis, a 01.03 minutos
4.º Quick Step, a 01.14
5.º Liberty, a 01.51

Pontos:
1.º Robert Forster, Ale (Gerolsteiner) 70 pontos
2.º Tomas Vaitkus, Lit (Astana) 45
3.º Bernhard Eisel, Aut (High Road) 33

Montanha:
1.º Krasimir Vasilev, Bul (Palmeiras Resort Tavira) 26 pontos
2.º António Cosme, Esp (Boavista) 19
3.º Celestino Pinho, Por (Barbot) 11

Combinado:
1.º Staf Scheirlinckx, Bel (Cofidis) 45 pontos
2.º Constantino Zaballa, Esp (LA MSS) 50
3.º Celestino Pinho, Por (Barbot) 54

Fonte: A Bola

João Neto qualifica-se para Pequim

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira

João Neto é o primeiro judoca masculino português a conseguir o apuramento para os Jogos Olímpicos de Pequim, que se disputam este ano. O atleta conquistou a medalha de bronze no Super A de Hamburgo.

“ [O João Neto] fez uma prova brilhante. Venceu todos os adversários europeus e só foi travado pelo sul-coreano, vencedor da prova”, comentou o responsável pelo Judo de alta competição em Portugal, Luís Monteiro.

joao-neto.jpg

O judoca do ACM de Coimbra/Torres Novas já garantiu a precisa nos Jogos Olímpicos, não precisando de esperar pelas dariam pontos para a qualificação: Taça do Mundo de Praga, a 01 e 02 de Março, e o Europeu de Lisboa, em Abril. Luís Monteiro já confirmou que o atleta não irá participar na competição de Praga, mas que irá marcar presença nos europeus de Lisboa.

Em relação aos restantes portugueses em prova, João Pina foi nono, Renato Queirós foi sétimo, a luso-cubana Yahima Ramirez foi nona, e Ana Hormigo foi sétima.

Até ao momento, Telma Monteiro e João Neto são os únicos portugueses que garantiram presença em Pequim, sendo que João Pina e Ana Hormigo estão em boa posição para também estarem nos próximos Jogos Olímpicos.

Fonte: Lusa, Infordesporto

Taça UEFA: 16-avos-de-final (segunda-mão)

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira e Filipa Lopes

Os dezasseis-avos-de-final da Taça UEFA reservaram algumas surpresas e jogos emocionantes. Salta logo à vista a eliminação de um dos candidatos à vitória na prova, o Atlético de Madrid, diante do Bolton. A sorte também não acompanhou a equipa treinada por José Peseiro, que acabou por ser eliminada nos últimos minutos.

No que diz respeito aos representantes lusos, os rivais de Lisboa, o Sporting em forma de treino e o Benfica com muito sofrimento, seguiram em frente. O Braga, porém, não se conseguiu impor perante o colosso Werder Bremen.

imagens_107442.jpg

Basileia 0 – Sporting 3 (0-2)

Sem espinhas. Se já no jogo em Alvalade o Sporting havia revelado uma clara superioridade em relação aos suiços, o domínio que exerceu em Basileia na passada 5ª feira não deixou margem para dúvidas: uma vitória por 3-0, a juntar-se aos golos de Vukcevic na 1ª mão e o Sporting a findar a eliminatória com um score de 5 golos marcados,0 golos sofridos e o Bolton definido como próximo adversário leonino na Taça UEFA.

E o Sporting começou o jogo a abrir: Passavam 2 minutos do apito inicial do árbitro quando João Moutinho, com um passe de trivela, rasgou autenticamente a defesa helvética e colocou a bola nos pés de Pereirinha. O jovem sportinguista rematou forte, colocado, e colocou também fim às esperanças de Carlitos e seus pares. A verdade é que, com um golo tão cedo, o Sporting desmoralizou completamente o adversário, reduziu aos mínimos as suas hipóteses de dar a volta a um resultado negativo e partiu para uma exibição de grande nível, a exemplo do que já tinha acontecido uma semana antes em sua casa.

Mas é injusto não dizer que o Basileia, ainda assim, poderia ter marcado por diversas ocasiões. E só não o fez porque um grande Rui Patrício se assumiu definitivamente na baliza, com um punhado de intervenções de alto nível a segurar o 0 com que o Sporting chegou ao fim da eliminatória.

Mas os suiços eram fracos… fraquinhos. Carlitos, que na voz de Christian Gross, treinador do Basileia, «tentou jogar demais», é mesmo o abono de família da equipa, e o Sporting construíu com naturalidade um resultado que poderia ter sido ainda mais avultado: Liedson, à passagem do minuto 41, conta com o precioso auxílio do defesa Marque para se isolar e fazer um chapéu a Crayton, o mesmo Crayton que já na 2ª parte, aos 51 minutos, faz defesa incompleta a remate de Pereirinha e coloca a bola nos pés do Levezinho. E já se sabe que Liedson, nestas ocasiões, raramente falha. Recarga, golo, e alcançada a goleada.

A história do encontro acaba aqui. O Sporting venceu bem e continua merecidamente em prova na UEFA, a enfrentar o Bolton em Inglaterra no próximo dia 6 de Março.

imagens_107441.jpg

Nuremberga 2 – Benfica 2 (0-1)

Um golo obtido ao minuto 90, marcado por Óscar Cardozo, vindo do banco minutos antes, permitiu ao Benfica a continuidade na UEFA, após ter estado em desvantagem na eliminatória. O 1-0 trazido de Lisboa revelava-se insuficiente às mãos dos letais alemães, que aproveitaram os erros da defesa benfiquista para marcar os dois golos que quase lhes permitiam eliminar uma equipa que, embora não o tenha provado, é em muito superior ao Nuremberga.

E é por aqui que se pode começar a avaliar o jogo da águia: Com um golo falhado logo aos 3 minutos por Máxi Pereira (completamente alheado do jogo e muito pouco concentrado, diga-se) o Benfica até controlou o jogo na primeira meia hora, mas os atletas benfiquistas contrariavam o discurso de Camacho: Quim perdia o máximo tempo possível nas reposições de bola e essa apatia começou a contagiar os colegas, sem chama nem vontade.

Ainda antes do intervalo, Charisteas, carrasco luso no Euro’2004, falhou um golo certo e pouco depois Saenko viu Quim negar-lhe o golo com uma excelente intervenção.

Mas o pior viria depois. Ao intervalo, Rui Costa e Petit protagonizaram um aceso diálogo e até Makukula se revelava extremamente insatisfeito com a prestação encarnada. Mas de nada serviram as conversas. A verdade é que regressados da cabine, os jogadores do Benfica não alteraram em nada a postura e viram Charisteas, primeiro, isolar-se e marcar o golo que empatava a eliminatória, para logo a seguir Luís Filipe perder a bola em zona proibida e permitir a Saenko fazer o golo da reviravolta.

E Camacho mexeu. Fez entrar Cardozo e Dí Maria e foi abençoado pela estrelinha da sorte: Quando certamente já a maioria dos benfiquistas dava a eliminatória como certa, o paraguaio reduziu para 2-1 e devolveu o sonho ao Benfica. Com os alemães desesperadamente à procura de novo golo, Dí Maria até fez o golo do empate, fruto dos espaços dados pelo Nuremberga. «Foi o empate da superação», disse Léo no final do jogo. Foi o empate escusado, dada a diferença de qualidade entre as duas equipas.

A passagem consumou-se e o Benfica enfrenta agora o Getafe de Laudrup. Mas será preciso uma atitude diferente da apresentada frente ao Nuremberga para os encarnados ultrapassarem mais esta barreira rumo a Manchester com que tanto sonham.

662636_biglandscape.jpg

Sp. Braga 0 – Werder Bremen 1 (0-3)

O Sporting de Braga despediu-se das competições europeias, como de resto já se previa, ao ser derrotado, no conjunto das duas eliminatórias dos 16 avos-de-final, por 4-0. E a verdade é que os arsenalistas só se podem queixar de si próprios: ao desperdiçarem duas grandes penalidades na Alemanha, hipotecaram quase completamente as hipóteses de reverter o jogo nesta 2ª mão, realizada em Braga na última quinta-feira.

Mas, ainda assim, os bracarenses não desistiram e entraram no Estádio AXA motivados para marcarem, pelo menos, um golo. E procuraram-no. Nos primeiros 15 minutos, primeiro num cabeceamento de Paulo Jorge e depois num remate de Wender ao poste esquerdo, o Braga esteve perto de marcar. Pouco depois, o extremo brasileiro voltou a estar perto de festejar, à passagem do minuto 19, desta feita num desvio de cabeça que falhou por pouco o alvo. Aos 34 minutos, Hugo Almeida, num disparo fortíssimo, acertou em cheio na barra da baliza de Kieszek, e a partir deste momento, o Braga começou a perder força, e numa segunda parte sem grandes motivos de interesse – registe-se contudo a entrada de Matheus ao intervalo, que conferiu outra vivacidade e magia ao ataque bracarense – o Werder Bremen acabaria por encerrar de vez a questão, com Klasnic, isolado por um passe em profundidade, a colocar o esférico no fundo da baliza do guarda-redes polaco do Sp. Braga. Acabou aqui o sonho bracarense, que deve ainda assim orgulhar-se de nunca ter desistido pese embora todos os dessem como derrotados logo à partida.

662265_biglandscape.jpg

Bayern Munique 5-1 Aberdeen (2-2)

O Bayern Munique, um dos grandes favoritos a vencer a prova, respondeu da melhor forma a todos aqueles que criticaram o empate da primeira-mão. Apenas 12 minutos decorridos e Lúcio colocava os “bávaros” a vencer. Ainda antes do intervalo foi a vez de Van Buyten aumentar a contagem.

No segundo tempo, Podolski marcou por dois vezes, aos 71 e aos 77. Os escoceses ainda marcaram um tento de honra, por intermédio de Lovell, mas antes do fim Van Bommel fechava o resultado final em 5-1.

662594_biglandscape.jpg

Getafe 3-0 AEK Atenas (1-1)

Um jogo de particular interesse para o futebol português, nomeadamente para o Benfica, que disputará a os oitavos-de-final com o Getafe, vencedor desta eliminatória.

Após um empate a uma bola em Atenas, foram os espanhóis que entraram mais decididos a vencer o jogo. Porém, o jogo só chegaria no final da primeira parte, com Granero, ao segundo poste, a corresponder a melhor forma a um cruzamento de Contra.

Embora estivesse em desvantagem, a equipa grega, onde actuam os portugueses Geraldo e Manu – que não jogaram –, não conseguiu impor o seu jogo, permitindo ao Getafe dominar o encontro. Desse domínio, acabariam por surgir mais dois perto do final, através Contra, de grande penalidade, e de Braulio.

662522_biglandscape.jpg

Atlético de Madrid 0-0 Bolton (0-1)

Uma das surpresas da ronda. Apesar da derrota na primeira-mão pela margem mínima, todos esperavam que os “colchoneros” conseguissem anular a desvantagem no Vicente Caldéron.

Isso, contudo, não aconteceu, muito graças a boa estrutura defensiva por parte da equipa britânica, onde milita o português Ricardo Vaz Tê (não saiu do banco). A equipa de capital espanhola, que jogou sem Simão e Zé Castro, pode queixar, porém, da sorte e dos inúmeros golos falhados.

O Bolton foi mais feliz e será o próximo adversário do Sporting nos oitavos-de-final.

662675_biglandscape.jpg

Vilarreal – Zenit 2-1 (0-1)

Mais um resultado surpreendente: o Vilarreal foi incapaz de anular a derrota sofrida na Rússia, muito por culpa de Pogrebnyak, que colocou os russos a vencer no El Madrigal.

Os espanhóis, que precisavam de três golos para inverter a eliminatória a seu favor, pressionaram, mas o tento do empate só chegaria a quinze minutos do final, por intermédio de Guille Franco. Já sobre o apito final, o dinamarquês Tomasson marcava o tento da vitória para o Vilarreal, que, todavia, era insuficiente para continuar na prova.

662166_biglandscape.jpg

Bayern Leverkusen 5-1 Galatasaray (0-0)

Depois do nulo verificado na primeira mão, os alemães, esmagando por completo o Galatasaray.

No espaço de dois minutos, o Leverkusen colocava-se confortavelmente em vantagem, primeiro, aos 12, por Barbarez, e um minuto depois, através Kiessling. Dez minutos depois, Barbarez bisaria na partida.

Na segunda parte, continuou o massacre germânico, com Haggui aos 55 e Schneider, de grande penalidade, seis minutos depois. Antes do final, os turcos marcaram o golo de honra, graças a uma grande penalidade convertida por Barusso.

662440_biglandscape.jpg

Bordéus 1-1 Anderlecht (1-2)

Os belgas traziam uma vantagem mínima e pouco segura, porém aguentaram-se muito bem. A missão da equipa do Anderlecht ficou facilitada aos 34 minutos, quando Chatelle inaugurou o marcador a favor dos belgas.

Os “girondinos” precisavam de marcar dois golos para, pelo menos, empatar a eliminatória, por isso vieram para o segundo tempo decididos a dar a volta aos acontecimentos. No entanto, aquilo que a formação conseguiu foi apenas o empate, por intermédio Cavenaghi. Os belgas não ficaram a ver os franceses no ataque e podiam ter decidido prontamente a eliminatória, valendo ao Bordéus o guardião Ramé.

662430_biglandscape.jpg

Everton 6-1 Brann (2-0)

Na primeira-mão, a equipa de Manuel Fernandes e Nuno Valente já tinha demonstrado que era superior, com a uma vitória confortável. No segundo jogo, a equipa de Liverpool não se pôs com rodeios e aplicou uma goleada das antigas.

Com Nuno Valente a titular e Manuel Fernandes suplente utilizado, Yakubu fazia aos 32 minutos o seu primeiro de três golos numa noite. Jonhson, antes do intervalo, aumentava para 2-0.

Na segunda parte assistiu-se a mais quatro golos ingleses, com um golo norueguês pelo meio. Yakubu marcou por mais duas ocasiões (aos 54 e 72), e Arteta atirou a bola para dentro das redes por duas vezes (71 e 92). O tento de honra do campeão norueguês seria marcado por Vaagan Noen, aos 60 minutos.

662179_biglandscape.jpg

Hamburgo 0-0 Zurique (3-1)

O Hamburgo já tinha conseguido uma importante vantagem no primeiro encontro e, portanto, limitou-se a gerir o resultado.

Os suíços foram atrás de tentar anular a desvantagem trazida do jogo da primeira-mão, mas nunca realmente criaram calafrios aos alemães, que poderiam ter aumentado a vantagem na eliminatória.

662234_biglandscape.jpg

Panathinaikos 1-1 Glasgow Rangers (0-0)

O nulo do primeiro jogo abria boas perspectivas para a equipa treinada por José Peseiro. O jogo até começou bem para os gregos, que, com Hélder Postiga a titular, obrigou o adversário a jogar no seu último reduto. Aos 12 minutos, Goumas ponha o Panathinaikos em vantagem no jogo e na eliminatória.

No segundo tempo, os gregos não entraram tão pressionantes e consentiram algum domínio à equipa escocesa, que viria a empatar o jogo a oito minutos do final, por intermédio de Novo, que, com este golo que ditou a eliminação do Panathinaikos, gelou o Apóstolos Nikolaidis.

662565_bigportrait.jpg

Helsinborg 1-2 PSV Eindoven (0-2)

A vantagem trazida de Eindoven já era confortável e tornou-se mais cómoda quando Bakkal colocava os holandeses com uma vantagem ainda mais segura. Aos 65 minutos, Lazovic dava mais um impiedoso golpe nas já escassas aspirações finlandesas.

Os nórdicos acabariam por marcar o seu tento, já perto do final, com Leandro Castan a corresponder da melhor forma ao canto de Anderson.

662389_biglandscape.jpg

Tottenham 1-1 Slavia de Praga (2-1)

A vitória na capital checa na primeira-mão dava alguma margem de manobra à equipa de Juande Ramos. O golo de O’Hara, aos 7 minutos, só veio deixar a equipa londrina mais descansada.

Os “Spurs” procuravam um segundo golo, que não aconteceu. Seriam, no entanto, os checos em contra-ataque que chegariam ao empate, com uma fabulosa assistência de Daniel Pudil para Krajcik. Apenas a um golo de empatar a eliminatória, o Slavia pressionou até final, a obrigar Paul Robinson a fazer um punhado de boas, que garantiram a vantagem na eliminatória.

662418_biglandscape.jpg

Fiorentina 2-1 Rosenborg (1-0)

A formação da Florença não teve muitos problemas em eliminar o Rosenborg. Da primeira-mão trazia uma vitória pela margem mínima da Noruega, e Liverani, regressado de uma lesão, ponha os italianos ainda mais perto dos oitavos-de-final.

A nove minutos do final da partida, Cacia pôs um ponto final na eliminatória, ao corresponder da melhor forma a um cruzamento de Manuel Pasqual. Ainda houve tento para o tento de honra dos visitantes, por Koné.

662185_bigportrait.jpg

Spartak 2 – 0 Marselha (0-3)

A vantagem trazida de Marselha parecia preciosa, mas acabou por não ser anulada por pouco. Os russos inauguraram o marcador aos 39 minutos, através de Pavlenko.

Na etapa complementar, a equipa da capital russa acreditou sempre que era possível levar, ao menos, o jogo para prolongamento. No entanto, os gauleses resistiram à pressão e não permitiram que o Spartak criasse muitas oportunidades de perigo. Os russos acabariam por marcar um segundo golo, num remate à queima-roupa de Pavlyuchenko. Até final, foi o tudo por tudo moscovita para igualar a eliminatória; em vão, porém.

Fonte: UEFA
Fotos: Record/UEFA

Liga dos Campeões: Oitavos-de-final – primeira-mão

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira

Disputou-se a primeira-mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, numa ronda sem muitas surpresas. No que diz respeito ao único clube português em prova, o FC Porto, a sorte não teve do lado dos comandados de Jesualdo Ferreira.

porto.jpg

Schalke 04 1-0 FC Porto

O FC Porto não foi feliz no regresso a Gensenkirchen. Estavam decorridos 4 minutos quando Kevin Kuranyi introduzia a bola dentro da baliza de Helton. Em desvantagem, os bicampeões nacionais tiveram de ir atrás do prejuízo.

Na segunda parte, a equipa mostrou-se mais afoita, e Lisandro teve a centímetros do empate.

Os “dragões”, com claras hipóteses de seguir em frente, têm de anular esta desvantagem dia 5 de Março, no Estádio do Dragão.

real-madrid.jpg

AS Roma 2-1 Real Madrid

Um dos resultados mais surpreendentes da jornada. No entanto, as coisas até começaram bem para os “merengues”, que aos 8 minutos inauguraram o marcador, com um golo do capitão Raúl. O Real Madrid continuou a dominar e esteve perto de ampliar a vantagem. Porém, seriam os romanos a chegar ao empate, através de Pizarro.

No segundo tempo, a Roma, que estava em desvantagem na eliminatória, partiu mais ofensiva. Mancini, aos 58 minutos, marcaria o golo da vitória da formação italiano, que permite aos comandados de Luciano Spalletti levar uma pequena vantagem para o Santiago de Bernabéu.

chelsea.jpg

Olympiacos 0-0 Chelsea

Com Ricardo Carvalho a titular, que teve uma boa oportunidade para marcar na segunda parte, o Chelsea conseguiu um empate a zero em Atenas, que abre boas perspectivas para a formação londrina continuar em prova.

Perante um adversário que não se intimidou por defrontar estrelas de reconhecimento mundial, como Drogba, Lampard e Essien, os “blues” tiveram boas ocasiões para marcar, contudo as melhores as oportunidades acabaram por pertencer aos gregos.

Apesar de o nulo deixar a eliminatória em aberto, o empate acaba por ser mais favorável à equipa de Avram Grant.

inter.jpg

Liverpool 2-0 Inter

Os vice-campeões europeus superiorizaram-se perante o bicampeão italiano, conseguindo uma boa margem para o jogo da segunda-mão.

O Inter, com Figo e Maniche no banco, nunca conseguiu impor o seu jogo e depois da expulsão de Materazzi, as coisas ficaram ainda mais complicadas para a formação de Roberto Mancini.

Os golos só aparecem perto do final partida, primeiro por Kuyt, aos 85, e depois o capitão Gerrard selava a vitória.

barcelona.jpg

Celtic 2-3 Barcelona

Um dos melhores jogos desta ronda, com incerteza no resultado até final. Foram os escoceses a marcar primeiro, através de uma boa jogada Venneger. Contudo, o génio de Messi não demorou a aparecer e o prodígio argentino empataria a partida dois minutos depois. Ainda antes do intervalo, Robson colocava os anfitriões novamente em vantagem.

No segundo tempo, o Barcelona foi atrás do prejuízo e Henry, aos 52 minutos, numa execução fantástica, restabelecia a igualdade. A 11 minutos do final, mais uma vez Messi fazia o gosto ao pé, marcando o golo que dá vantagem aos catalães para o jogo da segunda-mão.

manchester-united.jpg

Lyon 1-1 Manchester

O campeão francês e o campeão inglês não foram além de um empate a uma bola, que deixa os “red devils” em vantagem para a segunda-mão.

Depois de uma primeira parte dominado pelos comandados de Alex Ferguson, o intervalo pareceu fazer bem à equipa gaulesa, que voltou com outra fluidez na etapa complementar. E foram os hexacampeões franceses a se colocarem em vantagem, através de um portentoso remate de Benzema. O técnico dos “red devils” reagiu de imediato, ao colocar em campo Tévez e Nani, sendo os dois substitutos que construíram a jogada do empate: Nani cruza e Tévez conclui.

sevilha.jpg

Fenerbache 3-2 Sevilha

Os vencedores da Taça UEFA, com Duda a titular, perderam em Istambul, mas continuam boas hipóteses de continuar em frente na prova. O Fenerbahce, treinado por Zico, entrou melhor e colocou-se em vantagem aos 17, por intermédio de Kezman. Contudo, uma infelicidade de Edu, que introduziu a bola na própria baliza, permitiu aos sevilhanos empatarem.

Na segunda parte, foram os turcos novamente a entrar melhor e a marcar, desta feita por Lugano. Mais uma vez, porém, a formação espanhola voltaria a empatar a partida, graças a uma boa finalização de Escude. A três minutos dos 90, o Fenerbache marcaria o golo da vitória – que permite levar uma pequena vantagem para Sevilha –, por intermédio Senturuk.

milan.jpg

Arsenal 0-0 Milan

Um dos jogos mais esperados desta fase acabou sem golos. Os campeões europeus contaram com a inspiração do seu guardião, Zeljko Kalac, para sair com um resultado positivo do Emirates Stadium. A equipa de Arséne Wenger bem tentou, mas os milaneses fecharam todos os caminhos para a sua baliza.

Resultados e datas da segunda-mão:

Schalke – FC Porto 1-0 05/03
AS Roma – Real Madrid 2-1 05/03
Olympiacos – Chelsea 0-0 05/03
Liverpool -Inter 2-0 11/03
Celtic – Barcelona 2-3 04/03
Lyon – Man. United 1-1 04/03
Fenerbahçe – Sevilha 3-2 04/03
Arsenal – Milan 0-0 04/03

Fonte: UEFA
Fotos: Record

Análise Liga Vitalis: Vizela isolado no segundo lugar

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira

O grande destaque da jornada 19 da Liga Vitalis vai para o empate do líder Trofense no reduto do Desportivo das Aves, a uma bola. Os homens de António Conceição perderam, assim, uma oportunidade para ficarem mais distantes do 3º classificado, o Rio Ave, que empatou, também a um golo no terreno do Gil Vicente.

Quem não ficou indiferente a estes resultados foi o Vizela, que conseguiu uma importante caseira diante do Varzim, alcançando o segundo lugar.

Um dos jogos mais interessantes da jornada ocorreu no Estádio de São Miguel, nos Açores, onde o Olhanense conseguiu uma vitória sobre o Santa Clara, que relança os comandados de Diamantino Miranda na luta pela subida. Num jogo com incerteza no resultado até final, o triunfo acabou por sorrir aos algarvios, por 3-2.

Outra que se relançou na luta pelo acesso à Bwin Liga foi o Estoril. A equipa orientada por Tulipa venceu concludentemente em Freamunde por 3-1 e está apenas a três pontos do segundo lugar.

Nos restantes jogos, O Penafiel venceu o Beira-Mar (1-0), O Fátima caiu para último lugar após derrota com o Feirense (0-2), e Portimonense abandonou a linha de água, após vitória ante o Gondomar (1-0).

vizela.jpg

Resultados da 19ªjornada:
Santa Clara 2-3 Olhanense
Penafiel 1-0 Beira-Mar
Freamunde 1-3 Estoril
Desp. Aves 1-1 Trofense
Vizela 3-0Varzim
Gil Vicente 1-1 Rio Ave
Fátima 0-2 Feirense
Portimonense 1-0 Gondomar

Classificação:
1 Trofense 35
2 Vizela 33
3 Rio Ave 31
4 Olhanense 30
5 Estoril 30
6 Gil Vicente 27
7 Freamunde 26
8 Varzim 25
9 Santa Clara 25
10 Beira-Mar 24
11 Feirense 23
12 Gondomar 21
13 Desp. Aves 19
14 Portimonense 19
15 Penafiel 17
16 Fátima 17

Análise Bwin Liga: Dragão firme e hirto

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira

A jornada 19 da Bwin Liga não trouxe grandes novidades no topo de cima da tabela classificativa. Porto e Benfica venceram e, portanto, a vantagem do líder mantém-se igual. O Sporting também venceu e beneficiou da derrota do Vitória de Guimarães ante o Nacional para voltar ao terceiro lugar.

A jornada começou na sexta-feira, com o Marítimo, uma de fortes aspirações europeias, a receber o líder F.C. Porto. Depois de uma primeira parte dominada pelo verde-rubros, acabaria, porém, por ser a equipa de Jesualdo Ferreira a marcar, por intermédio de Lisandro. No segundo tempo, os bicampeões nacionais aproveitaram ao máximo a expulsão de Djalma para ampliar o resultado, com golos Tarik e, mais uma vez, Lisandro. Resultado final 3-0 favorável aos “dragões”, que assim se mantêm a vantagem de 10 ponto para o Benfica.

O segundo classificado, o Benfica, deslocou-se a Figueira da Foz, onde sentiu algumas dificuldades em derrotar o Naval 1º de Maio, por 2-0. Cristiano Rodríguez inaugurou o marcador no primeiro tempo e, já perto do final do jogo, Nuno Assis correspondeu da melhor a um passe de Sepsi e fechou a contagem.

O Sporting, por seu turno, não quis deixar os rivais se distanciarem ainda mais e venceu, também por 2-0, em Alvalade, o Estrela da Amadora. João Moutinho inaugurou o marcador aos 17 minutos. Na etapa complementar, os “leões”, que já jogavam com mais um jogador – Hélder Cabral foi expulso por acumulação de amarelos, aos 41 minutos – viram Nelson, antigo guarda-redes do Sporting, cometer penalty e ser expulso. No entanto, Polga falharia a grande penalidade. Quem não falhou acabou por ser Liedson que, perante tamanha oferta de Pedro Alves, fixou o resultado final.

Nesta ronda, destaque para o Nacional – Vitória de Guimarães, um jogo com diversas incidências. Em primeiro lugar, a maior parte do jogo acabaria por ser disputado no dia seguinte àquele que estava agendado, devido ao forte nevoeiro que se fazia sentir no Estádio da Madeira. Depois, e mais lamentável, foi que no final do jogo o técnico alvi-negro, Pedrag Jokanovic, foi tirar satisfações a Manuel Cajuda, treinador do Guimarães, sobre alegadas afirmações num jogo anterior entre as duas formações. Enfim, falemos apenas de futebol e no que o futebol diz respeito os madeirenses acabaram por vencer o jogo com um golo sem resposta.

Nos restantes jogos desta jornada, Leixões e Boavista empataram a dois golos, Paços de Ferreira empatou com a Académica a uma bola, o Setúbal foi vencer a Braga por 3-2 e, por fim, o Belenenses venceu em Leiria por 2-1.

imagens_107422.jpg

Resultados da jornada 19ª:
Marítimo-FC Porto, 0-3
(Lisandro 45’+2 e 83′, Tarik 71′)

Leixões-Boavista, 2-2
(Jorge Gonçalves, 74′, 80′; Obi 55′, Marcelão 88′)

Nacional-V. Guimarães, 1-0
(Fabiano 53′)

P. Ferreira-Académica, 1-1
(Wesley 90’+2; Lito 79′)

Sp. Braga-V. Setúbal, 2-3
(Linz 25′, Jaílson 90’+3; Robson 11′, Ricardo Chaves 41′, Elias 77′ )

Naval-Benfica, 0-2
(Rodríguez 18′, Nuno Assis 90’+3)

Sporting-E. Amadora, 2-0
(João Moutinho 17′, Liedson 77′)

U. Leiria-Belenenses, 1-2
(Harison 71′; Weldon 11′ e 69′)

Classificação:
1 – FC Porto 47
2 – Benfica 37
3 – Sporting 33
4 – V. Guimarães 31
5 – Belenenses 29
6 – V. Setúbal 28
7 – Marítimo 26
8 – Sp. Braga 25
9 – Nacional 25
10 – Boavista 23
11 – Leixões 20
12 – Académica 20
13 – Naval 19
14 – E. Amadora 18
15 – P. Ferreira 16
16 – U. Leiria 8

Foto: Record

Porto e Candelária perto da final-four

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira

O hexacampeão nacional de hóquei em patins, o FC Porto, está a um passo de estar presente final-four da Liga Europeia, que se disputará no próximo de Maio, em Barcelona. Após goleada ante os italianos do Prado, por 10-1, os “dragões” partem para a última jornada com mais três pontos de vantagem sobre os espanhóis do Vic.

21453.jpg

O Candelária também está em boa posição para estar na final-four, depois de vencer, na Dinamarca, o Cronenberg, por 5-0, bastando agora aos açorianos um empate diante do Réus, na última jornada para garantir a qualificação.

Já eliminado, o Óquei de Barcelos apenas cumpriu calendário. Mesmo assim, não facilitou e venceu os italianos do Bassano, por 4-2. Na última jornada, os barcelenses deslocar-se-ão ao reduto do Liceo da Corunha.

Na Taça CERS, a sorte não esteve do lado do Portosantense, que foi derrotado em casa pelo Valdagno, de Itália, por 3-2, na primeira-mão dos quartos-de-final.

A última jornada da fase de grupos de Liga Europeia, bem como a segunda-mão da Taça CERS, disputa-se a 15 de Março.

Fonte: O Jogo, Infordesporto
Foto: Site Oficial do FC Porto