Archive for the ‘10ªedição’ Category

Taça Uefa: Jornada 3

Dezembro 3, 2007

uefa_2007.jpg

João Fragata

Grupo A

Zenit 2- 2 Nuremberga
Sabendo que o Everton não jogaria desta vez (folga), o Zenit não conseguiu aproveitar para ultrapassar os ingleses e colocar a pressão do lado deles.

O Nuremberga, que ainda nem tinha pontuado, marcou primeiro mesmo contra a corrente. Surpreendentemente, aos 25’ Charisteas após um passe de Engelhardt colocou a bola no canto superior.

A equipa de Dick Advocaat decidiu correr atrás do prejuízo e até ao fim da primeira parte fazendo com que Blazek tivesse que se aplicar a fundo para não sofrer golos. Na 2ª parte a pressão continuou e poderiam até marcar logo aos 55’ mas Pogrebnyak atirou ao lado. Contudo, redimiu-se aos 76’, altura em que conseguiu cabecear para dentro da baliza após o cruzamento de Zyrianov. E o Zenit chegou mesmo à vantagem aos 79’, outra vez o passe de Zyrianov, mas desta vez a encontrar Ionov, que finalizou sem problemas. Estava reposta a justiça do jogo. Contudo, toda a gente sabe que o futebol nem sempre é justo e aos 84’ Benko quis dar o 1º ponto da sua equipa nesta edição da Taça Uefa. 2-2, e o Zenit a desperdiçar uma boa oportunidade de passar temporariamente para 1º lugar. É 2º com 5 pontos, menos 1 que o Everton.

AZ 1-0 Larissa
O AZ de Van Gaal, relançou as esperanças de conseguir a passagem aos 16 avos, depois de conseguir uma vitória suada com os gregos do Larissa. Os holandeses controlaram praticamente o jogo todo e podiam ter marcado logo aos 4’ quando Agustien, num centro à Abel, atirou a bola à barra do grego Kostolis. Podiam até ter-se adiantado no marcador ainda na primeira parte, mas o golo de Cziommer foi conseguido em irregularidade.

Na 2ª parte o AZ continuou a lutar para conseguir a vitória, mas foi preciso chegar ao minuto 77’ para Dembelé conseguir marcar e aliviar a equipa. Logo de seguida o grego Kotsios foi expulso, e Julian Jenner ia marcando o 2º golo para os Holandeses. Com esta vitória os pupilos de Van Gaal conseguiram o 3º lugar, sendo que no próximo jogo encontram o Nuremberga.

Grupo B
Lokomotiv Moscovo 0-1 Copenhaga
O velho conhecido do Benfica, Copenhaga foi até à Rússia vencer o Lokomotiv por 1-0 e assim fugir do último lugar do grupo. Já o Lokomotiv, continua a não convencer.
Foi um jogo frio que os adeptos viram. Embora o Lokomotiv tenha começado melhor, com Sychev a obrigar Christiansen a “aquecer” para defender um remate de longo distância, os dinamarqueses responderam logo aos 15’ por Allback.

O jogo foi tendo poucas hipóteses mas as existentes foram para os dois lados. Primeiro foi Ivanovic a cabecear com perigo para os russos, para logo de seguida Nordstrand deixar que Pelizzoli deixasse a baliza russa inviolável.
Na 2ª parte foi preciso chegar ao minuto 62’ para haver o único golo do jogo. Asatiani derrubou Allback na área, e Nordstrand marcou o golo para os nórdicos.
Até ao fim o Lokomotiv ainda ficou com menos um jogador. Spahic viu o 2º amarelo e teve ordem de expulsão. Este resultado deixa o Lokomotiv com 2 pontos em 3 jogos, no 4º lugar, enquanto que o Copenhaga conseguiu ascender ao 3º lugar.

Atlético Madrid 2-0 Aberdeen
O Atlético recebeu e venceu o Aberdeen por 2-0. Simão saltou do banco na 2ª parte para marcar o 2º golo, enquanto que Maniche jogou alguns minutos da 2ª parte e Zé Castro nem entrou.

O Atlético controlou praticamente todo o jogo, tendo inúmeras ocasiões para se adiantar no marcador.Primeiro foi Pernía que a 20 metros da baliza, rematou ao poste, e depois García, muito em jogo, desperdiçou 2 boas ocasiões. Contudo ainda na 1ª parte, Motta lançou Agüero que foi carregado dentro da área. Forlán não desperdiçou e estava feito o primeiro golo da noite.
No início da 2ª parte, aos 61 minutos, Simão aproveitou a ajuda do guarda-redes contrário. Depois da marcação de um livre a bola embateu no poste e nas costas de Langfield. Simão cada vez a ganhar mais espaço no Atlético.

Os espanhóis controlavam o jogo, mas ainda apanharam dois sustos, mas tanto Calderwood como Clark não conseguiram marcar.
O Atlético conquista assim o 2º lugar, estando apenas a 2 pontos do primeiro, o Panathinaikos.

Grupo C
Elfsborg 1-3 Mladá Baleslav

Os checos do Baleslav foram a surpresa do grupo, indo à Suécia vencer o Elfsborg por claros 1-3. Mas foi preciso chegar a meio da 2ª parte para darem a volta ao jogo e conseguir conquistar o 3º lugar.

O Elfsborg até começou melhor e aos 31’ adiantaram-se no marcador por Svensson. Contudo, não conseguiu mais encontrar-se com os golos até ao fim do jogo. Tanto que até com uma hipótese soberana, (Penalty), Ishizaki permitiu a Pisanowski a defesa.

Os checos entraram melhor na 2ª parte e aos 67’ Taborsky empatou o jogo, após passe de Kopic. A seguir Vorisek tornou-se o homem do jogo. Primeiro assistiu Mendy aos 79’ para o 2-1 e de seguida marcou o livre que colocou um ponto final no resultado.

O Baleslav tem agora 3 pontos em 2 jogos enquanto que o Elfsborg ficou em último lugar com apenas 1 ponto.

AEK 1-1 Fiorentina
O jogo “grande” do grupo acabou com um empate a uma bola. O AEK beneficiou de um auto-golo, num jogo em que Manú foi titular.

O AEK entrou melhor no jogo, mas a 1ª grande hipótese pertenceu aos italianos que falharam através de Vieri. A Fiorentina chegou mesmo ao golo aos 29’. Osvaldo, à entrada da área a marcar de pé esquerdo.

Logo de seguida, Manú falhou o empate, mas outro conhecido Júlio César, ex jogador do Estrela da Amadora e Gil Vicente, rematou com força e Balzaretti atirou para a própria baliza. Até ao fim do jogo a Fiorentina podia ter marcado o golo da vitória mas o livre de Liverani, quase no final, embateu na trave.

A Fiorentina desperdiçou então a hipótese de passar já aos 16 avos, caso tivesse ganho. Fica com 5 pontos no 1º lugar.

Grupo D
Hamburgo 3-0 Rennes

O Hamburgo chegou ao 1º lugar do grupo D, vencendo “sem espinhas” os franceses do Rennes por 3-0. Van der Vaart foi o homem do jogo, abrindo o marcador e a oferecer o 2º golo.

Foi mesmo Van der Vaart a abrir o jogo com um remate forte mas a falhar. Castelen imitou-o e com 3 remates de meia-distancia, mostrou que o Hamburgo não estava para brincadeiras.
E mostrou isso mesmo aos 30’ quando Olic cruzou para Van der Vaart que só teve que empurrar para o fundo da baliza. O holandês, quase no fim do jogo assistiu Choup-Moting para o 2-0, num remate ao ângulo. Já nos descontos Zidan castigou o Rennes, a marcar através da marca de grande penalidade.

Brann 2-1 Dínamo Zagreb
O Brann recebeu e venceu o Dínamo Zagreb e continua na luta pela passagem aos 16 avos. O Dínamo Zagreb, acabou com apenas 10 jogadores.

Numa jornada tão cheia de golos de penalty, este não foi diferente. Na jogada que deu o cartão vermelho a Helstad do Zagreb, Bjarnasson já quase no fim da primeira parte, marcou o 1º golo do jogo.

No início da 2ª parte o Zagreb quis mostrar que não estavam ali só para ver o jogo, e na sequência de um canto marcado por Modric, Vukojevic fez o empate e colocou justiça no marcador. Num jogo que foi quase todo controlado pelo Dínamo, mesmo quando jogou só com 10 jogadores, o Brann conseguiu surpreender e marcou mesmo o golo da vitória através de Bakke.
O Brann consegue assim, com sorte ascender ao 2º lugar.

Grupo E
Sparta 0-0 Spartak Moscovo

O único jogo sem golos da jornada, encontrou o 2º e 3º lugares do grupo, que não conseguiram marcar qualquer golo em todo o jogo, conseguindo um empate morno a zero.

A noite era fria, e o jogo não aqueceu muito os adeptos. Contudo foi melhor para o Spartak que conseguiu um bom resultado num campo difícil que para o Sparta. Começou mais atacante o Sparta que permitiu aos 4’ uma boa defesa de Pletikosa, e depois um falhanço de Dosek, que o guarda-redes croata agradeceu.

Os russos também tentaram dar o ar de sua graça, primeiro através de Welliton, e depois Dzyuba. Até ao fim do jogo houve esporadicamente perigo, num jogo que se pretendia mais das duas equipas, que jogaram mais para não perder, do que para ganhar.

Zurich 2-0 Toulouse

O Zurich conseguiu a 2ª vitória em 2 jogos, conseguindo ter a esperança de passar à próxima fase. Num jogo que conseguiu controlar Tihinen e Rafael de Araújo colocaram os suíços no 1º lugar do grupo.

Os suícos controlaram o jogo logo desde início, e mostraram que queriam vencer. Rafael foi o primeiro a tentar mas rematou ao lado, seguido por Abdi que rematou para a defesa do guarda redes contrario. Emana do Toulouse ainda tentou reagir mas nada consguiu.

Já quase no fim da primeira parte, Elmander conquistou um livre precioso e Rochat serviu Tihinen para o primeiro golo do jogo. Na 2ª parte Ilunga quis mostrar que este jogo não era excepção a nível de penaltys e colocou a mão na bola. Rafael sem qualquer problema colocou a bola no fundo da baliza.
O Zurich até ao fim do jogo ainda poderia ter aumentado por Chikhaoui mas o jogo ia mesmo acabar com o resultado de 2-0. O Zurich fica então só a precisar de mais um ponto para passar aos 16 avos.

Grupo F
Braga 1-1 Bayern Munique

O Braga surpreendeu o Bayern e arrancou um bom empate aos bávaros. Linz foi o herói dos bracarenses, marcando o empate aos 66’.

O Braga queria mostrar o que Manuel Machado tinha dito, e quis tentar mostrar que de vez em quando os pequenos ganham aos grandes. Por isso logo aos 3’ o pequeno João Pereira, depois de uma boa investida cruzou para Vandinho que cabeceou ao lado da baliza do grande Kahn.

Logo de seguida, Van Bommel rematou ao lado, mostrando que os alemães queriam vencer.
Aos 10’ Ribery atirou forte para o desvio de Klose, mas a bola saiu ao lado. Os alemães tinham agora um ligeiro controle do jogo, mas Linz até conseguiu colocar a bola no fundo da baliza bávara. So que Wender já tinha cometido falta sobre Lúcio.

Ribery tornava-se um jogador influente e aos 31’ teve uma grande investida, cruzando para Luca Toni, que atirou ao lado. A partir dos 35’ o Braga tentou inverter um pouco a ordem do jogo. Primeiro, foi João Pereira que numa boa iniciativa na direita, conseguiu um desvio para canto. Depois Wender a tentar surpreender o veterano Kahn por duas vezes, mas o alemão a mostrar toda a sua experiência.

Se o Braga acabou a 1ª parte em alta, começou a 2ª em baixa. Logo com 2 minutos de jogo Luca Toni fez uma jogada pela esquerda e cruzou para Klose calar os adeptos bracarenses. Sem dificuldade, o polaco naturalizado alemão, só teve que empurrar a bola para o fundo da baliza.

Contud,o com as entradas de João Pinto e Jaílson, o Braga deu a volta à derrota, e aos 65’ Wender descobriu Linz que rematou forte. A bola ainda bateu no poste, mas já não havia nada a fazer. O Braga tinha empatado e tentava controlar o jogo.

Por isso, aos 80’ não foi surpresa que Paulo Jorge quase marcasse na sequência da marcação de um canto. Até ao fim poucas oportunidades, e o Braga saiu com um bom resultado. A próxima paragem é o Aris, que se espera que os arsenalistas entrem com a mesma vontade e garra.
Bolton 1-1 Aris

No outro jogo do grupo F, o resultado foi o mesmo mas com alguma sorte para os ingleses, que só conseguiram o empate quase no fim da partida. Os próximos adversários do Braga foram superiores no jogo e mostraram que os arsenalistas têm que se aprumar para vencer o próximo jogo.

Foi no flanco direito que o Aris criou o jogo de toda a primeira parte. Por isso não foi de estranhar que Calvo e Neto, os donos da direita, tenham logo criado uma boa oportunidade para Koke mas este atirou ao lado. Pouco depois o mesmo Koke serviu Siston mas o resultado foi o mesmo.

Mas foi na direita que nasceu o golo do Aris. A um minuto do fim da primeira parte, um mau alívio da defesa inglesa deixou a bola para Calvo que aproveitou para se adiantar no marcador.

A 2ª parte não trouxe nada de novo, com um Aris mais defensivo a tentar segurar a vantagem mínima e o Bolton a fazer pouco para recuperar. Foi mesmo preciso chegar aos descontos para Giannakopolos ser o “traidor” de serviço e castigar a equipa do seu país marcando o golo do empate.

Grupo G
Tottenham 3-2 AaB

O jogo com mais golos da jornada, foi também o mais emocionante. O Tottenham conseguiu em apenas 21 minutos recuperar de um 2-0 para o 3-2. E foi a estrela de Juande Ramos, o especialista em Taça Uefa, que o ajudou em duas substituições cruciais ao intervalo.

Os dinamarqueses do AaB começaram muito bem o jogo, e logo aos 2’ silenciaram o White Hart Lane. Enevoldsen, que tinha a avó aniversariante a ver na bancada, decidiu dar uma prenda, entrando pela esquerda e rematando forte para o fundo da baliza. O Tottenham tentou reagir numa boa jogada de Jenas mas foi mesmo o AaB que aumentou a vantagem ainda antes do intervalo. Prica cruzou para Risgard que marcou o 2º golo da equipa dinamarquesa e deixou os adeptos à beira de um ataque de nervos.

Contudo, ao intervalo o treinador espanhol mexeu na equipa e colocou Huddlestone e Bent, que iriam ser decisivos para a reviravolta.

O 1º, logo a abrir a segunda parte fez logo a assistência para Berbatov, que sem problemas reduziu a desvantagem. Cinco minutos depois a equipa de Ricardo Rocha, que não jogou, conseguiu empatar num grande chapéu de Malbranque depois de um bom entendimento entre Keane, Berbatov e a tal 2ª substituiçao do intervalo Bent. Foi o próprio que fechou a reviravolta depois de um cruzamento remate de Lennon. O Bolton com esta reviravolta assume o 1º posto do grupo com 6 pontos em 3 jogos.

Getafe 1-2 Hapoel Tel-Aviv
A equipa espanhola do Getafe não está a ter uma boa estreia nas competições europeias e depois da derrota com o Tottenham, foi surpreendido em casa com os israelitas do Hapoel perdendo por 2-1.

O Hapoel resolveu o jogo logo na primeira parte, e bem cedo. Logo aos 5’ Badir correspondeu da melhor maneira ao cruzamento de Bondarv e inaugurou o marcador.

O Getafe tentou controlar o meio-campo, mas não valeu de muito porque à meia-hora de jogo voltou a sofrer outro golo, desta vez da autoria de Dego, na marcação de um livre soberbo.
O Getafe entrou na 2ª parte pronto para dar a volta ao marcador mas falhou sempre. Bráulio, Hernandéz e Albín tiveram em comum o facto de terem falhado todos o alvo.

E foi preciso o Hapoel cometer uma grande penalidade já em tempo de desconto (mais um na jornada) para Hernandez conseguir reduzir.

Grupo H
Helsingborg 3-0 Austria Wien
O Helsingborg recebeu e venceu o Austria de Viena por claros 3-0 e conseguiu ser a 1ª equipa a garantir a passagem à próxima fase.

Contudo embora tenha sido um resultado claro, foi só na 2ª parte que os suecos garantiram o apuramento para os 16 avos de final.

Logo no início da 2ª parte Henrik Larsson mostrou que ainda tem classe para espalhar assistindo Skulason para o primeiro golo da partido, depois de uma primeira parte muito morna.
Contudo, parecia que era só preciso o primeiro entrar para entrarem todos os outros. O Helsingborg continuou a pressionar e aos 66’ Omotoyossi a conseguir aumentar a vantagem depois de cruzamento Makondele. O mesmo Omotoyossi, apenas quatro minutos depois aumentou para 3-0 carimbando a passagem dos suecos para a fase seguinte tornando-se assim a primeira equipa a consegui-lo.

Panionos 0-3 Galatasaray
No outro jogo do grupo, o resultado foi o mesmo e também foi conseguido apenas na 2ª parte. Desta vez foi o treinador do Galatasaray que fez o mesmo que Juande Ramos e fez uma substituição acertada com a entrada de Hakan Sukur ao intervalo. O veterano avançado mostrou que mesmo aos 36 anos ainda tem muito para dar.

O Galatasaray precisava de vencer depois de ter perdido os dois primeiros jogos da Taça, mas nem uma nem outra equipa o demonstraram durante toda a 1ª parte. Na 2ª parte, com a entrada de Sukur, a equipa turca transfigurou-se e conseguiram uma vitória expressiva. Aos 50’ Sukur serviu Serkan Çalik que colocou os turcos em vantagem. Mas o avançado estava endiabrado e aos 64’ serviu outra vez o mesmo jogador que foi derrubado dentro da área.
Penalty convertido por Song.

Contudo, o camisa 9 achou que era pouco e aos 82’ decidiu que também deveria marcar. Após cruzamento de Güven, cabeceou para o fundo da baliza e fechou a contagem. O Galatasaray precisa agora de vencer o Austria de Viena e esperar que a equipa grega continue a perder.

Foto: Record

Anúncios

Sortes diferentes!

Dezembro 3, 2007

imagens_106876.jpg

João Fragata

Depois da passada ronda europeia da Uefa Champions League, a Taça UEFA é agora o alvo de duas das equipas portuguesas. A outra equipa lusa, porém, ainda não está livre disso. O Benfica empatou só pode lutar pela Uefa, o Sporting perdeu e aproveitou a vitória da Roma sobre o Dinamo Kiev para estar certo na 2ª prova mais importante da Europa. O Porto, mesmo perdendo de forma invulgar, tem todas as opções em aberto mas só depende de si.

Derrota em Anfield não tira o primeiro lugar

O Porto foi surpreendido em Anfield, mas está dependente de si mesmo para estar nos oitavos de final da competição. Basta um empate no último jogo para passarem.

O Liverpool começou melhor o jogo (e assim continuou grande parte do jogo), aproveitando as alterações que Jesualdo tinha feito na equipa. A titular colocou Kazmierczak, Mariano González e Stepanov. Se os primeiros até não se portaram mal, o 3º cada vez mais mostra uma total desconcentração e erros que custam jogos.

Logo aos 19’ minutos “El niño” Fernando Torres a corresponder bem a um canto de Gerrard e de cabeça colocou os Reds à frente do marcador.

Este golo veio logo desestabilizar a equipa portista que demorou a entrar no jogo. Contudo, após o golo, tentou inverter o rumo do jogo e mostrar que não tinha sido à toa que tinha entrado no jogo como líder do Grupo A, e não foi surpresa que tivesse empatado o jogo. O estreante Kazmierczak (1º jogo na Liga dos Campeões) fez uma jogada na raça pela esquerda, livrou-se do defesa, e cruzou para a área onde Arbeloa não acertou na bola, mas onde Lisandro cabeceou para o fundo da baliza. Um grande golo.

Pensar-se-ia que o Porto voltaria ás boas exibições e ia mostrar que queria carimbar logo o passaporte para os oitavos. E até foi isso que tentou mostrar logo de seguida ao golo, quando Lucho (o motor da equipa) fez uma boa assistencia para Lisandro que atirou por cima da barra. Marek Cech decidiu imitar o colega e numa jogada seguinte, embora com ressalto, rematou com a bola a ter o mesmo efeito.

O Porto acalmava e entrou na 2ª parte para gerir o resultado (que até os estava a qualificar na altura) e veio mais calmo e acertado. Contudo aos 54’ Benayoun foi o primeiro a causar algum perigo rematando para fora. Foi então que os técnicos colocaram em campo Kewell e Crouch nos Reds, e Raúl Meireles para os campeões nacionais.

Isto foi colocar Gerrard mais à vontade para aparecer finalmente no jogo. E o resultado foi o que se viu. Quando tudo parecia encaminhado para o empate, aos 78’ Kewell mostrou porque entrou, passando por dois adversários, e cruzando para “El Niño” bisar no jogo e mostrar que 36 milhões até e pouco para um jogador desta qualidade. Foi aí que tudo descambou.

Stepanov (para quê continuar a tentar) a cometer um erro grosseiro, e a colocar a mão na bola, esquecendo-se que era futebol que estava a jogar. Gerrard não costuma ser de falhar oportunidades e foi o que fez. 3-1 quando já só faltavam 6 minutos para acabar o jogo.
Gerrard decidiu mostrar-se e ainda criou o último golo, da autoria de Crouch. É questão de dizer que Benítez acertou muito bem nas trocas. Jesualdo, nem por isso.

Com este resultado os portistas dependem de si mesmos, precisando apenas de um empate para passarem. Contudo ainda nada está certo.

Sporting na Uefa, apesar da derrota

Já o Sporting já está certo na Uefa, em Fevereiro. Apesar da derrota por 2-1 em Manchester (os clubes ingleses foram maus para os portugueses), beneficiou da vitória da Roma sobre o Dínamo de Kiev para ter o 3º lugar certo.

O Manchester, embora já qualificado, não entrou a dormir tentando sempre mostrar que queria ganhar. Por isso mesmo logo aos 5’ causou o primeiro susto por Nani, mas Polga resolveu muito bem.

Contudo, o Sporting até tentou mostrar que estava ali para lutar, e aos 12’ Moutinho faz o verdadeiro primeiro remate do jogo. Logo de seguida, Saha, depois de um toque maravilhoso de Ronaldo (que resolve jogos) atirou ao lado.

Aos 21’ sem ninguém estar a espera (acho que nem Abel), o defesa direito desferiu um forte remate, que parecia não intencional, e colocou os leões na frente do marcador. Miguel Veloso fez a assistência, e Abel, que parecia querer cruzar, silenciou Old Trafford.

E a verdade é que o Sporting até podia ter aumentado a vantagem, quando minutos depois Liédson colocou a bola nas redes inglesas. Contudo, o fiscal de linha descobriu um fora-de-jogo mesmo no limiar.

Mesmo com o Manchester a tentar inverter o resultado, até ao fim da primeira parte os “jovens” de Paulo Bento mostraram alguma tranquilidade e conseguiram aguentar o resultado.

Na 2ª parte e mesmo com a boa exibição de Rui Patrício com um bom par de defesas, os ingleses chegaram ao empate. Depois de uma jogada na raça de Evra, a bola chegou a Ronaldo que rematou para onde estava Tévez que viu a bola tabelar nele e entrar na baliza. Um golo estranho.

Depois de duas tentativas de Ronaldo para marcar, à terceira foi de vez. Aí o golo já não foi estranho. Um grande livre do internacional português, ao qual Patrício não tinha hipóteses de lá chegar. Estávamos ja nos descontos e ,portanto, o que parecia ser uma vitória do Sporting, passou a derrota. Com o resultado, o Sporting ficou então no 3º lugar, e esse já não lho tiram. Agora venha a Uefa.

Agora só dependem de vocês

Um jogo com dois grandes golos, e um grande jogo foi o que viram os adeptos que estavam no estádio no jogo que opôs o Benfica ao todo poderoso Milan. E os encarnados bem se podem queixar da sorte, pois conseguiram igualar o campeão europeu, e o jogo podia ter ido para qualquer lado.

O Benfica nem começou muito bem. Logo no início a defesa encarnada teve que tentar resolver duas situações com Gilardino e Seedorf. Contudo valeu ás águias a atenção de Quim.
Contudo nem a atenção de Quim valeu quando aos 14’ a defesa deixou Pirlo completamente sozinho para poder rematar do meio da rua, criando um golo de belo efeito. O Benfica pecou pelo facto de deixar um jogador daquela classe rematar daquele sítio. Sendo um perito nesses remates Pirlo agradeceu.

Contudo, isso pareceu ter acordado os portugueses, que aos 18’ tiveram uma grande hipótese para o empate. Nuno Gomes recuperou muito bem a bola deu para Rodriguez mas o urugaio (que a par de Rui Costa só acordou a partir daí) não teve tempo de rematar graças a um grande corte de Kaladze.

Contudo, isso deu ânimo ás águias, que logo de seguida, decidiram igualar o campeão com um grande golo. O outro uruguaio Maxi Pereira a mostrar-se cada vez mais, e a empatar o jogo com um golaço.

Até ao fim da 1ª parte, oportunidades para os dois. Primeiro Brocchi a rematar para grande defesa de Quim. Depois novamente os uruguaios a tentarem também a sorte. Primeiro Rodriguez a atirar ao lado, depois Maxi, a passe de Nuno Gomes, a não conseguir também marcar.
Na 2ª parte o Benfica continuou a lutar, e aos 53’ Rui Costa com uma jogada espectacular (que velho valioso) a rematar para defesa de Dida. Os encarnados até ao fim continuaram a tentar e viram um golo anulado. Depois de uma recarga, Nuno Gomes rematou para o fundo da baliza mas em posição irregular. Aos 66’ o mesmo jogador podia ter marcado desta vez à meia-volta.

Até ao fim do jogo, Kaká ainda teve duas ocasiões desperdiçadas. O que todos assumem como melhor jogador do ano, não mostrou nada disso, não tendo discernimento e calma para marcar.
O jogo acabou, o Benfica ombreeou com uma das melhores equipas do mundo, mas vê-se obrigado a vencer o último jogo contra o Shaktar, para poder ir para a Uefa.

Foto: Record

Análise Liga Vitalis: Vila-condenses isolam-se

Dezembro 3, 2007

Miguel Pereira

Depois de partilharem a liderança durante duas semanas com o Vizela, o Rio Ave assumiu a liderança após uma importante vitória no reduto do Estoril. O Vizela, por seu turno, conseguiu um empate importante nos Açores, contra o Santa Clara, e continua nos lugares que dão acesso à subida.

cdsc_vizela_279_190.jpg

Noutro jogo, o Trofense recebeu e venceu o Varzim com um golo sem resposta e é agora terceiro, juntamente com o Santa Clara, a um ponto dos lugares de promoção.

Quem não aproveitou para se aproximar dos lugares cimeiros foram Beira-Mar e Olhanenses, sendo que o primeiro empatou, em casa, a zero frente ao Feirense e o algarvios deixaram-se surpreender na recepção ao Gondomar, perdendo por 1-0.

Há que destacar, nesta jornada 11, a primeira vitória do Penafiel, por 1-0 frente ao Portimonense. Agora com António Sousa no comando, os penefidelenses conseguiram o primeiro triunfo, por fim.

Nos restantes jogos, Desportivo das Aves e Gil Vicente empataram a um golo, enquanto que o Freamunde venceu o Fátimo, por 2-1.

Na próxima jornada, o Rio Ave recebe o Trofense – três pontos separam as duas equipas – e o Vizela recebe o Desportivo das Aves. Refira-se que o derby algarvio, que vai opor o Portimonense ao Olhanense, centrará também muitas atenções.

Foto: Site Oficial do Santa Clara

Análise Bwin Liga: Recuperar fôlego antes do clássico

Dezembro 3, 2007

Miguel Pereira

Após dois jogos sem vencer, onde se chegou a especular um cenário de crise, os bicampeões nacionais voltaram aos triunfos, por 2-0, frente a um Vitória de Setúbal, que era das poucas equipas que ainda não havia perdido esta época.

19664.jpg

Assim, os azuis e brancos mantêm a vantagem de quatro pontos para o Benfica, que precisou de suar para vencer a Académica, por 3-1, sendo que os dois golos finais, apontados por Luisão e Adu, foram marcados nos minutos finais da partida.

A se distanciar dos lugares cimeiros do campeonato está o Sporting, que voltou a marcar passo, desta feita no reduto do Leixões. O desaire só não pior, porque Purovic empatou a partida perto do final da partida.

Um claro destaque da 11ª jornada vai para a primeira vitória do Boavista. Finalmente, os comandados de Jaime Pacheco conseguiram um triunfo nesta edição da Bwin Liga. A vítima da fúria axadrezada foi o Vitória de Guimarães, que, embora tenha recuperado de uma desvantagem de dois golos, perdeu por 3-2.

Nos restantes jogos, o Marítimo foi surpreendido pela Naval (0-1), o Braga e Leiria empataram a zero, bem como Belenenses e Estrela da Amadora e, por fim, o Paços de Ferreira venceu o Nacional com um golo sem resposta.

Para a próxima jornada, os dois primeiros classificados enfrentam-se no Estádio da Luz, num eterno clássico do futebol português. À espreita, estará o Sporting, que, ao receber o lanterna vermelha, União de Leiria, tentará ganhar pontos aos mais directos rivais. A lutar pela Europa, estarão Braga e Marítimo, que se encontrarão no Estádio Axa.

Foto: Futebol de Ataque

Mundial 2010 já mexe

Dezembro 3, 2007

João Fragata

Já são conhecidos os grupos europeus de apuramento para o World Cup 2010, que se irá realizar na África do Sul. Portugal tem um duelo nórdico, a Inglaterra terá que lutar entre outros com a Croácia, e a Campeã Mundial Itália terá que mostrar o seu favoritismo e vencer entre outros Bulgária e Rep Irlanda. Que comece o espectáculo!

sa102.jpg

Grupo 1
Portugal
Suécia
Dinamarca
Hungria
Albânia
Malta

O grupo 1 contém a nossa selecção, que terá teoricamente o maior perigo na Suécia e Dinamarca.Será também interessante ver os jogos que envolvem as duas selecções nórdicas.Há que também ter cuidado com a Hungria, e não cometer os erros da qualificação do Euro com as equipas menos fracas.

Grupo 2
Grécia
Israel
Suíça
Moldávia
Letónia
Luxemburgo

Um grupo bem equilibrado (talvez o mais equilibrado), com 4 equipas a saltar como possíveis candidatas. No seu melhor Israel, Suiça e até a Letónia podem tentar lutar pela classificação. A campeã europeia Grécia, terá que continuar a fazer os seus adeptos sonhar depois das boas exibições.

Grupo 3
Rep. Checa
Polónia
Eslováquia
Eslovénia
São Marino
Irlanda do Norte

Já neste grupo, na teoria Republica Checa e Polónia serão as grandes candidatas a qualificarem-se. Como só o 1º lugar tem lugar certo, veremos quem ganha o duelo.

Grupo 4
Alemanha
Rússia
Finlândia
País de Gales
Azerbaijão
Liechtenstein

Neste grupo a principal candidata é claro a poderosa Alemanha, mas que não poderá descuidar-se porque terá a Rússia e o País de Gales como grandes concorrentes. Terá também a Finlândia, que como já sabemos, poderá ser incómoda, e até ser uma outsider.

Grupo 5
Espanha
Bélgica
Turquia
Arménia
Bósnia
Estónia
A “nuestros hermanos” calhou a sorte de ter que disputar o 1º lugar, na teoria, com Bélgica e Turquia. De resto, calharam equipas com pouca expressão mundial, como Bósnia e Arménia. Há que ter cautelas com a Estónia, que poderá ser perigosa.

Grupo 6
Croácia
Inglaterra
Ucrânia
Cazaquistão
Bielorrússia
Andorra

A Inglaterra, numa altura de crise, pelo falhanço do apuramento para o Europeu, terá que mostrar que ultrapassou isso (quem sabe com Mourinho no comando?) e terá principalmente equipas de leste para tentar ultrapassar. Croácia e Ucrânia avizinham-se à 1ª vista como as principais botas nos sapatos ingleses.

Grupo 7
França
Roménia
Sérvia
Áustria
Lituânia
Ilhas Faroe

Aos franceses, calharam uma Roménia e Sérvia, longe dos momentos áureos, mas que têm que ser vistos como grandes dores de cabeça. De resto tiveram no sorteio uma Austria fraquinha, a Lituânia e uma selecção quase desconhecida das Ilhas Faroé, mais conhecida por levar goleadas.

Grupo 8
Itália
Rep. Irlanda
Bulgária
Geórgia
Chipre
Montenegro

A poderosa Itália quererá mostrar o por que é a campeã do mundo, e para isso terá que ultrapassar as selecções da Rep. Irlanda, Bulgária, Geórgia, Chipre e Montenegro. Um grupo complicado, com deslocações complicadas principalmente a Irlanda, Bulgária e até Montenegro, embora esta não com tantas dificuldades.

Grupo 9
Holanda
Escócia
Noruega
Islândia
Macedónia

Por fim, mas não menos importante, temos o grupo mais pequeno, onde Holanda e Escócia saltam logo à vista, vindo depois a Noruega e a Islândia. A Macedónia terá que fazer pela vida, e tentar lutar para dignificar o país.

FC Porto e Benfica mantêm-se em prova, ABC eliminado

Dezembro 3, 2007

Filipa Lopes

Acabou em sorrisos portugueses a última ronda europeia de andebol, quer para o FC Porto, que continua em prova na Taça das Taças, quer para o Benfica, que segue em frente na Taça Challenge. O ABC disse, no entanto, adeus à Europa, num jogo inglório.

porto-andebol.jpg

Foi no Domingo de 25 de Novembro que as equipas portuguesas disputaram a 2ª mão de uma eliminatória que assumiu contornos muito diferentes para Benfica e Porto: Enquanto os encarnados bateram no Pavilhão EDP, sem dificuldades, o HO Mojkovac por 44-26, já depois de terem vencido fora por 46-22, o FC Porto foi derrotado no Pavilhão Halle Georges Carpentier, em Paris, pelo Paris Handball (26-20). Ainda assim, este resultado desfavorável não impediu a qualificação dos portistas, que haviam vencido, na semana anterior, em Santo Tirso, os franceses por uma diferença de 7 golos (30-23).

O ABC foi afastado da Taça EHF pelo C.Koper (2ª mão, em Braga, 27-20, depois de uma derrota dos portugueses fora por 34-25), num jogo polémico: a 15 segundos do fim, assinalava o marcador 27-19, foi assinalado jogo passivo aos eslovenos. O ABC tinha, então, a pouco tempo do final do jogo, a oportunidade de marcar o golo que lhe garantiria a vitória mas a mesa interrompeu o jogo alegando que existira um pedido de desconto de tempo antes da falta assinalada pelos árbitros. O jogo recomeçou com o ataque dos eslovenos, que acabaram por fazer o 27-20, eliminando de forma inglória os minhotos.

Fonte: A Bola
Fotos: Arquivo Online