Archive for the ‘12ª edição’ Category

Falemos então de desporto: Difícil mas não impossível

Dezembro 19, 2007

Miguel Pereira*

Terminada mais uma fase de grupos da Liga dos Campeões, podemos fazer um balanço melhor que o do ano passado. Uma equipa qualificada para os oitavos-de-final e duas que continuam nas competições europeias.

O bicampeão nacional, FC Porto, era quem tinha o grupo mais acessível. Portanto, não foi com muita surpresa que conseguiu a qualificação para a fase seguinte. No entanto, o que é de destacar na prestação portista foi o importante primeiro lugar alcançado, à frente do poderoso Liverpool, que dá mais margem de manobra aos campeões nacionais para a fase que se segue. Em minha opinião, os comandados de Jesualdo Ferreira tem todas as condições para obter a qualificação para os quartos-de-final, pois, à excepção de Arsenal, o FC Porto é claramente superior às restantes equipas que lhe podem sair no sorteio. Se os “dragões” consumarem a passagem aos quartos-de-final, a partir daí, só resta sonhar.

Em relação ao Sporting, há que concordar com Paulo Bento quando este diz que “os jogos com a Roma foram decisivos para as contas finais do grupo”. Sabia-se que – após perspectivar os resultados que acabaram por ocorrer ante o Manchester United e Dinamo Kiev – que os jogos com italianos iriam determinar se o Sporting estaria na fase seguinte ou não. A sorte, porém, não acompanhou os “leões”, nomeadamente em Alvalade, e a passagem aos oitavos-de-final ficou pelo caminho.

No que concerne ao Benfica, uma pré-época complicada, que culminou com a saída de Fernando Santos e a, consequente, entrada de José António Camacho para o comando técnico. O técnico espanhol encontrou uma equipa nova, com poucas rotinas de jogo. A sorte acabou por não acompanhar os “encarnados”, que, apesar de boas exibições com o Milan e o Celtic, ficaram-se pelo terceiro lugar. Ainda conseguirão os objectivos mínimos, o que muitos perspectivavam impossível, sob uma temperatura de 10º negativos.

Para os rivais de Lisboa, apenas resta dar o seu melhor na Taça UEFA. Vencer a competição é difícil, tendo em conta o valor de adversários como o Bayern Munique, Atlético de Madrid e Werder Bremen, mas não impossível, e recorde-se que ambos os emblemas já foram finalistas da UEFA no passado.

Para uma melhoria da posição portuguesa no Ranking da UEFA era importante que o Sp. Braga se juntasse a Sporting e Benfica na próxima eliminatória. Os bracarenses têm obrigatoriamente de vencer o Estrela Vermelha para estarem presentes dezasseis-avos-de-final e, tal como os restantes emblemas nacionais, sonhar em alcançar algo que é difícil, mas não impossível.

*Editor de Desporto

Milan vence titulo de melhor do mundo

Dezembro 19, 2007

João Fragata

Muitos já o diziam que sim, e essa teoria começa a comprovar-se cada vez mais depois do Milan ter vencido mais uma competição. Desta vez, os italianos, com a grande ajuda de Kaká, levaram de vencida o Boca Juniors por 4-2, vencendo o Campeonato Mundial de Clubes, sendo a 1ª equipa europeia a ganhar desde a sua reestruturação.

imagens_106985.jpg

Depois de já se ter chamado Taça Intecontinental e Taça Toyota, o campeonato mundial de clubes une agora todos os campeões dos vários continentes.

Este ano os participantes foram o Urawa Reds, que participou como sendo o campeão da liga onde o campeonato teve lugar (Japão) abrindo vaga ao vice-campeão da Ásia, o Sepahan do Irão. Participaram também o Milan como Campeão Europeu, o Boca Juniors como campeão Americano, o Pachuca como vencedor da Taça Concacaf, o Étoile du Sahel como campeão de Africa e ainda o Waitakare United, campeão da Oceania.

No jogo preliminar o Sepahan venceu o Waitakare por 3-1 e qualificaram-se para os Quartos de Final. Aí defrontaram e perderem com os anfitriões Urawa Reds pelo mesmo resultado enquanto o Etoile du Sahel venceu os mexicanos do Pachuca pela margem mínima, por 1-0.

Nas meias-finais entraram os campeões europeu e americano e ambos venceram por apenas 1-0. O Boca Juniors venceu o Etoile du Sahel com um golo de Neri Cardozo enquanto que os campeões europeus venceram os Urawa Reds com um golo do holandês Clarence Seedorf.
No jogo do apuramento dos 3º e 4º lugares os japoneses, a jogarem em casa conseguiram o 3º lugar vencendo nas grandes penalidades por 4-2, depois do jogo ter acabado empatado 2-2.

Na final o Milan dominou o Boca e venceu por 4-2, com golos de Inzaghi (2), Nesta e Kaká, enquanto que o Boca beneficiou de um auto golo de Ambrosini e marcou por Palacio. O Milan torna-se assim o campeão Mundial. Kaká mostrou que continua em alta, ter sido “responsável” pela vitória dos italianos, e depois de ter ganho a Bola de Ouro, foi considerado o melhor jogador da final e do torneio.

Era uma vez … Kaká

O jovem jogador brasileiro continua a provar porque é considerado por muitos (incluindo a France Football) como o melhor jogador do mundo e a mostrar que é peça fundamental no Campeão euroepeu.

Desta vez o jogador fez uma exibição de luxo contra os argentinos do Boca Juniors e foi o principal responsável pela vitória dos italianos no campeonato mundial de clubes.
O Milan entrou bem no jogo e logo aos 21’ Kaká (quem mais) abriu o festival, fazendo um grande passe depois de insistência para o veterano Inzaghi que continua a mostrar que é um dos grandes avançados mundiais.

Contudo, logo de seguida Rodrigo Palacio reduziu de cabeça após a marcação de um canto.
Depois do intervalo, o Milan mostrou a sua superioridade e logo aos 50’ Nesta após um livre de Ambrosini marcou um grande golo e colocou o Milan novamente na frente.

Mas Kaká queria mostrar que não se tinha ficado pelo passe do golo e depois de uma grande jogada que merecia golo, redimiu-se aos 61’ numa jogada individual, a correr uma boa parte do campo argentino até finalizar e colocar o resultado em 3-1.

Logo depois aos 70’ o brasileiro continuou a mostrar o seu talento, desmarcando de novo “Pipo” Inzaghi, deixando o italiano com nada para fazer sem ser empurrar para o fundo da baliza.

O Milan vence assim pela primeira vez o campeonato mundial de clubes desde a sua reformulação e torna-se assim no campeão Mundial, muito graças ao talento de Kaká.

Foto: Record

Porto vence grupo, Sporting despede-se com vitória

Dezembro 19, 2007

Filipa Lopes

O FC Porto é o único clube português que continua a lutar pelo ceptro de Campeão da Europa, depois de vencer o Besiktas por 2-0 no Estádio do Dragão e garantir o 1º lugar de um grupo onde o grande favorito, o Liverpool, se quedou em 2º lugar. Ao Sporting, depois de garantida a presença na Taça UEFA, mal menor, graças à vitória, na jornada anterior, da Roma sobre o Dínamo de Kiev, restava apenas a procura da vitória no jogo contra os ucranianos como forma de garantir prestígio e enriquecer os cofres do clube. Conseguiu-o, tal como já tinha conseguido o Benfica, na semana anterior, ao derrotar por 2-1, fora, os também ucranianos do Shaktar Donetsk, carimbando dessa forma a presença na segunda prova clubística mais importante do Velho Continente.

champions.png

Nos oitavos, os «clientes do costume»

Sem espinhas. Assim se poderá classificar o trajecto do FC Porto nesta 1ª Fase de grupos da Champions League. Apesar da surpreendente e pesada derrota, por 4-1, em Anfield Road, na penúltima jornada da competição, os portistas foram a equipa mais consistente do grupo, aquela que melhor futebol praticou e a que mais mereceu, por isso, a conquista do 1º lugar do grupo A.

O jogo com o Besiktas começou morno. Os jogadores portugueses sabiam que o empate bastava para alcançar os oitavos-de-final da prova, e apostaram num jogo algo contido, apesar de Quaresma e Tarik terem proporcionado a Rustu, aos 3’ e 4’ minutos respectivamente, as primeiras grandes defesas da noite. Os turcos não aproveitaram a pouca agressividade portista, ou não o souberam fazer, e já ao cair da 1ª parte, após novas grandes defesas do guarda-redes turco a remates de Bosingwa, o FC Porto beneficiou de um erro infantil de Rustu, que encarnou por alguns segundos em fiscal-de-linha, para fazer o 1-0 por intermédio de Lucho González e sossegar os 39.000 corações azuis que vibravam no Estádio do Dragão.

A partir daqui, tudo se tornou mais fácil. O Besiktas voltou, após ao intervalo, com vontade de mudar o jogo, mas nunca apresentou argumentos para tal. Ainda ameaçou, logo no primeiro minuto, com um remate de Serdar Ozkan superiormente defendido por Helton, mas seria o FC Porto a matar de vez a partida, aos 66 minutos, com um bonito golo do inevitável Quaresma.

Após garantida a tranquilidade, Jesualdo Ferreira deu ainda minutos de jogo a Hélder Postiga, a Marek Cech e a Bollati, e o jogo desenrolou-se até ao final sem incidências de maior.
Estavam garantidos assim os 11 pontos (3 vitórias, 2 empates e 1 derrota), que permitem agora ao FC Porto evitar o confronto com grandes equipas europeias como o Inter de Milão, o Real Madrid ou o Manchester United (vencedor do grupo do Sporting).

E já que se fala em Sporting…

Num Estádio de Alvalade meio despido (apenas 19.000 espectadores compareceram à despedida do Sporting da Champions – o pior registo de sempre para esta competição no novo Alvalade) o Sporting venceu o Dínamo de Kiev por 3-0 e mostrou que, com um pouco mais de sorte e experiência, poderia ter alcançado outros resultados nesta competição.

Sem nada a perder e ainda com algum dinheiro a ganhar, a equipa de Paulo Bento entrou em campo com 3 modificações face à equipa apresentada no jogo com o Louletano, para a Taça de Portugal: Miguel Veloso e Romagnoli, habituais titulares, cederam os seus lugares a Adrien Silva e Farnerud, enquanto Liedson voltou à equipa após castigo do treinador, ocupando o lugar de Simon Vukcevic.

E foi o Sporting quem assumiu sempre o controlo do jogo, mas não o domínio. Jogando quanto baste, foi acumulando oportunidades de golo desperdiçadas por Purovic até que, aos 35’ minutos, Liedson sofreu uma carga evidente na grande área e o árbitro assinalou de imediato penalty. Anderson Polga redimiu-se da falha contra a União de Leiria e assinou o seu primeiro golo em Alvalade, o 2º na Liga dos Campeões e, curiosamente, o 2º frente do Dínamo de Kiev.

Após o intervalo, o Sporting perdeu o domínio de jogo e o Dínamo ainda chegou a ameaçar a baliza de Rui Patrício, mas aos 67’ minutos, João Moutinho, o capitão de equipa, devolveu a estabilidade aos colegas, ao rematar para o fundo das redes de Lutsenko, colocando o marcador em 2-0. Dez minutos depois, e após suberbo cruzamento de Miguel Veloso, que entretanto ocupara o lugar de Ronny na lateral esquerda, Purovic, de cabeça, quase fez o 3-0, mas Gravancic tirou a bola quase sobre a linha de baliza e evitou que o avançado montenegrino se estreasse a marcar na Champions.

Mas o jogo não acabaria sem novo golo e sem um grande susto: Aos 89 minutos, após grande lançamento de Vukcevic, Liedson fica na cara do guarda-redes Lutsenko e marca o seu quarto golo na Liga dos Campeões. O avançado leonino e o guardião, que se tocaram na disputa do lance, necessitam ser assistidos pelas respectivas equipas médicas e o brasileiro do Sporting tem mesmo que abandonar o jogo, com fortes queixas no joelho. O jogo chegaria ao fim 4 minutos depois.

Na presente edição da “Champions” o Sporting venceu os dois jogos com o Dínamo de Kiev, empatou em casa com a AS Roma, e perdeu na visita à equipa romana e nos dois encontros com o Manchester United, totalizando 7 pontos e alcançando a sua melhor prestação na história da competição.

Pré-convocados já são conhecidos

Dezembro 19, 2007

João Fragata

Já saíram os pré-convocados, bem como as datas dos estágios, jogos de preparação e jogos de qualificação para o Play-Off do Campeonato do Mundo de 2009. Os jogadores portugueses não vão poder abusar muito nos festejos do Natal, visto que se juntam no dia 26, para iniciarem a preparação para (esperemos) se qualificarem no Play-Off.

andebol.jpg

Portugal está no grupo 6 da qualificação para o Play-Off para o Mundial de 2009 na Croácia. Para isso terá que se bater com a Macedónia e com a Bulgária. Para se preparar para o combate com as congéneres de leste, os jogadores Portugueses iniciam um estágio no dia a seguir ao Natal, que se prolongará até dia 27 na Costa da Caparica. De seguida, seguirão para a Suíça onde participarão na Yellow Cup para participarem na Taça juntamente com Tunísia, Bosnia-Herzegovina, para além da anfitriã.

Como não festejam o Natal, também não se vão poder exceder no Ano Novo, pois entram de novo em estágio no dia 1 de Janeiro, para depois a dia 3 jogarem com a Bulgária no Peso da Régua e a dia 6 em Varna.

Depois entram mais uma vez em estágio de dia 10 até dia 15, no qual se inclui a participação na Posten Cup na Noruega. Seguidamente partem para a Macedónia para continuar a caminhada para o Play-Off. No dia 17 de Janeiro jogam em Skopke e dois dias depois encontram-se outra vez em Guimarães.

A pré-convocatória dos Selecionadores Mats Olsson e Thomas Sivertsson é composta por 24 jogadores, com a particularidade de um terço dos jogadores serem do FC Porto. Para além dos dois técnicos, os jogadores serão avaliados e apoiados de perto por Luis Pinto, o fisioterapeuta e ainda o secretário técnico José Casaleiro.

Os convocados são:
1 HUGO FIGUEIRA – BELENENSES
2 RICARDO CANDEIAS – FC PORTO
3 JOÃO FERREIRINHO – BENFICA
4 DARIO ANDRADE – ABC BRAGA
5 PEDRO SOLHA – FC PORTO
6 JOSÉ COSTA – ABC BRAGA
7 MANUEL AREZES – FC PORTO
8 TIAGO ROCHA- FC PORTO
9 RICARDO MOREIRA – FC PORTO
10 JORGE SOUSA – S. BERNARDO
11 DAVID TAVARES – ALMERIA
12 RICARDO COSTA – ADEMAR LEON
13 HUGO ROCHA – ABC BRAGA
14 ÁLVARO RODRIGUE S – FC PORTO
15 NUNO PEREIRA – S. BERNARDO
16 JOÃO LOPES – BENFICA
17 BOSKO BJELANOVIC – FC PORTO
18 LUÍS BOGAS – ABC BRAGA
19 CARLOS CARNEIRO – BENFICA
20 NUNO ROQUE – SPORTING
21 CARLOS MARTINGO – FC PORTO
22 JOÃO PINTO – SPORTING
23 EDUARDO SALGADO – ISAVE
24 INÁCIO CARMO – S. BERNARDO

Sem grandes surpresas

Dezembro 19, 2007

Miguel Pereira

Uma eliminatória sem surpresas. Os grandes continuam em prova, bem como todas as equipas todas as equipas da Bwin Liga que defrontaram clubes de escalão inferior. Sensação apenas no Sertanense – Portimonense, onde a equipa da Sertã, que milita na terceira divisão eliminou o Portimonense, da Liga Vitalis, com um resultado de 2-1, após prolongamento.

taca.gif

Na noite de sexta-feira, o bicampeão nacional, FC Porto, entrou em acção em Chaves. Contra uma equipa da II Divisão, era preciso apagar os fantasmas do Fátima e do Atlético. Os “dragões” foram naturalmente superiores, com Hélder Postiga e Adriano a traduzirem o favoritismo portista em golos.

No sábado, foi a vez do Sporting, mergulhado numa crise, golear, por 4-0, o Louletano, também da II Divisão. Com Liedson fora dos eleitos de Paulo Bento, foi a vez de Purovic brilhar, com dois golos. Nesse mesmo dia, Nacional e Leixões impuseram a sua experiência e golearam Cova da Piedade e Torreense, respectivamente. Num confronto entre equipas do escalão maior do futebol português, a lotaria dos penalties acabou por ser favorável ao Paços de Ferreira, no Estádio do Restelo.

Para o domingo ficaram os restantes jogos. Destaque para as imensas dificuldade sentidas por Braga e Estrela da Amadora em eliminar Camacha e Fátima, respectivamente, bem como para o vitória do Benfica ante a Académica, com dois de Cardozo, que começa a justificar o investimento feito na sua contratação.

A próxima eliminatória está marcada para 20 de Janeiro.

Eis a lista completa dos resultados:

Chaves 0-2 FC Porto
Leixões 4-0 Torreense
Nacional 5-0 C. Piedade
Sporting 4-0 Louletano
Belenenses 2-2 (4-5)g.p. P. Ferreira
Atlético 0-1 V. Guimarães
Oliveirense 4-0 Mondinense
Operário 0-1 (a.p.) V. Setúbal
Valdevez 3-1 (a.p.) U. Tocha
Serzedelo 0-3 Naval
Feirense 4-1 Lusitânia
Real 0-1 Desp. Aves
Carregado 1-2 Olhanense
Lagoa 3-2 Santa Clara
Infesta 1-2 Juv. Évora
Messinense 0-2 (a.p.) Gil Vicente
Moreirense 4-0 Machico
Beira-Mar 0-0 (3-2)g.p. Moncorvo
Abrantes 0-0 (6-5)g.p. Monsanto
Anadia 1-0 Freamunde
Sertanense 2-1 (a.p.) Portimonense
Penafiel 2-1 Vizela
U. Leiria 2-0 Nelas
Est.Amadora 4-2 (a.p.) Fátima
Camacha 2-3 Sp. Braga
Rio Ave 6-1 Rebordosa
Benfica 3-1 Académica