Archive for the ‘7ªedição’ Category

Caso Bosman no Ciclismo?

Novembro 11, 2007

João Fragata

Jean-Marc Bosman foi na década passada, uma pessoa muito importante para o futebol europeu. Não por ser um grande futebolista (era praticamente desconhecido), mas porque contestou na justiça civil as regras de transferências no futebol, o que originou uma tremenda revolução na circulação livre de futebolistas estrangeiros na UE.

edtt-vinosits.jpg

Ora, essa revolução foi permitida graças à mestria de Luc Misson, o advogado que agora pretende revolucionar a regulação de anti-dopagem no ciclismo. Como? Misson foi contratado pelo ciclista Andrei Kashechkin, acusado de dopagem, e que quer agora mostrar que as regras antidopagem violam os direitos humanos, estando disponível ir até ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.

No passado dia 1 de Agosto, o russo foi submetido a um controlo extra-competição pela União Cicilista Internacional (UCI), quando se encontrava na Turquia. Nessa análise foi reconhecida uma transfusão de sangue com dador compatível, uma técnica que dias antes tinha sido apanhada no líder da equipa de Kashechkin, o cazaque Alexandre Vinokurov. Podendo apanhar 2 anos de suspensão, eis que o russo, através do seu advogado, pretende lutar pelos direitos humanos, dizendo que a sua defesa se baseia na Convenção Europeia dos Direitos do Homem, em especial nos artigos sexto e oitavo e contestando a legitimidade da UCI, como organismo privado, para realizar controlos antidoping, achando que apenas organismos públicos deverão ser capazes desses controlos, o que não é o caso dos médicos das brigadas antidoping da UCI, e que os testes devem ser “livremente aceites por quem é visado”.

Misson parece também mais interessado no protagonismo causado com este caso, de modo a conseguir atingir uma escala europeia ou mesmo mundial. Segundo o jornal Público, Misson deixa claro que “se perdermos, iremos para o tribunal de apelo, depois para o tribunal supremo e depois para o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem. E aí estaremos numa posição muito boa, pois a decisão terá efeitos europeus e talvez mundiais.”

Esta revolução poderá, tal como no futebol, ter graves consequências, sendo que o fim dos controlos extracompetição acabará com a forma mais fácil de apanhar quem se dopa, porque antes de os haver, a táctica era dopar os ciclistas nos treinos, sendo que esses treinos seriam feitos de modo a dissipar quaisquer vestígios das substâncias ilegais.

Estaremos então perante o novo Bosman?

Fontes: Públco e Infordesporto

Anúncios

Pepe e M. Fernandes novidades para o derradeiro “mata-mata”

Novembro 11, 2007

Filipa Lopes

Não foi isenta de polémica a convocatória de Scolari para os próximos compromissos da selecção nacional, que enfrenta, a 17 e 21 de Novembro, as congéneres da Arménia e Finlândia, respectivamente. A nota de destaque vai, naturalmente, para a chamada de Pepe, recuperado que está o defesa-central da lesão que o apoquentou nas últimas semanas e que o afastou, de resto, da primeira convocatória em que constou.

est_global2.jpg

O brasileiro naturalizado português vai assim, provavelmente, estrear-se com a camisola das Quinas, nos 2 últimos jogos de qualificação; confrontos estes que se revelam decisivos para o apuramento de Portugal para o Europeu de 2008.
Realce ainda para os regressos de Caneira, tal como Pepe recuperado de uma lesão, e de Manuel Fernandes, que volta às opções de Scolari dois anos e meio depois da última chamada.

Deco, Duda e Paulo Ferreira estão de fora por lesão, enquanto Makukula e os jovens Nani e Miguel Veloso firmam cada vez mais o seu espaço nesta selecção.

Ausentes estão ainda João Moutinho (nos sub-21) e Tonel, por opção.

Eis a lista completa:
Atlético Madrid: Maniche e Simão Sabrosa;
Benfica: Nuno Gomes e Quim;
Boavista FC: Jorge Ribeiro;
Chelsea FC: Ricardo Carvalho;
CS Marítimo: Makukula;
FC Porto: Bosingwa, Bruno Alves, Raul Meireles e Ricardo Quaresma;
Manchester United FC: Cristiano Ronaldo e Nani;
Real Bétis: Ricardo;
Real Madrid CF: Pepe;
Sporting CP: Miguel Veloso;
SV Werder Bremen: Hugo Almeida;
Valência CF: Caneira, Manuel Fernandes e Miguel;
VFB Stuttgart: Fernando Meira.

Fonte e Foto: Federação Portuguesa de Futebol

Moutinho regressa para duelo com ingleses

Novembro 11, 2007

Filipa Lopes

Rui Caçador divulgou na passada quinta-feira a lista de convocados para o encontro frente à Inglaterra, jogo de qualificação para o Campeonato da Europa de Sub-21, que se realiza a 20 de Novembro, no Estádio Municipal de Águeda, pelas 21h00.

est_global1.jpg

No regresso de João Moutinho (o Sporting é, aliás, o clube com mais nomes nesta convocatória) destacam-se as chamadas de Bruno Gama, Bruno Pinheiro, João Ribeiro e Carlos Saleiro, pela primeira vez convocados para representar os sub-21, depois de já terem marcado, por diversas vezes, presença nos sub-20.

Eis a lista completa de convocados:
Associação Académica de Coimbra: Hélder Barbosa;
Associação Naval 1º Maio: João Ribeiro;
AS Roma: Antunes;
Boavista FC: Bruno Pinheiro;
CD Fátima: Carlos Saleiro;
CD Nacional: João Moreira;
CF ‘Os Belenenses’: Gonçalo Brandão;
Fulham FC: Ricardo Batista;
GD Estoril Praia: Celestino;
Inter de Milão: Pelé;
Leixões SC: Paulo Machado e Vieirinha;
Portimonense SC: Nuno André Coelho;
Sporting CP: Bruno Pereirinha, João Moutinho, Rui Patrício e Yannick;
UD Salamanca: Vasco Fernandes;
Vitória FC de Setúbal: Bruno Gama;
Vitória SC de Guimarães: Targino

Fonte e Foto: Federação Portuguesa de Futebol

SJPF cria prémio para melhor clube

Novembro 11, 2007

logo_sjpf.gif

Cláudia Bragança

O Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol vai apresentar o Prémio Melhor Clube de Portugal.

Este prémio irá consistir em atribuir uma distinção ao clube/SAD da Bwin Liga e Liga Vitalis que apresente melhores práticas na sua direcção financeira.

Numa altura em que se fala frequentemente de clubes com dívidas fiscais e à Segurança Social, bem como incumprimentos salariais, esta iniciativa pretende ganhar importância face a esta realidade.

Laurentino Dias, Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, irá apresentar e explicar os critérios a ser usados na atribuição deste prémio, em conferência de imprensa.

Fonte: Infordesporto

Mealhada investe no Andebol

Novembro 11, 2007

João Fragata

No próximo dia 13, a Câmara Municipal da Mealhada e a Federação Portuguesa de Andebol (FPA) vão assinar pelas 15h, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, um protocolo para a realização de um Plano de Desenvolvimento do Andebol naquele concelho.

andebol.jpg

Como de pequenino é que se torce o pepino, a ideia destas duas entidades é promoverem o interesse da modalidade no concelho, com especial atenção aos alunos do 1º ensino básico escolar, visto que o plano será integrado no Programa de Actividades de Enriquecimento Curricular promovido pela autarquia.

A partir da assinatura do documento, o Município fica encarregue de criar condições para a criação de Escolas de Andebol, fornecendo transportes e instalações, assim como enquadramento técnico. Fica também encarregue de organizar encontros escolares da modalidade, inscrevendo sempre os participantes neste programa.

Por sua vez a FPA, garante o seguro desportivo a todos os participantes no projecto cria condições para a criação das Escolas, apoia os docentes que decidam integrar o Programa de Enriquecimento Curricular e garante a realização de reuniões e colóquios sobre a modalidade.
Outra das possibilidades é a de começarem a realizar-se estágios e até jogos da Selecção Nacional no Município, e também a atribuição anual de uma prova regional.

Este apoio é importante para o desenvolvimento da modalidade, que não sendo tão popular como o futebol, tem tido vários protocolos semelhantes, como o da C.M Estarreja e A Associação de Andebol de Aveiro, que faz com que se preveja aqui o início de uma nova era, permitindo a continuação prolongada e profissionalizada da modalidade.

Fonte e foto: Infordesporto

Sai Paulo Duarte entra Vítor Oliveira

Novembro 11, 2007

Francisco Reis

Depois de termos noticiado o abandono do comando técnico do Sporting de Braga por parte de Jorge Costa, esta semana somos obrigados a falar da quinta “chicotada psicológica” da presente época. E se Jorge Costa foi despedido pelo presidente do clube, Paulo Duarte despediu-se do Leiria.

paulo-duarte.jpg

Após 9 jornadas disputadas na nossa Liga, os homens de Lis estão posicionados no último lugar – um arranque francamente mau para uma formação com a tradição da União Desportiva de Leiria, habitualmente na luta por uma vaga europeia. Diga-se em abono da verdade que este foi o pior começo de campeonato de sempre desta equipa, com 3 empates e 6 derrotas.

A derrota caseira agudizou o problema e levou Paulo Duarte a demitir-se. Antes de se tornar treinador principal da União de Leiria, foi jogador do clube durante vários anos e foi adjunto de Vítor Pontes, Jorge Jesus e mais recentemente de Domingos Paciência.

Depois de concluir a temporada transacta na 7ª posição e de ter levado os seus pupilos à Taça UEFA através da Taça Intertoto, Paulo Duarte reuniu com o presidente (seu genro) para acertar a saída. João Bartolomeu já havia dito que não equacionava a saída do treinador mas tendo a vontade partido do próprio, o cenário alterou-se e a ruptura – amigável, diga-se – consumou-se.

Paulo Duarte disse aos jornalistas que, estando o clube na situação em que está, teria que haver uma mudança: “Sou profissional do clube há muitos anos e sinto-o como um adepto. Entendi que a minha presença não estava a ser benéfica para a instituição que apostou em mim. Não quero hipotecar o futuro do clube por causa de um capricho pessoal”. Acrescenta que “a vitória dita todo o percurso de um treinador e as coisas não aconteceram favoravelmente”. Prosseguiu dizendo que “tacticamente, a equipa está bem, mas há muitas falhas individuais. Isso acabou por ditar esta situação. Alguns jogadores não reúnem características adequadas para uma equipa como a União”. O treinador não descarta a possibilidade de se manter nos quadros do clube com outra função, contudo é mais provável que rume a outras paragens para continuar a sua carreira.

O nome do sucessor surgiu logo no dia seguinte: Vítor Oliveira, nome mais fortemente vinculado pela imprensa, foi o escolhido. Espera-se agora que este treinador da “velha guarda” consiga fazer a União Leiria regressar às vitórias, deixando de ser “lanterna vermelha”. Recorde-se que este homem já esteve no clube e foi ele quem, em 1997/98, subiu com o Leiria ao escalão máximo do futebol português, com a conquista da Liga de Honra.

vitoroliveira05.jpg

Quando chegou, Vítor Oliveira disse: “Espero ter aqui o mesmo sucesso que tive da primeira vez, em que consegui os objectivos e com algum brilhantismo até”. “Partimos com algum atraso, mas se o empenhamento for total da equipa técnica, administração, mas fundamentalmente dos jogadores, sairemos desta situação”, disse. Em relação aos jogadores, acrescentou que eles “têm uma responsabilidade grande nesta classificação e serão eles que terão uma responsabilidade grande se sairmos desta situação desagradável”.

O próximo jogo dos leirienses, jogo de estreia para Vítor Oliveira ao leme, é contra a Naval, na Figueira da Foz.

Fontes: Jornal de Notícias, Record, Sic Online, Mais Futebol

Manuel Machado para retomar a rota europeia

Novembro 11, 2007

Miguel Pereira

Falou-se em diversos nomes vindos do estrangeiro, como Emerson Leão e Laslo Boloni, mas a escolha de António Salvador acabou por ser Manuel Machado, um treinador português, devido às exigências financeiras

machado02.jpg

Está assim escolhido o sucessor de Jorge Costa, que tem como missão recolocar o Sp. Braga na rota europeia e fazer com a equipa volte ás boas exibições.

O ex-técnico da Académica terá como adjuntos José Augusto, Virgílio Vidal e Francisco Vital, e o preparador-físico será José Pedro

A estreia de Manuel Machado no banco dos minhotos acontecerá na deslocação a Leiria, para a 11ª jornada. O novo treinador bracarense deverá aproveitar o interregno por causa das selecções nacionais para conhecer melhor o grupo de trabalho.

Fonte: O Jogo

Liga dos Campeões: Jornada 4

Novembro 11, 2007

Francisco Reis

Liverpool 8-0 Beşiktaş

Que grande goleada! Perante os números, nada há a dizer em possível defesa dos turcos: ao que parece, levaram um “banho de bola”. A primeira parte acabou com um resultado mais ou menos normal: 2-0. Até ao intervalo, somente Peter Crouch e Benayoun tinham facturado. Na segunda parte, os reds abriram caminho para a história da competição, batendo o recorde de golos marcados num só jogo da Liga dos Campeões. O israelita Benayoun fez mais dois e consumou um hat-trick; depois o capitão Gerrard também fez o gosto ao pé. Seguiu-se um bis de Ryan Babel e, já no fim do tempo regulamentar, Peter Crouch aumentou para 8-0, marcando assim o primeiro e último golo do encontro. Memorável para os britânicos (que tinham mesmo que ganhar); humilhante para os turcos.

Porto 2-1 Marselha

lc_a_porto.jpg

O Porto venceu e fê-lo com justiça. No Estádio do Dragão, os azuis e brancos tiveram alguma dificuldade em impor o seu jogo logo de início, como tem vindo a ser hábito em todas as partidas. Porém, quando as equipas encaixaram, passaram a ser os bicampeões nacionais portugueses a dominar os acontecimentos, ainda que sem o brilhantismo que poderiam ter com Lucho em campo. Foi num momento de grande classe e pura magia que o Porto se adiantou no marcador: Tarik Sektioui ultrapassou vários adversários, incluindo o guarda-redes, e, numa arrancada maravilhosa, fez o 1-0. Logo a abrir o segundo tempo, Stepanov concedeu demasiado espaço ao avançado Niang (deveria ter sido expulso no jogo anterior e consequentemente não deveria ter marcado presença neste jogo), que restabeleceu a igualdade. O Porto acelerou e Lisandro López, depois de um cabeceamento à barra, fez o segundo para os da casa, demonstrando mais uma vez estar num momento de forma soberbo. Até final, os portistas sufocaram os franceses. O Porto passa, deste modo, para a liderança do grupo A, seguido do Marselha.

Grupo B

Schalke 04 0-0 Chelsea

No Arena AufSchalke, em Gelsenkirchen, estádio que tão boas recordações trás ao futebol português (foi lá que o Porto conseguiu sagrar-se campeão europeu em 2004), o Schalke 04 e o Chelsea não conseguiram marcar golos e o jogo terminou empatado 0-0. Foi um jogo relativamente equilibrado mas o maior pendor ofensivo da equipa alemã poderia ter sido suficiente para reduzir a desvantagem pontual em que se encontra em relação aos blues, que continuam a comandar o grupo. Valeu a solidez defensiva ao Chelsea, que tem que continuar a trabalhar para garantir matematicamente a presença nos oitavos-de-final.

Valência 0-2 Rosenborg

lc_b_rosenborg.jpg

O Rosenborg continua na mó de cima. No Mestalla, o Valência não conseguiu vencer os noruegueses, que discutiram taco a taco o resultado. Nem Caneira, nem Miguel, nem Manuel Fernandes, todos totalistas neste jogo, conseguiram fazer da estreia europeia de Ronald Koeman ao serviço dos espanhóis positiva. O verdadeiro culpado de tudo isto foi Iverson, autor dos dois golos nórdicos, aos 31 e 58 minutos. O Rosenborg está, assim, à frente de nomes como o Schalke 04 e o Valência e em posição de passagem aos oitavos-de-final.

Grupo C

Lázio 2-1 Werder Bremen

A Lazio conseguiu três preciosos pontos em casa, que garantem, desde já, o segundo lugar no grupo C. No Olímpico de Roma, os golos só apareceram nos segundos quarenta e cinco minutos. Foi com dois tentos de Rocchi que os italianos se adiantaram no marcador e já nem uma grande penalidade convertida por Diego aos 88 minutos valeu aos alemães de Bremen, que passam a ocupar o último posto do grupo.

Olympiacos 0-0 Real Madrid

lc_c_real.jpg

O Real Madrid tem estado forte na Liga dos Campeões (ainda não perdeu), daí que se possa considerar que o Olympiacos conseguiu um bom resultado, ao empatar com os campeões espanhóis em casa. O guardião grego Nikopolidis acabou por ser a figura do encontro ao efectuar defesas de grande nível, segurando o precioso ponto para a formação helénica. O Real Madrid jogou melhor mas a raça e a determinação dos seus adversários resultaram numa divisão de pontos.

Grupo D

Shakhtar 0-3 Milan

Depois de duas vitórias, duas derrotas. É esta a série de resultados dos ucranianos do Shakhtar, que não se conseguiram superiorizar aos actuais detentores da Liga dos Campeões em nenhum dos dois jogos disputados. Depois do 4-1 em Milão, foi a vez do 3-0 em Donetsk. A vitória começou a ser fabricada no último terço do jogo quando Filippo Inzaghi marcou o primeiro. Seguiu-se um golo de Kaká e já no tempo de descontos, Pippo igualou a marca de golos Gerd Muller nas competições europeias, 62, fazendo o segundo da contagem pessoal e o terceiro da equipa.

Celtic 1-0 Benfica

lc_d_benfica.jpg

No Celtic Park, em Glasgow, disputou-se um jogo renhido e equilibrado cujo vencedor foi o mais feliz na finalização. O Benfica bem se esforçou por chegar ao golo mas isso nunca veio a acontecer, muito por culpa de Cardozo, que desperdiçou duas oportunidades flagrantes. A equipa encarnada não foi inferior ao conjunto escocês mas acabou por sair do Reino Unido sem pontos. McGeady deu aos hoops o único golo do jogo, um golo cheio de sorte, já que a bola bateu num jogador benfiquista antes de ultrapassar a linha de baliza.

Grupo E

Lyon 4-2 Estugarda

O Lyon parece ter acordado e, depois de na jornada anterior ter ganho ao Estugarda, voltou a vencer contra o mesmo oponente. Ben Arfa marcou muito cedo, aos 6 minutos, e o segundo dos franceses, marcado por Kim Kallstrom, deixava antever um jogo calmo para os hexacampeões de França. Porém, o forte avançado Gómez fez o 2-1 logo de seguida, voltando a por os anfitriões em sentido. Ainda na primeira parte, Ben Arfa marcou novamente, colocando o placard em 3-1. Na segunda parte, houve um golo para cada equipa: primeiro para Gómez, o segundo homem do jogo a bisar, depois de Ben Arfa. Depois, já para lá dos 90, foi a vez de Juninho Pernambucano increver o seu nome na lista dos marcadores.

Barcelona 0-0 Rangers

lc_e_barcelona.jpg

O Barcelona permanece invicto e, com 10 pontos, tem praticamente assegurada a passagem à fase seguinte da prova. No Camp Nou, diante do Rangers, Henry e Messi fizeram os dois golos da vitória na primeira parte. O resultado até podia ser mais dilatado, porque a turma catalã, comandada pelo enorme Ronaldinho, se exibiu a um nível extraordinário, suprindo a ausência do luso-brasileiro Deco.

Grupo F

Manchester United 4-0 Dínamo de Kiev

O Manchester United venceu com muita facilidade o Dínamo de Kiev, nesta jornada, em Old Trafford. O começo da goleada deu-se quando o jovem Gerard Piqué fez o 1-0. Ainda na primeira parte, Carlos Tévez aumentou a contagem. O avançado inglês Wayne Rooney foi o autor do terceiro golo da noite e o quarto foi alcançado já perto do fim pelo português Cristiano Ronaldo. Um domínio avassalador que tornou os red devils a única equipa com 100% de vitórias nesta edição da Liga dos Campeões e a primeira a garantir o apuramento.

Sporting 2-2 Roma

lc_f_sporting.jpg

O outro jogo do grupo foi disputado em Alvalade e terminou com um empate a duas bolas. Um empate que sabe a derrota, no Reino do Leão. Cassetti colocou os romanos em vantagem à passagem do minuto 4 e as dificuldades tornaram-se ainda maiores para os leoninos. Porém, Liedson resolveu (ou assim parecia…) e com dois golos, aos 22 e 64 minutos, a vitória parecia não mais escapar aos vice-campeões portugueses. Engano. Parece que a sina dos grandes de Lisboa nesta jornada era não conseguir bons resultados fruto de golos carregados de sorte para os adversários. Este foi um deles. Pizarro remata, Polga toca de cabeça e a bola entra na baliza do Sporting. Um resultado injusto, já que os italianos, cínicos como sempre, não mereciam sair do nosso país com um ponto na bagagem.

Grupo G

Fenerbahçe 2-0 PSV

O Fenerbahçe continua forte nas competições europeias e ainda não saiu de nenhum jogo sem pontuar. Desta feita, fizeram três pontos diante do campeão holandês: o PSV Eindhoven. O jogo, em Istambul, ficou resolvido na primeira parte com dois golos: um na própria baliza, de Marcellis, e outro de Semih Şentürk. Até final, o marcador não conheceu alterações e os turcos estão a pouca distância dos oitavos-de-final.

Inter de Milão 4-2 CSKA de Moscovo

lc_g_inter.jpg

Em San Siro, o Inter levou de vencida a formação russa do CSKA de Moscovo. Não foi fácil. Jô e Vagner Love, dois brasileiros, marcaram e ninguém esperava que os italianos conseguissem marcar quatro golos e golear os homens de Leste. Ibrahimovic marcou imediatamente a seguir a Vagner Love e Cambiasso marcou imediatamente a seguir ao seu colega de equipa. Em quatro minutos, três golos e a igualdade restabelecida. Na segunda parte, foram os mesmos intérpretes a mexer com o jogo, primeiro marcou o argentino; depois o sueco. O jogo terminou e os três pontos conseguidos neste jogo garantem aos nerazzurri a quase passagem à próxima fase.

Grupo H

Steaua de Bucareste 0-2 Sevilha

lc_h_sevilha.jpg

Esta foi a jornada dos bis: depois de Peter Crouch, Ryan Babel, Iverson, Rocchi, Filippo Inzaghi, Ben Arfa, Gómez, Liedson, Ibrahimovic e Cambiasso, foi a vez de Renato fazer dois golos e assumir-se como o melhor jogador do encontro. Em Bucareste, o Steua local até fez um bom jogo e a superioridade dos espanhóis foi muito ligeira. Foi a eficácia do médio brasileiro que fez a diferença e colocou os bicampeões da Taça UEFA em posição privilegiada para seguir em frente na competição rainha do futebol europeu.

Slávia de Praga 0-0 Arsenal

O Slávia de Praga vinha de uma pesadíssima derrota no estádio do Arsenal mas voltou a provar que é capaz de encarar todos os adversários nos olhos, mesmo quando saem vexados duas semanas antes, num jogo contra a mesma equipa. Depois de um 7-0, até parece estranho dizer que as equipas se bateram de igual para igual, só que essa é a mais crua das verdades. E o resultado (0-0) prova-o. Este precioso ponto ganho pelos gunners na República Checa garantiu aos os pupilos de Ársene Wenger o passaporte para os oitavos-de-final.

Fonte: Uefa
Fotos: Futebol de Ataque

Esperança para uns, desilusão para outros

Novembro 11, 2007

João Fragata

As equipas portuguesas tiveram sortes diferentes na ronda europeia da Liga dos Campeões. Enquanto o Porto ganhou graças à inspiração de Sektioui, os leões empataram mesmo com o génio de Liedson. Já aos encarnados faltou-lhes o génio.

imagens_106750.jpg

O jogo até nem começou da melhor forma para os Leões que logo aos 4’ sofreram o primeiro golo do jogo. Casseti, que até jogou adaptado á esquerda, passou bem por Tonel e mesmo com a presença de Izmailov, rematou forte e ao angulo, sem hipóteses para Tiago.
Mesmo podendo pensar-se que o Sporting iria sucumbir rapidamente aos italianos, os leões até reagiram bem, e fizeram provavelmente a melhor exibição da época.

Tanto que aos 22’ Liedson (Quem mais?), com alguma sorte à mistura, restabeleceu a igualdade e a justiça ao jogo. Depois de um cruzamento de Izmailov, o central Mexés e o guarda-redes Doni não se entenderam, deixando a baliza aberta para o 101 golo do brasileiro para o Sporting. Marca histórica para o Levezinho. O Sporting não tirou o pé do acelerador e até podia voltar a marcar até ao fim da primeira parte por duas ocasiões, primeiro por Liedson, que acertou no lado errado das redes, e depois por Moutinho, já no final da 1º parte com o remate a rasar o poste.

Na 2ª parte tudo na mesma, o Sporting a batalhar para ganhar, e aos 64’ minutos, Liedson a bisar num grande golo, e a dar a esperança aos adeptos leoninos. Num canto, provavelmente estudado, uma troca de passes entre Romagnoli e Izmailov, resultaram num cruzamento forte do russo, bem concluído por um cabeceamento em voo do brasileiro, a meter a cabeça onde outros metem o pé. Quando tudo parecia encaminhado para a vitória leonina, veio o balde de água fria.

Num livre favorável à Roma, toda a gente ficou a espera do cruzamento para a àrea, mas Pizarro chutou, ressaltando na cabeça de Polga e acabando com a ilusão de toda a gente no Estádio Alvalade XXI. Um resultado injusto, que deixa os leões a necessitarem de ganhar em casa dos já qualificados Manchester United, e esperando um deslize da Roma.

imagens_106736.jpg

Ja no Estádio do Dragão a História foi diferente. Sem Lucho González (que falta faz naquele meio campo), os portistas não fizeram das melhores exibições da temporada, mas fizeram o que se lhes pedia, foram eficazes.

Não tiveram Lucho para a consistência, mas tiveram o brilho de Sektiou que aos 27’ (sim, esse mesmo que era para ser dispensado), foi desde o meio-campo, passou por 5 jogadores, mais o guarda-redes, marcando assim o 1º golo da noite, um golo que não teve nada a ver com o resto do jogo.

O jogo que até viu o Marselha em alguma superioridade durante largas partes do jogo (se bem que foi um jogo morno), e onde até poderia ter logo empatado num remate de Niang. O que faltou na primeira parte do Marselha (a finalização) veio logo no 2º tempo, e pelo mesmo Niang. Depois de uma apatia primeiro de Fucile, Bonnart cruzou para a cabeça do senegalês que, aproveitando a lentidão de Stepanov, cabeceou para o fundo das redes.

O momento do jogo foi quando Jesualdo Ferreira manda entrar Postiga, deixando Lisandro Lopéz mais solto. Primeiro ensaiou numa jogada em que, após cruzamento de Quaresma cabeceou por cima. Depois, no replay, o argentino (para quando a Selecção?) decidiu empurrar a bola para o sítio certo, dando assim os 3 pontos aos dragões, que assumiram assim o 1º lugar do grupo, precisando apenas de 2 pontos para chegar aos oitavos.

imagens_106743.jpg

Para terminar, temos o Benfica, que continua com os problemas de sempre, a finalização. No jogo para homens, como Camacho proferiu, os encarnados fizeram-se meninos á frente da baliza, e também na disciplina.

Os encarnados tiveram em Cardozo (quem mais?) que ao longo do jogo fez os adeptos desesperar pelos 20 golos prometidos.

Em Parkhead, estádio não muito favorável para as equipas portuguesas, os portugueses tentaram alterar essa tendência, tendo logo de início tentar controlar o jogo, onde os escoceses tentaram gerir sempre sem muito esforço, tentando mais defender que controlar. Logo aos 7’ começou, o festival Cardozo que desferiu um remate forte e colocado mas sem sorte.

Depois, Edcarlos regressado ao eixo da defesa, com um mau passe, “obrigou” Rui Costa a fazer um livre, que viu Kennedy, sem marcação a rematar ao lado.
Até ao fim da 1ª parte, o Celtic começou a acordar e aos 17’ e 22’ valeu às águias a atenção de Quim (para quando a titularidade da selecção?) defendendo dois fortes remates. Contudo nem o guarda-redes valeu quando, quase no fim da 1ª parte McGeady, atirou forte ressaltando em Luisão, o que enganou Quim e colocou os católicos na frente.

Na 2ª parte, ao contrário do que se esperava, o Benfica não veio mais atacante, mas continuou a tentar a vitória. Contudo, para variar, Cardozo continuou com a malapata e teve mais algumas oportunidades na 2ª parte, que desperdiçou.

Até ao fim do jogo, destaque ainda para Quim, continuando a defender bem a baliza dos encarnados que defendeu bem a remate primeiro de Scott Brown aos 70’ e quase no fim do jogo, a remate de McGeady. Já quase no fim também, continuaram os meninos a aparecer, desta vez foi Binya, que numa entrada sem explicação nenhuma levou vermelho e foi descansar mais cedo.

Com isto, o Benfica complicou cada vez mais a participação na Liga dos milionários, e está obrigado a vencer aos italianos do Milan, e aos ucranianos do Shakhtar, e fica dependente dos outros.

Sorte diferente portanto para as equipas portuguesas, que assim têm que suar para passar aos oitavos (Benfica e Sporting), excepção para os campeões nacionais, que podem assim depender de si próprios.

Fotos: Record

Figo pára dois meses

Novembro 11, 2007

Miguel Pereira e Cláudia Bragança

Decorria o minuto 55 no Juventus – Inter, quando um pequeno toque de um jogador deixa um adversário no chão. O jogador caído era Luís Figo, que, ao receber um toque de Pavel Nedved, teve de abandonar o jogo.

figo.jpg

O internacional português acabou por facturar o perónio da perna direita e chegou a temer-se o pior, eventualmente que a lesão obrigasse o jogador a acabar a carreira. Felizmente, o tempo de paragem não será tão grande como se esperava, sendo que em Dezembro o português deverá estar em condições de voltar à competição.

Luís Figo foi alvo de uma intervenção cirúrgica, que se desenrolou com sucesso, devendo entrar em processo de recuperação dentro de uma semana. Sublinhe-se que o jogador português que mais vezes vestiu o mais cobiçado jersey da Selecção Nacional recebeu palavras de apoio dos mais diversos quadrantes, desde a Federação Portuguesa de Futebol até ao Presidente da República.

Petição com de mais de 2.500 assinaturas

Mesmo tendo sofrido uma grave lesão no último jogo do Inter para o campeonato, frente à Juventus, depois de uma entrada dura de Pavel Nedved, são já mais de 2.500 os portugueses que querem ver Luís Figo vestir novamente a camisola das Quinas.

Esse facto parece até ter incentivado ainda mais pessoas a aderir à petição on-line que tem como objectivo fazer com que o jogador português regresse à Selecção Nacional.

Lembramos que Luís Figo abandonou a equipa das Quinas após o Mundial 2006, na Alemanha, em que os portugueses foram quartos classificados, tornando-se assim no maior internacional português de sempre, tendo marcado presença em 127 jogos por Portugal, seguido de Fernando Couto com 110 presenças.

Número que muita gente parece querer ver aumentado. Luís Figo, de 35 anos, conta ainda com um enormíssimo número de admiradores e a lesão parece ter incentivado as pessoas, mais ainda, a aderir à petição segundo palavras do promotor da mesma. O autor da iniciativa mostrou grande “vontade e determinação para continuar a petição, ainda mais depois deste infeliz incidente (lesão) com Luís Figo”.

Fontes: Jogo e Infordesporto
Foto: BBC

Análise Liga Vitalis: Desastre por terras açorianas

Novembro 11, 2007

Miguel Pereira

O Santa Clara foi líder até à jornada nove. Se a goleada sofrida no Estoril já tinha sido penoso, então uma nova goleada, desta feita em casa, frente ao Gil Vicente, deixa os açorianos fora dos lugares que dão acesso à subida.

gilvivente279x190.jpg

Com mais uma derrota dos pupilos de Paulo Sérgio, a liderança é agora repartida pelo Vizela e pelo Rio Ave, que venceram, por 1-0 e 3-0, Fátima e Olhanense, respectivamente.

Estoril e Trofense, que se defrontaram esta semana, ficaram-se pelo empate e não aproveitaram o deslize do anterior líder para chegar aos lugares cimeiros.

Nos restantes jogos, o Desportivo das Aves e Feirense venceram Portimonense e Penafiel, por 2-0 e 1-0, respectivamente, enquanto o Varzim empatou a um no reduto do Beira-Mar e Freamunde e Gondomar ficaram-se por um empate sem golos.

Na próxima jornada, os destaques vão para o Trofense – Santa, o Varzim – Estoril, o Rio Ave – Beira-Mar e a deslocação do Vizela a Barcelos.

Foto: Site Oficial do Santa Clara

Análise Bwin Liga: O pequeno golpe no Dragão

Novembro 11, 2007

Miguel Pereira

Foram precisas nove jornadas para os bi-campeões nacionais perderem pontos. No entanto, esse cenário, que mais cedo ou mais tarde iria acontecer, desenrolou-se no local onde poucos esperariam que se desenrolasse: no Estádio do Dragão. Os protagonistas dessa “proeza” foram os jogadores do Belenenses, mais precisamente Zé Pedro, que, ao empatar o jogo a uma bola no início da segunda parte, gelou o Dragão.

porto.jpg

Quem aproveitou o deslize dos “azuis e brancos” foram os principais rivais. O Benfica teve algumas dificuldades em vencer na Mata Real, o Paços de Ferreira, por 2-1, enquanto que a Naval não se mostrou um adversário fácil em Alvalade, onde o Sporting acabou por vencer por 4-1. Os “encarnados” encontram-se agora a seis pontos do primeiro lugar, ao passo que os leões têm menos um ponto.

Num jogo que se esperava no Funchal, acabou por sê-lo, mas em agressividade e em alguns casos de arbitragem. No final o Vitória de Guimarães acabou por ser mais forte e venceu o Marítimo, por 1-0. Os vimaranenses alcançaram o Sporting no terceiro lugar.

Nos restantes jogos, destaque para os seis golos obtidos no Boavista – Setúbal e no Académica – Estrela da Amadora (ambos os encontros terminaram empatados a três), para o primeiro triunfo do Leixões ante o Braga, por concludentes 3-0, e para mais a vitória do Nacional em Leira, por 3-1, que ditou a saída de Paulo Duarte do comando da União.

Para a próxima jornada, os líderes desloca-se à Reboleira, o Benfica recebe o Boavista e o Sporting desloca-se a Braga. Outro jogo que prenderá a atenção dos amantes da bola é o derby madeirense, no Estádio da Madeira, entre Nacional e Marítimo.

Foto: Futebol de Ataque