Archive for the ‘8ªedição’ Category

Estamos quase lá

Novembro 19, 2007

Miguel Pereira

Portugal está agora a um ponto do Euro’2008: o que em tempos pareceu difícil está à distância de um empate. Porém, isso não esconde o facto dos comandados de Luiz Filipe Scolari terem feito uma paupérrima exibição, que não agradou ao público, que exprimiu o seu desagrado com assobios.

est_global3.jpg

A equipa nacional até não começou mal, com Simão a rematar à barra da baliza da baliza de Berezovski logo aos três minutos. Mas quem pensou que isso seria um embalar para uma grande exibição, enganou-se, pois os arménios foram incómodos e só não gelaram ainda mais o Municipal de Leiria porque, primeiro, Melkonyan não teve engenho para fazer um chapéu certeiro a Ricardo e, depois, com os mesmos protagonistas, o inglês Mike Riley acabou por ser amigo ao não assinalar uma carga evidente do guardião português ao dianteiro arménio.

O público que se tinha deslocado a um Estádio, que apresentava uma das suas maiores enchentes de sempre, já demonstrava o seu desagrado, assobiando claramente os jogadores nacionais, na altura em que Bosingwa, que finalmente acertava um cruzamento, serve Hugo Almeida de modo a este fazer o mais difícil: inaugurar o marcador.

Os lusos partem para a segunda parte a vencer e, como tal, os adeptos esperavam uma equipa diferente daquela que jogou no primeiro tempo. No entanto, o desacerto na equipa das quinas continuava, com as vedetas a não se entenderem dentro de campo.

Só na parte final, com a entrada de Nani, em dia de aniversário, os pupilos de Scolari ganharam outra dinâmica, contudo insuficiente para aumentar a vantagem lusa.

Não foi deslumbrante, todavia o que interessa é que os objectivos foram cumpridos. Flávio Teixeira deixa o comando do banco a Luiz Filipe Scolari com um saldo de três vitórias e com o simplificar daquilo que parecia tão difícil. Todos esperamos, quarta-feira, que o Estádio do Dragão seja o palco talismã para Selecção Nacional conquistar pelo menos um ponto, frente à traiçoeira Finlândia, e arrumar às malas rumo ao Áustria/Suiça 2008.

Foto: Federação Portuguesa de Futebol

Anúncios

Portugal tem começo agridoce

Novembro 19, 2007

João Fragata

Não foi bom, nem foi mau. Foi assim assim. Assim se pode considerar o começo de Portugal no Europeu de Futsal, na passada sexta-feira, frente aos Italo-Brasileiros da Itália. Portugal empatou 0-0 e fica juntamente com a Itália no 2º lugar, no grupo A que é liderado pela surpresa Roménia que venceu 8-4 á República Checa.

futsal.jpg

Os jogadores de Orlando Duarte até mostraram vontade, talento e qualidade para conseguirem o sonho de ganhar o Europeu. Contudo, faltou a sorte e a finalização. Contra uma antiga campeã europeia, com muitos jogadores brasileiros, Portugal mostrou que é uma selecção a ter em conta, e que quer fazer aquilo que a Selecção em futebol não fez. Vencer o Euro em casa.

Portugal começou o jogo com Benedito, Arnaldo, Pedro Costa, Ivan e Ricardinho enquanto que a Itália iniciou o jogo com a particularidade de todos os jogadores terem nascidos no Brasil, Feller, Grana, Bertoni, Fabiano e Morgado.

Portugal até começou bem e Ricardinho (que nem esteve nas melhores noites) logo aos 2’ rematou para uma grande defesa do guarda-redes transalpino. Logo a seguir Carlos Morgado podia ter marcado para a Itália mas em frente a baliza rematou por cima.
Depois, aos 8’ minutos Leitão, isolado podia ter inaugurado o marcador, mas desequilibrou-se e a bola foi para as mãos de Feller que tentou jogar logo o contra-ataque para Jocimar Jubanski mas este chegou atrasado.

Com 3500 espectadores a apoiarem-nos, os portugueses continuavam a batalhar e até podiam ter conseguido o golo através de Gonçalo Alves (o melhor do jogo), que aos 18’ rematou bem, mas a bola ainda tocou no guarda-redes e no poste direito.

Na 2ª parte o jogo mudou. A experiência da equipa transalpina notou-se, defendendo bem, e aproveitando os erros defensivos dos portugueses. Erros que se baseiam quase só num, mas repetido. Por diversas vezes, Portugal falhava na marcação do jogador do lado oposto de onde se encontrava a bola. Resultado vários remates da Itália por esse lado, mas ou ao lado, ou Benedito mostrava o porquê de ser um dos melhores guarda-redes do mundo.

Mesmo assim, e contra a corrente do jogo, Portugal podia ter marcado num livre estudado, finalizado por Gonçalo Alves (quem mais?) mas salvo em cima da linha. Até ao final também Bertoni e Morgado podiam ter marcado para a selecção italiana.

Uma exibição boa e um resultado bom, segundo o seleccionador português, e que ajuda ao objectivo que é passar á próxima fase, seja em 1º ou 2º lugar.

Já Alessandro Nucorini, técnico italiano, considerou um jogo equilibrado e aberto, que só pecou pela falta de golos. Considerou também que foi um bom resultado para a Itália, porque jogo em casa do adversário.

Com este resultado as duas equipas ficam no 2º lugar, no grupo A que é liderado pela Roménia, estreante no campeonato, e que venceu a República Checa por 8-4 com destaque para os 3 golos do melhor marcador do campeonato Robert Matei.

Foto: Arquivo Online

Que venham as bandeiras outra vez

Novembro 19, 2007

João Fragata

Portugal volta a estar nos olhos do desporto europeu. Desta vez recebe o Europeu de Futsal 2007. De 16 de Novembro a 25 de Novembro, o multiusos de Gondomar (onde vai ser a final) e o pavilhão municipal de Santo Tirso vão receber as 8 melhores selecções europeias de Futsal.

futsal-europeu.jpg

O Futsal cada vez mais tem começado a ter um grande reconhecimento nacional em Portugal. E a realização do Euro no nosso país vem ajudar a que possa tentar ombrear com o domínio do futebol.

O Europeu de Futsal existe oficialmente desde 1999. Isto aconteceu depois de não-oficialmente ter sido feito um protótipo em 1996 na cidade espanhola de Córdoba, ganho pela Espanha, que com este campeonato conseguiram convencer o Comité Executivo da Uefa a darem mais atenção á modalidade e criar um campeonato oficial. Desde a sua criação o campeonato, que se realiza de dois em dois anos, já teve mais 4 edições, com algum domínio espanhol ganhando 2 das 4 edições, ficando as outras a cargo da selecção Italiana e da Rússia que venceu. De relevar que esta é a 4º participação portuguesa em europeus.

Este ano realiza-se em Portugal e conta com a participação de República Checa, Itália, Roménia, Espanha, Rússia, Ucrânia, Sérvia, e claro a anfitriã.

Os jogos vão realizar-se em grande parte no Multiusos de Gondomar, tendo excepção de 2 dos últimos jogos da fase de grupos que se realizarão no pavilhão municipal de Santo Tirso.
Portugal encontra-se no grupo A, juntamente com as selecções da Roménia, Itália e República Checa.

Já o grupo B alberga as selecções da Espanha, Rússia, da Ucrânia e da Sérvia.
Portugal começa o campeonato com um jogo contra a Itália, um jogo entre as presumiveis melhores selecções do grupo, enquanto a Roménia joga contra a República Checa.

No grupo B a Espanha joga contra a Ucrânia enquanto a Sérvia bate-se com a Ucrânia.

Fontes: Infordesporto, MaisFutebol, Site Oficial do Europeu 2007
Foto: Infordesporto

Boa Arbitragem, Má Arbitragem

Novembro 18, 2007

João Fragata

A Comissão de arbitragem baixou a nota de Pedro Proença dada pelo Observador do jogo da 2ª jornada que opôs o Sporting ao FC Porto. Esta redução da nota vem após a Comissão ter dado razão à queixa dos Leões em relação á nota dada (a melhor da época).

simbololpfp.jpg

Numa altura em que não existe jogo que não hajam críticas aos árbitros, em que se fala da profissionalização dos mesmos, em que se fazem debates para saber se é viável a inclusão de tecnologia nos jogos, vem uma notícia que pode ser o início de uma revolução.

No jogo da 2ª jornada, a 26 de Agosto, Sporting e FC Porto encontraram-se num jogo onde os dragões venceram os leoninos por 1-0. Contudo, muitas queixas foram feitas ao árbitro Pedro Proença. Na altura o observador do jogo decidiu premiar o árbitro de Lisboa com a nota de 3.7, tendo assim a melhor nota do campeonato.

Contudo o SCP não achou bem e enviou para a Comissão de Arbitragem uma queixa onde reclamava o lance polémico do corte\atraso de Polga que Stojkovic agarrou e deu origem ao livro do golo portista, reclamava ainda um cartão vermelho para Quaresma num lance com Miguel Veloso aos 33’, onde o jogador só recebeu o amarelo e ainda o cartão amarelo não dado a Pedro Emanuel num lance com Derlei aos 42 minutos.

Meses passados, a Comissão decidiu. O Sporting não tinha razão no lance de Stojkovic, alegando que o árbitro tinha plenos poderes para considerar um passe e não um corte, mas que tinha razão nos outros dois lances e que Quaresma devia ter visto o vermelho e Pedro Emanuel o amarelo. Resultado? A descida da pontuação de Pedro Proença para 2.7, menos um ponto que o original, e passando da melhor nota do campeonato para uma das piores. Este caso não foi o único tendo acontecido na mesma altura a descida da pontuação de Pedro Henriques no jogo Benfica-Sporting de 29 de Setembro, que baixou de 3.4 para 2.1, ou seja, uma nota negativa.

Árbitros não perdoam

Depois destas decisões polémicas, aqueceram as coisas no mundo dos árbitros. Pedro Proença disse já que contestou a medida aplicada à Comissão de Arbitragem, pedindo recurso da decisão e dizendo que não se alonga muito mais até a saída da nova decisão.

Contudo, assume que “terei todo o gosto de comentar este processo depois de existir uma decisão final e se não me for dada razão então terei muita coisa para dizer. Irei levar este assunto até às últimas consequências pois isto vai contra todas as regras da UEFA e da FIFA” e desabafa que seria mau se a sua classificação no fosse reposta.

Já Olegário Benquerença, árbitro leiriense colega dos dois visados, assume a posição dos árbitros, reclamando uma uniformidade de critérios nos jogos. Isto porque, segundo o árbitro, nem todos os jogos têm a mesma cobertura,pois os jogos mais mediáticos têm uma observação completamente contrária aos jogos menos importantes.

Fontes: Infordesporto, MaisFutebol, Jogo Online

Torneio de pré-qualificação começa dia 28

Novembro 18, 2007

Cláudia Bragança

Jorge Schmidt já definiu a lista de 16 jogadores que irão representar Portugal no torneio 2 de pré-qualificação para os Jogos Olímpicos de Pequim, a realizar em Évora de 28 de Novembro a 2 de Dezembro.

cartaz_evora_d.gif

Portugal está inserido na Poule A e irá defrontar a Alemanha e a República Checa. O grupo de trabalho concentra-se a partir de dia 21, quarta-feira, em Évora e logo nesse dia pelas 17 horas realiza o primeiro treino.

Nuno Pinheiro, João José, Éden Sequeira e Valdir Sequeira serão os primeiros a responder à chamada de Jorge Schmidt juntando-se os restantes companheiros após a realização dos seus jogos referentes ao campeonato nacional, divisão A1 masculina.

De 21 a 25 de Novembro a selecção irá realizar treinos bi-diários no pavilhão D. Bosco e a partir de dia 25 treinará no Arena d’Évora, palco dos jogos com a República Checa e a Alemanha.

Lembre-se que desta poule apenas o vencedor poderá disputar a qualificação a nível continental, que poderá garantir a presença nas Olimpíadas de 2008, sendo que existe apenas uma vaga para o continente europeu nos jogos a realizar na Ásia no próximo ano.

Os 16 convocados
André Lopes, Zona 4, SL Benfica
Bruno Gonçalves, Distribuidor, AJ Fonte do Bastardo
Carlos Teixeira, Líbero, SL Benfica
Éden Sequeira, Central, G. Haching
Eurico Peixoto, Zona 4, Vitória SC
Flávio Cruz, Zona 4, Vitória SC
Filipe Cruz, Líbero, Vitória SC
Hugo Gaspar, Oposto, Vitória SC
João José, Central, VFB Friedrichshafen
João Malveiro, Central, GC Vilacondense
Miguel Maia, Distribuidor, SC Espinho
Nélson Brízida, Zona 4, Vitória SC
Nuno Pinheiro, Distribuidor, Noliko Maaseik
Ricardo Lima, Zona 4, Leixões SC
Rui Santos, Central, AJ Fonte do Bastardo
Valdir Sequeira, Oposto –

Jogos
Poule A B
28/11/07 Rep. Checa x Portugal (15:30h) Suécia x Eslovénia (19h)
29/11/07 Alemanha x Rep. Checa (15h) França x Suécia (18:30h)
30/11/07 Portugal x Alemanha (18:30h) Eslováquia x França (15h)
01/12/07 Meia-final 1 (15:05h) / Meia-final 2 (18:30h)
02/12/07 Final (16:05h)

Fonte e Arquivo: Federação Portuguesa de Voleibol

Futebol italiano novamente marcado pela tragédia

Novembro 18, 2007

Cláudia Bragança

Voltaram a acabar em tragédia confrontos entre os tifosi e a polícia italiana. Gabrielle Sandri, de 26 anos, conhecido DJ da capital italiana, foi atingido fatalmente a tiro, durante confrontos entre as claques da Lázio e da Juventus. A tentativa de um polícia de acabar com a luta entre adeptos dos dois clubes, disparando dois tiros, o segundo deles acidentalmente, como afirmam o próprio agente e os seus colegas, acabou por resultar na morte do conhecido adepto laziale.

violencia.jpg

Tudo aconteceu no final do jogo entre a Juventus e a Lázio, a contar para a principal liga de futebol italiana. As claques dos dois clubes envolveram-se em confrontos numa estação de serviço em Arezzo e um polícia, com o intuito de acabar com os desacatos, disparou um tiro para o ar. Terá sido, contudo, um segundo tiro, disparado acidentalmente, como advoga o seu autor, a atingir fatalmente o jovem romano, que se encontrava dentro de uma viatura.

Apesar de Giuliano Amato, ministro italiano do Interior, ter confirmado já a abertura de um inquérito para apurar todas as responsabilidades e de Giancarlo Abete, presidente da Federação Italiana de Futebol, ter lamentado a morte de Gabrielle Sandri e feito votos para que este triste acontecimento não piorasse ainda mais as relações entre ultras e polícia, os seus desejos parecem não se ter feito ouvir, uma vez que os adeptos laziale não se demoraram na reacção, vandalizando duas esquadras da polícia em Roma e a sede do Comité Olímpico (COIN).

Esta foi a segunda vez, no curto período de nove meses, que confrontos deste género fizeram vítimas mortais em Itália. No passado mês de Fevereiro, Filippo Racito, inspector-chefe da polícia, perdeu a vida durante confrontos entre adeptos do Catânia e do Palermo.

Autor dos disparos destroçado: “Destruí duas famílias”

A identidade do autor do disparo que vitimou Gabrielle Sandri foi mantida em anonimato, o que não impediu o polícia de fazer declarações de extremo desespero a jornais italianos, nomeadamente ao “Corriere della Sera” e ao “Il Giornale”. “Não fiz pontaria a ninguém. Estava a 200 metros. Disparei o primeiro tiro para o ar, o segundo saiu enquanto corria. Sei que estou arruinado. Destruí duas famílias, a daquele rapaz e a minha”, foram alguns dos desabafos feitos, entre lágrimas, pelo autor do disparo que se revelou fatal para Gabrielle Sandri.

Segundo os regulamentos, o agente da autoridade, após o disparo, deveria ter guardado a arma no coldre, mas os seus colegas defendem-no, dizendo que nestas situações de perseguição a criminosos é normal correr-se de arma em punho.

O desespero não impediu, no entanto, que o polícia fosse acusado de homicídio, situação que pode ainda ser agravada para a acusação de homicídio voluntário, uma vez que uma testemunha disse tê-lo visto a disparar com as duas mãos na arma e com os braços esticados. “Não me parece que tenha disparado para o ar”, disse ainda. As perícias policiais parecem dizer que o tiro foi disparado à altura de um homem. Uma vez que, segundo declarações do agente policial, do outro lado da ponte existia uma rixa entre cerca de uma dezena de adeptos, os seus colegas acreditam que a bala terá sofrido um desvio.

Mais feridos e mais vandalismo na “resposta” à morte de Gabrielle

Os ultras italianos fizeram questão de não deixar passar em branco a morte do seu companheiro, Gabrielle Sandri.

Unidos, os adeptos da Lázio e do Roma atacaram duas esquadras da polícia, bem como a sede do Comité Olímpico (COIN). Destes confrontos entre polícias e ultras, resultaram 40 feridos entre os agentes policiais. Foram detidos quatro adeptos, acusados de terrorismo. A sede do Comité Olímpico registou estragos na ordem dos 100 mil euros. Posteriormente, mais oito adeptos, desta vez do Atalanta, foram também apreendidos pelas autoridades, tendo um deles sido libertado quase de seguida.

Estes terão sido os principais responsáveis pelos incidentes que não permitiram a realização do encontro Atalanta x AC Milan.

Ligas secundárias param

Na sequência deste trágico acidente, as principais comissões ministeriais e desportivas italianas reuniram-se com o intuito de tomar algumas decisões que aumentem a segurança dos seus estádios.

Primeiro de tudo, suspenderam as jornadas seguintes do segundo e terceiro escalões. Na liga principal, optaram por não fazer nenhuma paragem, uma vez que o campeonato já se encontrava em pausa, devido a compromissos das selecções nacionais.

Foi também proibida a deslocação em massa de adeptos violentos e estudada a possibilidade de a partir de 1 de Março, nos estádios com capacidade superior a 7 500 lugares, suspender os jogos se não existirem condições de segurança.

UEFA E ONU também se manifestaram sobre o caso

A ministra do Desporto italiana, afirmou ter pedido a suspensão dos campeonatos à Federação de Futebol, estando agora à mercê desta a decisão.
A ministra disse ainda que “Nesta hora de luto, é necessário que se produzam gestos fortes e significativos provenientes do mundo do futebol. Os valores do futebol foram duplamente atingidos porque morreu um jovem adepto e porque a violência disparou novamente”.

Não se limitaram, contudo, às fronteiras italianas as reacções sobre os actos de violência que tiveram como consequência mais grave a morte do adepto da Lázio, Gabrielle Sandri.

Se nos casos da ministra do Desporto e do ministro da Administração Interna de Itália as declarações foram no sentido de exigir o total apuramento das responsabilidades e de prevenir que no futuro tais situações não se repitam, os porta-vozes da UEFA e da ONU foram ainda mais longe.

O representante da UEFA, William Gaillard, disse não se tratar de um problema do futebol italiano mas sim de um problema social. Adolf Ogi, conselheiro especial do secretário-geral da ONU, disse condenar”com grande firmeza toda a violência, tanto a que precedeu como a que se seguiu”. O porta-voz da ONU disse mesmo que ”Matam seres humanos mas também o desporto, a sua imagem e credibilidade”.

Fonte: O Jogo

Yannick Djaló abandona estágio

Novembro 18, 2007

Filipa Lopes

Yannick Djaló abandonou o estágio da Selecção Nacional de Sub-21 devido à lesão que sofreu numa coxa, na parte final da sessão de trabalho da tarde de quarta-feira, tendo sido substituído por Stélvio Cruz, médio do Sporting de Braga. O jogador do Sporting lesionou-se sozinho, num lance aparentemente normal, e embora não seja ainda conhecida a real gravidade da lesão, estima-se que o jovem avançado tenha que parar aproximadamente 3 semanas.

djalo.jpg

Esta baixa inesperada não abala a confiança de Rui Caçador nem dos seus pupilos que continuam a treinar-se com a convicção de que podem vencer a Inglaterra. A receita é simples e é-nos dada por Hélder Barbosa, jovem jogador do FC Porto emprestado à Académica: “Temos de entrar motivados no jogo e praticar um futebol de qualidade”.

Recorde-se que Portugal e Inglaterra disputam na próxima 3ª feira, às 21 horas, um jogo “muito importante mas não decisivo”, segundo João Ribeiro, jogador da Naval estreante nestas andanças dos sub-21, a contar para o apuramento para o Europeu de 2009 da categoria.

Foto: View Images

Saem Miguel e Ricardo Carvalho, Estreia-se Abel

Novembro 18, 2007

Filipa Lopes

“O azar de uns é a sorte de outros”, já diz o velho ditado português. Terá sido mais ou menos este o pensamento de Abel quando recebeu um telefonema de Paulo Bento dispensando-o do treino do Sporting em Alcochete. O lateral fora chamado por Scolari para substituir o lesionado Miguel.

000002lis3510071004.jpg

O defesa do Valência contraiu uma lesão muscular no recto anterior da coxa direita, que o obrigará a uma paragem de 10/15 dias, e foi assim substituído pelo sportinguista, convocado pela primeira vez para representar Portugal, um sonho que nunca escondeu e que agora se concretiza, praticamente dois anos depois de se ter transferido do Braga para os «leões».

Miguel não é, contudo, a única baixa de Portugal para os dois últimos, e decisivos, jogos de apuramento para o Europeu de 2008 a realizar-se na Áustria e na Suiça. O também defesa Ricardo Carvalho sofreu uma lesão nas costas, no último jogo do Chelsea frente ao Everton, e depois de ter realizado alguns exames com o médico da selecção, Henrique Jones, viu ser confirmada a paragem de dois meses: “O Ricardo terá de estar em repouso, em virtude de ter uma fractura de três apófises nas vértebras da coluna, o que equivale a dizer que fracturou três ossos laterais. Vai regressar a Londres, com os resultados dos exames. Não é uma lesão grave, mas terá de estar em repouso cerca de 1 mês, não devendo regressar à competição num espaço inferior a 8 semanas”, explicou o clínico.

Ao contrário do que se sucedeu com Miguel, “Felipão” não chamou ninguém para colmatar a ausência do central, considerando ter à disposição um número suficiente de jogadores capazes de substituir Ricardo Carvalho sem problemas. Pepe e Fernando Meira afiguram-se como as principais alternativas a ocupar o lugar deixado em aberto pela lesão do jogador do Chelsea.

Foto: Arquivo Online

Só Cordell não chega

Novembro 18, 2007

João Fragata

Cordell Henry começa cada vez mais a ser o único jogador da Ovarense a remar contra a maré na participação da equipa portuguesa na ULEB Cup.

cordel.jpg

Depois da derrota do primeiro jogo, contra os sérvios do FMP Belgrado por 89-79, onde o norte-americano marcou 29 pontos e fez 6 assistências, o jogador repetiu a dose e marcou 31 pontos na 2ª ronda da taça onde a equipa de Ovar perdeu com os Letões do Ventspils por 68-92. O base Norte-Americano é já, inclusive, o melhor marcador da ULEB Cup.

Contudo, não foi suficiente num jogo que começou mal para os portugueses, que começaram logo a perder por 2-10. Valeu a tentativa de resposta do Americano e do Português Rui Mota, que com 10 pontos ainda tentou dar a volta ao resultado levando a equipa para a frente. Contudo, o treinador, inexplicavelmente, decidiu deixar o jogador no banco em grande parte do 2º tempo.

Se tudo corria mal aos bi-campeões nacionais, aos letões parecia que tudo corria bem. Antes do intervalo, no qual sairam a ganhar por 24-44, marcaram três triplos consecutivos que mostravam bem como seriam os dois últimos tempos.

Foi uma equipa muito desinspirada a que apareceu na Arena de Ovar, que começa assim a hipotecar a hipótese de atingirem os objectivos de quererem voar na Europa. Com esta 2ª derrota a Ovarense é a única equipa que ainda não ganhou, assumindo o 6º e último lugar no grupo B liderado pelos turcos do Besiktas, que, com a vitória de 79-60 sobre os alemães do Koln 99ers, assumiram a liderança do grupo com 2 vitórias.

A classificação do grupo B:
1º Besiktas Cola Turka 2V 0D
2º BK Ventspils 1V 1D
3º Elan Chalon 1V 1D
4º FMP 1V 1D
5º Köln 99ers 1V 1D
6º Ovarense Aerosoles 0V 2D

Fontes: Site Oficial da ULEB Cup, JN, Infordesporto

Análise Liga Vitalis: Tudo na mesma

Novembro 18, 2007

Miguel Pereira

Numa jornada em que não ocorreram muitas surpresas, os lugares cimeiros da Liga Vitalis permanecem inalteráveis.

O líder Vizela foi a Barcelos arrancar um empate, a uma bola, no terreno do Gil Vicente. O Rio Ave não aproveitou o deslize dos vizelenses, empatando em casa com o Beira-Mar.

Em relação às equipas que espreitam os lugares cimeiros, o Santa Clara, após ter sofrido duas derrotas pesadas, empatou na Trofa, ante o Trofense, ao passo que o Estoril alcançou o mesmo resultado na Póvoa do Varzim.

O Olhanense acabou por ser o grande beneficiado da jornada, após vencer o Feirense ficou apenas a três pontos dos lugares que dão acesso à subida.

Nos restantes jogos, o Gondomar venceu ao Penafiel, por 2-0, o Freamunde derrotou, pelo mesmo resultado, o Portimonense, e o Fátima recebeu e venceu o D. Aves por 2-1.

Na próxima jornada, destaque para os jogos Estoril – Rio Ave e o Santa Clara – Vizela. Ou seja, uma ronda onde os quatro primeiros classificados jogam directamente entre si.

Vídeo: TV Golo

Análise Bwin Liga: Goleada encarnada permite aproximação aos dragões

Novembro 18, 2007

Miguel Pereira

Após oito vitórias consecutivas, o FC Porto parece começar a entrar numa estranha fase de declínio, sendo o Estrela da Amadora, desta feita, o carrasco dos campeões nacionais. Os dragões tiveram a vencer até o minuto 85, por 2-0, só que dois erros acabaram por ser fatais e permitiram à equipa tricolor conquistar um precioso ponto.

porto3.jpg

Quem aproveitou mais este deslize dos “azuis e brancos” foi o Benfica, que esmagou o Boavista por 6-1 e está agora a quatro pontos da liderança. O Sporting, por seu lado, fez uma das piores exibições frente ao Sp. Braga, sendo cilindrado por um concludente 3-0.

Destaque, nesta jornada, para a excelente campanha do Vitória de Setúbal, que venceu a Académica por 3-1, e para a vitória do Marítimo no reduto do Nacional, por 2-0, no derby madeirense.

Nos restantes jogos, o Paços de Ferreira arrancou um precioso empate em Guimarães, a Naval venceu a U. Leira com um golo sem resposta – na estreia de Vítor Oliveira no comando dos leirienses – e o Belenenses empatou a um bola com o Leixões.

Na próxima jornada, após um interregno devido às selecções, o FC Porto recebe o Vitória de Setúbal, a equipa sensação da Liga, o Sporting desloca-se a Matosinhos, enquanto que o Benfica vai a Coimbra.

Foto: Futebol de Ataque