Archive for the ‘Competições europeias’ Category

Taça UEFA: 16-avos-de-final (segunda-mão)

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira e Filipa Lopes

Os dezasseis-avos-de-final da Taça UEFA reservaram algumas surpresas e jogos emocionantes. Salta logo à vista a eliminação de um dos candidatos à vitória na prova, o Atlético de Madrid, diante do Bolton. A sorte também não acompanhou a equipa treinada por José Peseiro, que acabou por ser eliminada nos últimos minutos.

No que diz respeito aos representantes lusos, os rivais de Lisboa, o Sporting em forma de treino e o Benfica com muito sofrimento, seguiram em frente. O Braga, porém, não se conseguiu impor perante o colosso Werder Bremen.

imagens_107442.jpg

Basileia 0 – Sporting 3 (0-2)

Sem espinhas. Se já no jogo em Alvalade o Sporting havia revelado uma clara superioridade em relação aos suiços, o domínio que exerceu em Basileia na passada 5ª feira não deixou margem para dúvidas: uma vitória por 3-0, a juntar-se aos golos de Vukcevic na 1ª mão e o Sporting a findar a eliminatória com um score de 5 golos marcados,0 golos sofridos e o Bolton definido como próximo adversário leonino na Taça UEFA.

E o Sporting começou o jogo a abrir: Passavam 2 minutos do apito inicial do árbitro quando João Moutinho, com um passe de trivela, rasgou autenticamente a defesa helvética e colocou a bola nos pés de Pereirinha. O jovem sportinguista rematou forte, colocado, e colocou também fim às esperanças de Carlitos e seus pares. A verdade é que, com um golo tão cedo, o Sporting desmoralizou completamente o adversário, reduziu aos mínimos as suas hipóteses de dar a volta a um resultado negativo e partiu para uma exibição de grande nível, a exemplo do que já tinha acontecido uma semana antes em sua casa.

Mas é injusto não dizer que o Basileia, ainda assim, poderia ter marcado por diversas ocasiões. E só não o fez porque um grande Rui Patrício se assumiu definitivamente na baliza, com um punhado de intervenções de alto nível a segurar o 0 com que o Sporting chegou ao fim da eliminatória.

Mas os suiços eram fracos… fraquinhos. Carlitos, que na voz de Christian Gross, treinador do Basileia, «tentou jogar demais», é mesmo o abono de família da equipa, e o Sporting construíu com naturalidade um resultado que poderia ter sido ainda mais avultado: Liedson, à passagem do minuto 41, conta com o precioso auxílio do defesa Marque para se isolar e fazer um chapéu a Crayton, o mesmo Crayton que já na 2ª parte, aos 51 minutos, faz defesa incompleta a remate de Pereirinha e coloca a bola nos pés do Levezinho. E já se sabe que Liedson, nestas ocasiões, raramente falha. Recarga, golo, e alcançada a goleada.

A história do encontro acaba aqui. O Sporting venceu bem e continua merecidamente em prova na UEFA, a enfrentar o Bolton em Inglaterra no próximo dia 6 de Março.

imagens_107441.jpg

Nuremberga 2 – Benfica 2 (0-1)

Um golo obtido ao minuto 90, marcado por Óscar Cardozo, vindo do banco minutos antes, permitiu ao Benfica a continuidade na UEFA, após ter estado em desvantagem na eliminatória. O 1-0 trazido de Lisboa revelava-se insuficiente às mãos dos letais alemães, que aproveitaram os erros da defesa benfiquista para marcar os dois golos que quase lhes permitiam eliminar uma equipa que, embora não o tenha provado, é em muito superior ao Nuremberga.

E é por aqui que se pode começar a avaliar o jogo da águia: Com um golo falhado logo aos 3 minutos por Máxi Pereira (completamente alheado do jogo e muito pouco concentrado, diga-se) o Benfica até controlou o jogo na primeira meia hora, mas os atletas benfiquistas contrariavam o discurso de Camacho: Quim perdia o máximo tempo possível nas reposições de bola e essa apatia começou a contagiar os colegas, sem chama nem vontade.

Ainda antes do intervalo, Charisteas, carrasco luso no Euro’2004, falhou um golo certo e pouco depois Saenko viu Quim negar-lhe o golo com uma excelente intervenção.

Mas o pior viria depois. Ao intervalo, Rui Costa e Petit protagonizaram um aceso diálogo e até Makukula se revelava extremamente insatisfeito com a prestação encarnada. Mas de nada serviram as conversas. A verdade é que regressados da cabine, os jogadores do Benfica não alteraram em nada a postura e viram Charisteas, primeiro, isolar-se e marcar o golo que empatava a eliminatória, para logo a seguir Luís Filipe perder a bola em zona proibida e permitir a Saenko fazer o golo da reviravolta.

E Camacho mexeu. Fez entrar Cardozo e Dí Maria e foi abençoado pela estrelinha da sorte: Quando certamente já a maioria dos benfiquistas dava a eliminatória como certa, o paraguaio reduziu para 2-1 e devolveu o sonho ao Benfica. Com os alemães desesperadamente à procura de novo golo, Dí Maria até fez o golo do empate, fruto dos espaços dados pelo Nuremberga. «Foi o empate da superação», disse Léo no final do jogo. Foi o empate escusado, dada a diferença de qualidade entre as duas equipas.

A passagem consumou-se e o Benfica enfrenta agora o Getafe de Laudrup. Mas será preciso uma atitude diferente da apresentada frente ao Nuremberga para os encarnados ultrapassarem mais esta barreira rumo a Manchester com que tanto sonham.

662636_biglandscape.jpg

Sp. Braga 0 – Werder Bremen 1 (0-3)

O Sporting de Braga despediu-se das competições europeias, como de resto já se previa, ao ser derrotado, no conjunto das duas eliminatórias dos 16 avos-de-final, por 4-0. E a verdade é que os arsenalistas só se podem queixar de si próprios: ao desperdiçarem duas grandes penalidades na Alemanha, hipotecaram quase completamente as hipóteses de reverter o jogo nesta 2ª mão, realizada em Braga na última quinta-feira.

Mas, ainda assim, os bracarenses não desistiram e entraram no Estádio AXA motivados para marcarem, pelo menos, um golo. E procuraram-no. Nos primeiros 15 minutos, primeiro num cabeceamento de Paulo Jorge e depois num remate de Wender ao poste esquerdo, o Braga esteve perto de marcar. Pouco depois, o extremo brasileiro voltou a estar perto de festejar, à passagem do minuto 19, desta feita num desvio de cabeça que falhou por pouco o alvo. Aos 34 minutos, Hugo Almeida, num disparo fortíssimo, acertou em cheio na barra da baliza de Kieszek, e a partir deste momento, o Braga começou a perder força, e numa segunda parte sem grandes motivos de interesse – registe-se contudo a entrada de Matheus ao intervalo, que conferiu outra vivacidade e magia ao ataque bracarense – o Werder Bremen acabaria por encerrar de vez a questão, com Klasnic, isolado por um passe em profundidade, a colocar o esférico no fundo da baliza do guarda-redes polaco do Sp. Braga. Acabou aqui o sonho bracarense, que deve ainda assim orgulhar-se de nunca ter desistido pese embora todos os dessem como derrotados logo à partida.

662265_biglandscape.jpg

Bayern Munique 5-1 Aberdeen (2-2)

O Bayern Munique, um dos grandes favoritos a vencer a prova, respondeu da melhor forma a todos aqueles que criticaram o empate da primeira-mão. Apenas 12 minutos decorridos e Lúcio colocava os “bávaros” a vencer. Ainda antes do intervalo foi a vez de Van Buyten aumentar a contagem.

No segundo tempo, Podolski marcou por dois vezes, aos 71 e aos 77. Os escoceses ainda marcaram um tento de honra, por intermédio de Lovell, mas antes do fim Van Bommel fechava o resultado final em 5-1.

662594_biglandscape.jpg

Getafe 3-0 AEK Atenas (1-1)

Um jogo de particular interesse para o futebol português, nomeadamente para o Benfica, que disputará a os oitavos-de-final com o Getafe, vencedor desta eliminatória.

Após um empate a uma bola em Atenas, foram os espanhóis que entraram mais decididos a vencer o jogo. Porém, o jogo só chegaria no final da primeira parte, com Granero, ao segundo poste, a corresponder a melhor forma a um cruzamento de Contra.

Embora estivesse em desvantagem, a equipa grega, onde actuam os portugueses Geraldo e Manu – que não jogaram –, não conseguiu impor o seu jogo, permitindo ao Getafe dominar o encontro. Desse domínio, acabariam por surgir mais dois perto do final, através Contra, de grande penalidade, e de Braulio.

662522_biglandscape.jpg

Atlético de Madrid 0-0 Bolton (0-1)

Uma das surpresas da ronda. Apesar da derrota na primeira-mão pela margem mínima, todos esperavam que os “colchoneros” conseguissem anular a desvantagem no Vicente Caldéron.

Isso, contudo, não aconteceu, muito graças a boa estrutura defensiva por parte da equipa britânica, onde milita o português Ricardo Vaz Tê (não saiu do banco). A equipa de capital espanhola, que jogou sem Simão e Zé Castro, pode queixar, porém, da sorte e dos inúmeros golos falhados.

O Bolton foi mais feliz e será o próximo adversário do Sporting nos oitavos-de-final.

662675_biglandscape.jpg

Vilarreal – Zenit 2-1 (0-1)

Mais um resultado surpreendente: o Vilarreal foi incapaz de anular a derrota sofrida na Rússia, muito por culpa de Pogrebnyak, que colocou os russos a vencer no El Madrigal.

Os espanhóis, que precisavam de três golos para inverter a eliminatória a seu favor, pressionaram, mas o tento do empate só chegaria a quinze minutos do final, por intermédio de Guille Franco. Já sobre o apito final, o dinamarquês Tomasson marcava o tento da vitória para o Vilarreal, que, todavia, era insuficiente para continuar na prova.

662166_biglandscape.jpg

Bayern Leverkusen 5-1 Galatasaray (0-0)

Depois do nulo verificado na primeira mão, os alemães, esmagando por completo o Galatasaray.

No espaço de dois minutos, o Leverkusen colocava-se confortavelmente em vantagem, primeiro, aos 12, por Barbarez, e um minuto depois, através Kiessling. Dez minutos depois, Barbarez bisaria na partida.

Na segunda parte, continuou o massacre germânico, com Haggui aos 55 e Schneider, de grande penalidade, seis minutos depois. Antes do final, os turcos marcaram o golo de honra, graças a uma grande penalidade convertida por Barusso.

662440_biglandscape.jpg

Bordéus 1-1 Anderlecht (1-2)

Os belgas traziam uma vantagem mínima e pouco segura, porém aguentaram-se muito bem. A missão da equipa do Anderlecht ficou facilitada aos 34 minutos, quando Chatelle inaugurou o marcador a favor dos belgas.

Os “girondinos” precisavam de marcar dois golos para, pelo menos, empatar a eliminatória, por isso vieram para o segundo tempo decididos a dar a volta aos acontecimentos. No entanto, aquilo que a formação conseguiu foi apenas o empate, por intermédio Cavenaghi. Os belgas não ficaram a ver os franceses no ataque e podiam ter decidido prontamente a eliminatória, valendo ao Bordéus o guardião Ramé.

662430_biglandscape.jpg

Everton 6-1 Brann (2-0)

Na primeira-mão, a equipa de Manuel Fernandes e Nuno Valente já tinha demonstrado que era superior, com a uma vitória confortável. No segundo jogo, a equipa de Liverpool não se pôs com rodeios e aplicou uma goleada das antigas.

Com Nuno Valente a titular e Manuel Fernandes suplente utilizado, Yakubu fazia aos 32 minutos o seu primeiro de três golos numa noite. Jonhson, antes do intervalo, aumentava para 2-0.

Na segunda parte assistiu-se a mais quatro golos ingleses, com um golo norueguês pelo meio. Yakubu marcou por mais duas ocasiões (aos 54 e 72), e Arteta atirou a bola para dentro das redes por duas vezes (71 e 92). O tento de honra do campeão norueguês seria marcado por Vaagan Noen, aos 60 minutos.

662179_biglandscape.jpg

Hamburgo 0-0 Zurique (3-1)

O Hamburgo já tinha conseguido uma importante vantagem no primeiro encontro e, portanto, limitou-se a gerir o resultado.

Os suíços foram atrás de tentar anular a desvantagem trazida do jogo da primeira-mão, mas nunca realmente criaram calafrios aos alemães, que poderiam ter aumentado a vantagem na eliminatória.

662234_biglandscape.jpg

Panathinaikos 1-1 Glasgow Rangers (0-0)

O nulo do primeiro jogo abria boas perspectivas para a equipa treinada por José Peseiro. O jogo até começou bem para os gregos, que, com Hélder Postiga a titular, obrigou o adversário a jogar no seu último reduto. Aos 12 minutos, Goumas ponha o Panathinaikos em vantagem no jogo e na eliminatória.

No segundo tempo, os gregos não entraram tão pressionantes e consentiram algum domínio à equipa escocesa, que viria a empatar o jogo a oito minutos do final, por intermédio de Novo, que, com este golo que ditou a eliminação do Panathinaikos, gelou o Apóstolos Nikolaidis.

662565_bigportrait.jpg

Helsinborg 1-2 PSV Eindoven (0-2)

A vantagem trazida de Eindoven já era confortável e tornou-se mais cómoda quando Bakkal colocava os holandeses com uma vantagem ainda mais segura. Aos 65 minutos, Lazovic dava mais um impiedoso golpe nas já escassas aspirações finlandesas.

Os nórdicos acabariam por marcar o seu tento, já perto do final, com Leandro Castan a corresponder da melhor forma ao canto de Anderson.

662389_biglandscape.jpg

Tottenham 1-1 Slavia de Praga (2-1)

A vitória na capital checa na primeira-mão dava alguma margem de manobra à equipa de Juande Ramos. O golo de O’Hara, aos 7 minutos, só veio deixar a equipa londrina mais descansada.

Os “Spurs” procuravam um segundo golo, que não aconteceu. Seriam, no entanto, os checos em contra-ataque que chegariam ao empate, com uma fabulosa assistência de Daniel Pudil para Krajcik. Apenas a um golo de empatar a eliminatória, o Slavia pressionou até final, a obrigar Paul Robinson a fazer um punhado de boas, que garantiram a vantagem na eliminatória.

662418_biglandscape.jpg

Fiorentina 2-1 Rosenborg (1-0)

A formação da Florença não teve muitos problemas em eliminar o Rosenborg. Da primeira-mão trazia uma vitória pela margem mínima da Noruega, e Liverani, regressado de uma lesão, ponha os italianos ainda mais perto dos oitavos-de-final.

A nove minutos do final da partida, Cacia pôs um ponto final na eliminatória, ao corresponder da melhor forma a um cruzamento de Manuel Pasqual. Ainda houve tento para o tento de honra dos visitantes, por Koné.

662185_bigportrait.jpg

Spartak 2 – 0 Marselha (0-3)

A vantagem trazida de Marselha parecia preciosa, mas acabou por não ser anulada por pouco. Os russos inauguraram o marcador aos 39 minutos, através de Pavlenko.

Na etapa complementar, a equipa da capital russa acreditou sempre que era possível levar, ao menos, o jogo para prolongamento. No entanto, os gauleses resistiram à pressão e não permitiram que o Spartak criasse muitas oportunidades de perigo. Os russos acabariam por marcar um segundo golo, num remate à queima-roupa de Pavlyuchenko. Até final, foi o tudo por tudo moscovita para igualar a eliminatória; em vão, porém.

Fonte: UEFA
Fotos: Record/UEFA

Anúncios

Liga dos Campeões: Oitavos-de-final – primeira-mão

Fevereiro 24, 2008

Miguel Pereira

Disputou-se a primeira-mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, numa ronda sem muitas surpresas. No que diz respeito ao único clube português em prova, o FC Porto, a sorte não teve do lado dos comandados de Jesualdo Ferreira.

porto.jpg

Schalke 04 1-0 FC Porto

O FC Porto não foi feliz no regresso a Gensenkirchen. Estavam decorridos 4 minutos quando Kevin Kuranyi introduzia a bola dentro da baliza de Helton. Em desvantagem, os bicampeões nacionais tiveram de ir atrás do prejuízo.

Na segunda parte, a equipa mostrou-se mais afoita, e Lisandro teve a centímetros do empate.

Os “dragões”, com claras hipóteses de seguir em frente, têm de anular esta desvantagem dia 5 de Março, no Estádio do Dragão.

real-madrid.jpg

AS Roma 2-1 Real Madrid

Um dos resultados mais surpreendentes da jornada. No entanto, as coisas até começaram bem para os “merengues”, que aos 8 minutos inauguraram o marcador, com um golo do capitão Raúl. O Real Madrid continuou a dominar e esteve perto de ampliar a vantagem. Porém, seriam os romanos a chegar ao empate, através de Pizarro.

No segundo tempo, a Roma, que estava em desvantagem na eliminatória, partiu mais ofensiva. Mancini, aos 58 minutos, marcaria o golo da vitória da formação italiano, que permite aos comandados de Luciano Spalletti levar uma pequena vantagem para o Santiago de Bernabéu.

chelsea.jpg

Olympiacos 0-0 Chelsea

Com Ricardo Carvalho a titular, que teve uma boa oportunidade para marcar na segunda parte, o Chelsea conseguiu um empate a zero em Atenas, que abre boas perspectivas para a formação londrina continuar em prova.

Perante um adversário que não se intimidou por defrontar estrelas de reconhecimento mundial, como Drogba, Lampard e Essien, os “blues” tiveram boas ocasiões para marcar, contudo as melhores as oportunidades acabaram por pertencer aos gregos.

Apesar de o nulo deixar a eliminatória em aberto, o empate acaba por ser mais favorável à equipa de Avram Grant.

inter.jpg

Liverpool 2-0 Inter

Os vice-campeões europeus superiorizaram-se perante o bicampeão italiano, conseguindo uma boa margem para o jogo da segunda-mão.

O Inter, com Figo e Maniche no banco, nunca conseguiu impor o seu jogo e depois da expulsão de Materazzi, as coisas ficaram ainda mais complicadas para a formação de Roberto Mancini.

Os golos só aparecem perto do final partida, primeiro por Kuyt, aos 85, e depois o capitão Gerrard selava a vitória.

barcelona.jpg

Celtic 2-3 Barcelona

Um dos melhores jogos desta ronda, com incerteza no resultado até final. Foram os escoceses a marcar primeiro, através de uma boa jogada Venneger. Contudo, o génio de Messi não demorou a aparecer e o prodígio argentino empataria a partida dois minutos depois. Ainda antes do intervalo, Robson colocava os anfitriões novamente em vantagem.

No segundo tempo, o Barcelona foi atrás do prejuízo e Henry, aos 52 minutos, numa execução fantástica, restabelecia a igualdade. A 11 minutos do final, mais uma vez Messi fazia o gosto ao pé, marcando o golo que dá vantagem aos catalães para o jogo da segunda-mão.

manchester-united.jpg

Lyon 1-1 Manchester

O campeão francês e o campeão inglês não foram além de um empate a uma bola, que deixa os “red devils” em vantagem para a segunda-mão.

Depois de uma primeira parte dominado pelos comandados de Alex Ferguson, o intervalo pareceu fazer bem à equipa gaulesa, que voltou com outra fluidez na etapa complementar. E foram os hexacampeões franceses a se colocarem em vantagem, através de um portentoso remate de Benzema. O técnico dos “red devils” reagiu de imediato, ao colocar em campo Tévez e Nani, sendo os dois substitutos que construíram a jogada do empate: Nani cruza e Tévez conclui.

sevilha.jpg

Fenerbache 3-2 Sevilha

Os vencedores da Taça UEFA, com Duda a titular, perderam em Istambul, mas continuam boas hipóteses de continuar em frente na prova. O Fenerbahce, treinado por Zico, entrou melhor e colocou-se em vantagem aos 17, por intermédio de Kezman. Contudo, uma infelicidade de Edu, que introduziu a bola na própria baliza, permitiu aos sevilhanos empatarem.

Na segunda parte, foram os turcos novamente a entrar melhor e a marcar, desta feita por Lugano. Mais uma vez, porém, a formação espanhola voltaria a empatar a partida, graças a uma boa finalização de Escude. A três minutos dos 90, o Fenerbache marcaria o golo da vitória – que permite levar uma pequena vantagem para Sevilha –, por intermédio Senturuk.

milan.jpg

Arsenal 0-0 Milan

Um dos jogos mais esperados desta fase acabou sem golos. Os campeões europeus contaram com a inspiração do seu guardião, Zeljko Kalac, para sair com um resultado positivo do Emirates Stadium. A equipa de Arséne Wenger bem tentou, mas os milaneses fecharam todos os caminhos para a sua baliza.

Resultados e datas da segunda-mão:

Schalke – FC Porto 1-0 05/03
AS Roma – Real Madrid 2-1 05/03
Olympiacos – Chelsea 0-0 05/03
Liverpool -Inter 2-0 11/03
Celtic – Barcelona 2-3 04/03
Lyon – Man. United 1-1 04/03
Fenerbahçe – Sevilha 3-2 04/03
Arsenal – Milan 0-0 04/03

Fonte: UEFA
Fotos: Record

Liga dos Campeões: Jornada 4

Novembro 11, 2007

Francisco Reis

Liverpool 8-0 Beşiktaş

Que grande goleada! Perante os números, nada há a dizer em possível defesa dos turcos: ao que parece, levaram um “banho de bola”. A primeira parte acabou com um resultado mais ou menos normal: 2-0. Até ao intervalo, somente Peter Crouch e Benayoun tinham facturado. Na segunda parte, os reds abriram caminho para a história da competição, batendo o recorde de golos marcados num só jogo da Liga dos Campeões. O israelita Benayoun fez mais dois e consumou um hat-trick; depois o capitão Gerrard também fez o gosto ao pé. Seguiu-se um bis de Ryan Babel e, já no fim do tempo regulamentar, Peter Crouch aumentou para 8-0, marcando assim o primeiro e último golo do encontro. Memorável para os britânicos (que tinham mesmo que ganhar); humilhante para os turcos.

Porto 2-1 Marselha

lc_a_porto.jpg

O Porto venceu e fê-lo com justiça. No Estádio do Dragão, os azuis e brancos tiveram alguma dificuldade em impor o seu jogo logo de início, como tem vindo a ser hábito em todas as partidas. Porém, quando as equipas encaixaram, passaram a ser os bicampeões nacionais portugueses a dominar os acontecimentos, ainda que sem o brilhantismo que poderiam ter com Lucho em campo. Foi num momento de grande classe e pura magia que o Porto se adiantou no marcador: Tarik Sektioui ultrapassou vários adversários, incluindo o guarda-redes, e, numa arrancada maravilhosa, fez o 1-0. Logo a abrir o segundo tempo, Stepanov concedeu demasiado espaço ao avançado Niang (deveria ter sido expulso no jogo anterior e consequentemente não deveria ter marcado presença neste jogo), que restabeleceu a igualdade. O Porto acelerou e Lisandro López, depois de um cabeceamento à barra, fez o segundo para os da casa, demonstrando mais uma vez estar num momento de forma soberbo. Até final, os portistas sufocaram os franceses. O Porto passa, deste modo, para a liderança do grupo A, seguido do Marselha.

Grupo B

Schalke 04 0-0 Chelsea

No Arena AufSchalke, em Gelsenkirchen, estádio que tão boas recordações trás ao futebol português (foi lá que o Porto conseguiu sagrar-se campeão europeu em 2004), o Schalke 04 e o Chelsea não conseguiram marcar golos e o jogo terminou empatado 0-0. Foi um jogo relativamente equilibrado mas o maior pendor ofensivo da equipa alemã poderia ter sido suficiente para reduzir a desvantagem pontual em que se encontra em relação aos blues, que continuam a comandar o grupo. Valeu a solidez defensiva ao Chelsea, que tem que continuar a trabalhar para garantir matematicamente a presença nos oitavos-de-final.

Valência 0-2 Rosenborg

lc_b_rosenborg.jpg

O Rosenborg continua na mó de cima. No Mestalla, o Valência não conseguiu vencer os noruegueses, que discutiram taco a taco o resultado. Nem Caneira, nem Miguel, nem Manuel Fernandes, todos totalistas neste jogo, conseguiram fazer da estreia europeia de Ronald Koeman ao serviço dos espanhóis positiva. O verdadeiro culpado de tudo isto foi Iverson, autor dos dois golos nórdicos, aos 31 e 58 minutos. O Rosenborg está, assim, à frente de nomes como o Schalke 04 e o Valência e em posição de passagem aos oitavos-de-final.

Grupo C

Lázio 2-1 Werder Bremen

A Lazio conseguiu três preciosos pontos em casa, que garantem, desde já, o segundo lugar no grupo C. No Olímpico de Roma, os golos só apareceram nos segundos quarenta e cinco minutos. Foi com dois tentos de Rocchi que os italianos se adiantaram no marcador e já nem uma grande penalidade convertida por Diego aos 88 minutos valeu aos alemães de Bremen, que passam a ocupar o último posto do grupo.

Olympiacos 0-0 Real Madrid

lc_c_real.jpg

O Real Madrid tem estado forte na Liga dos Campeões (ainda não perdeu), daí que se possa considerar que o Olympiacos conseguiu um bom resultado, ao empatar com os campeões espanhóis em casa. O guardião grego Nikopolidis acabou por ser a figura do encontro ao efectuar defesas de grande nível, segurando o precioso ponto para a formação helénica. O Real Madrid jogou melhor mas a raça e a determinação dos seus adversários resultaram numa divisão de pontos.

Grupo D

Shakhtar 0-3 Milan

Depois de duas vitórias, duas derrotas. É esta a série de resultados dos ucranianos do Shakhtar, que não se conseguiram superiorizar aos actuais detentores da Liga dos Campeões em nenhum dos dois jogos disputados. Depois do 4-1 em Milão, foi a vez do 3-0 em Donetsk. A vitória começou a ser fabricada no último terço do jogo quando Filippo Inzaghi marcou o primeiro. Seguiu-se um golo de Kaká e já no tempo de descontos, Pippo igualou a marca de golos Gerd Muller nas competições europeias, 62, fazendo o segundo da contagem pessoal e o terceiro da equipa.

Celtic 1-0 Benfica

lc_d_benfica.jpg

No Celtic Park, em Glasgow, disputou-se um jogo renhido e equilibrado cujo vencedor foi o mais feliz na finalização. O Benfica bem se esforçou por chegar ao golo mas isso nunca veio a acontecer, muito por culpa de Cardozo, que desperdiçou duas oportunidades flagrantes. A equipa encarnada não foi inferior ao conjunto escocês mas acabou por sair do Reino Unido sem pontos. McGeady deu aos hoops o único golo do jogo, um golo cheio de sorte, já que a bola bateu num jogador benfiquista antes de ultrapassar a linha de baliza.

Grupo E

Lyon 4-2 Estugarda

O Lyon parece ter acordado e, depois de na jornada anterior ter ganho ao Estugarda, voltou a vencer contra o mesmo oponente. Ben Arfa marcou muito cedo, aos 6 minutos, e o segundo dos franceses, marcado por Kim Kallstrom, deixava antever um jogo calmo para os hexacampeões de França. Porém, o forte avançado Gómez fez o 2-1 logo de seguida, voltando a por os anfitriões em sentido. Ainda na primeira parte, Ben Arfa marcou novamente, colocando o placard em 3-1. Na segunda parte, houve um golo para cada equipa: primeiro para Gómez, o segundo homem do jogo a bisar, depois de Ben Arfa. Depois, já para lá dos 90, foi a vez de Juninho Pernambucano increver o seu nome na lista dos marcadores.

Barcelona 0-0 Rangers

lc_e_barcelona.jpg

O Barcelona permanece invicto e, com 10 pontos, tem praticamente assegurada a passagem à fase seguinte da prova. No Camp Nou, diante do Rangers, Henry e Messi fizeram os dois golos da vitória na primeira parte. O resultado até podia ser mais dilatado, porque a turma catalã, comandada pelo enorme Ronaldinho, se exibiu a um nível extraordinário, suprindo a ausência do luso-brasileiro Deco.

Grupo F

Manchester United 4-0 Dínamo de Kiev

O Manchester United venceu com muita facilidade o Dínamo de Kiev, nesta jornada, em Old Trafford. O começo da goleada deu-se quando o jovem Gerard Piqué fez o 1-0. Ainda na primeira parte, Carlos Tévez aumentou a contagem. O avançado inglês Wayne Rooney foi o autor do terceiro golo da noite e o quarto foi alcançado já perto do fim pelo português Cristiano Ronaldo. Um domínio avassalador que tornou os red devils a única equipa com 100% de vitórias nesta edição da Liga dos Campeões e a primeira a garantir o apuramento.

Sporting 2-2 Roma

lc_f_sporting.jpg

O outro jogo do grupo foi disputado em Alvalade e terminou com um empate a duas bolas. Um empate que sabe a derrota, no Reino do Leão. Cassetti colocou os romanos em vantagem à passagem do minuto 4 e as dificuldades tornaram-se ainda maiores para os leoninos. Porém, Liedson resolveu (ou assim parecia…) e com dois golos, aos 22 e 64 minutos, a vitória parecia não mais escapar aos vice-campeões portugueses. Engano. Parece que a sina dos grandes de Lisboa nesta jornada era não conseguir bons resultados fruto de golos carregados de sorte para os adversários. Este foi um deles. Pizarro remata, Polga toca de cabeça e a bola entra na baliza do Sporting. Um resultado injusto, já que os italianos, cínicos como sempre, não mereciam sair do nosso país com um ponto na bagagem.

Grupo G

Fenerbahçe 2-0 PSV

O Fenerbahçe continua forte nas competições europeias e ainda não saiu de nenhum jogo sem pontuar. Desta feita, fizeram três pontos diante do campeão holandês: o PSV Eindhoven. O jogo, em Istambul, ficou resolvido na primeira parte com dois golos: um na própria baliza, de Marcellis, e outro de Semih Şentürk. Até final, o marcador não conheceu alterações e os turcos estão a pouca distância dos oitavos-de-final.

Inter de Milão 4-2 CSKA de Moscovo

lc_g_inter.jpg

Em San Siro, o Inter levou de vencida a formação russa do CSKA de Moscovo. Não foi fácil. Jô e Vagner Love, dois brasileiros, marcaram e ninguém esperava que os italianos conseguissem marcar quatro golos e golear os homens de Leste. Ibrahimovic marcou imediatamente a seguir a Vagner Love e Cambiasso marcou imediatamente a seguir ao seu colega de equipa. Em quatro minutos, três golos e a igualdade restabelecida. Na segunda parte, foram os mesmos intérpretes a mexer com o jogo, primeiro marcou o argentino; depois o sueco. O jogo terminou e os três pontos conseguidos neste jogo garantem aos nerazzurri a quase passagem à próxima fase.

Grupo H

Steaua de Bucareste 0-2 Sevilha

lc_h_sevilha.jpg

Esta foi a jornada dos bis: depois de Peter Crouch, Ryan Babel, Iverson, Rocchi, Filippo Inzaghi, Ben Arfa, Gómez, Liedson, Ibrahimovic e Cambiasso, foi a vez de Renato fazer dois golos e assumir-se como o melhor jogador do encontro. Em Bucareste, o Steua local até fez um bom jogo e a superioridade dos espanhóis foi muito ligeira. Foi a eficácia do médio brasileiro que fez a diferença e colocou os bicampeões da Taça UEFA em posição privilegiada para seguir em frente na competição rainha do futebol europeu.

Slávia de Praga 0-0 Arsenal

O Slávia de Praga vinha de uma pesadíssima derrota no estádio do Arsenal mas voltou a provar que é capaz de encarar todos os adversários nos olhos, mesmo quando saem vexados duas semanas antes, num jogo contra a mesma equipa. Depois de um 7-0, até parece estranho dizer que as equipas se bateram de igual para igual, só que essa é a mais crua das verdades. E o resultado (0-0) prova-o. Este precioso ponto ganho pelos gunners na República Checa garantiu aos os pupilos de Ársene Wenger o passaporte para os oitavos-de-final.

Fonte: Uefa
Fotos: Futebol de Ataque

Esperança para uns, desilusão para outros

Novembro 11, 2007

João Fragata

As equipas portuguesas tiveram sortes diferentes na ronda europeia da Liga dos Campeões. Enquanto o Porto ganhou graças à inspiração de Sektioui, os leões empataram mesmo com o génio de Liedson. Já aos encarnados faltou-lhes o génio.

imagens_106750.jpg

O jogo até nem começou da melhor forma para os Leões que logo aos 4’ sofreram o primeiro golo do jogo. Casseti, que até jogou adaptado á esquerda, passou bem por Tonel e mesmo com a presença de Izmailov, rematou forte e ao angulo, sem hipóteses para Tiago.
Mesmo podendo pensar-se que o Sporting iria sucumbir rapidamente aos italianos, os leões até reagiram bem, e fizeram provavelmente a melhor exibição da época.

Tanto que aos 22’ Liedson (Quem mais?), com alguma sorte à mistura, restabeleceu a igualdade e a justiça ao jogo. Depois de um cruzamento de Izmailov, o central Mexés e o guarda-redes Doni não se entenderam, deixando a baliza aberta para o 101 golo do brasileiro para o Sporting. Marca histórica para o Levezinho. O Sporting não tirou o pé do acelerador e até podia voltar a marcar até ao fim da primeira parte por duas ocasiões, primeiro por Liedson, que acertou no lado errado das redes, e depois por Moutinho, já no final da 1º parte com o remate a rasar o poste.

Na 2ª parte tudo na mesma, o Sporting a batalhar para ganhar, e aos 64’ minutos, Liedson a bisar num grande golo, e a dar a esperança aos adeptos leoninos. Num canto, provavelmente estudado, uma troca de passes entre Romagnoli e Izmailov, resultaram num cruzamento forte do russo, bem concluído por um cabeceamento em voo do brasileiro, a meter a cabeça onde outros metem o pé. Quando tudo parecia encaminhado para a vitória leonina, veio o balde de água fria.

Num livre favorável à Roma, toda a gente ficou a espera do cruzamento para a àrea, mas Pizarro chutou, ressaltando na cabeça de Polga e acabando com a ilusão de toda a gente no Estádio Alvalade XXI. Um resultado injusto, que deixa os leões a necessitarem de ganhar em casa dos já qualificados Manchester United, e esperando um deslize da Roma.

imagens_106736.jpg

Ja no Estádio do Dragão a História foi diferente. Sem Lucho González (que falta faz naquele meio campo), os portistas não fizeram das melhores exibições da temporada, mas fizeram o que se lhes pedia, foram eficazes.

Não tiveram Lucho para a consistência, mas tiveram o brilho de Sektiou que aos 27’ (sim, esse mesmo que era para ser dispensado), foi desde o meio-campo, passou por 5 jogadores, mais o guarda-redes, marcando assim o 1º golo da noite, um golo que não teve nada a ver com o resto do jogo.

O jogo que até viu o Marselha em alguma superioridade durante largas partes do jogo (se bem que foi um jogo morno), e onde até poderia ter logo empatado num remate de Niang. O que faltou na primeira parte do Marselha (a finalização) veio logo no 2º tempo, e pelo mesmo Niang. Depois de uma apatia primeiro de Fucile, Bonnart cruzou para a cabeça do senegalês que, aproveitando a lentidão de Stepanov, cabeceou para o fundo das redes.

O momento do jogo foi quando Jesualdo Ferreira manda entrar Postiga, deixando Lisandro Lopéz mais solto. Primeiro ensaiou numa jogada em que, após cruzamento de Quaresma cabeceou por cima. Depois, no replay, o argentino (para quando a Selecção?) decidiu empurrar a bola para o sítio certo, dando assim os 3 pontos aos dragões, que assumiram assim o 1º lugar do grupo, precisando apenas de 2 pontos para chegar aos oitavos.

imagens_106743.jpg

Para terminar, temos o Benfica, que continua com os problemas de sempre, a finalização. No jogo para homens, como Camacho proferiu, os encarnados fizeram-se meninos á frente da baliza, e também na disciplina.

Os encarnados tiveram em Cardozo (quem mais?) que ao longo do jogo fez os adeptos desesperar pelos 20 golos prometidos.

Em Parkhead, estádio não muito favorável para as equipas portuguesas, os portugueses tentaram alterar essa tendência, tendo logo de início tentar controlar o jogo, onde os escoceses tentaram gerir sempre sem muito esforço, tentando mais defender que controlar. Logo aos 7’ começou, o festival Cardozo que desferiu um remate forte e colocado mas sem sorte.

Depois, Edcarlos regressado ao eixo da defesa, com um mau passe, “obrigou” Rui Costa a fazer um livre, que viu Kennedy, sem marcação a rematar ao lado.
Até ao fim da 1ª parte, o Celtic começou a acordar e aos 17’ e 22’ valeu às águias a atenção de Quim (para quando a titularidade da selecção?) defendendo dois fortes remates. Contudo nem o guarda-redes valeu quando, quase no fim da 1ª parte McGeady, atirou forte ressaltando em Luisão, o que enganou Quim e colocou os católicos na frente.

Na 2ª parte, ao contrário do que se esperava, o Benfica não veio mais atacante, mas continuou a tentar a vitória. Contudo, para variar, Cardozo continuou com a malapata e teve mais algumas oportunidades na 2ª parte, que desperdiçou.

Até ao fim do jogo, destaque ainda para Quim, continuando a defender bem a baliza dos encarnados que defendeu bem a remate primeiro de Scott Brown aos 70’ e quase no fim do jogo, a remate de McGeady. Já quase no fim também, continuaram os meninos a aparecer, desta vez foi Binya, que numa entrada sem explicação nenhuma levou vermelho e foi descansar mais cedo.

Com isto, o Benfica complicou cada vez mais a participação na Liga dos milionários, e está obrigado a vencer aos italianos do Milan, e aos ucranianos do Shakhtar, e fica dependente dos outros.

Sorte diferente portanto para as equipas portuguesas, que assim têm que suar para passar aos oitavos (Benfica e Sporting), excepção para os campeões nacionais, que podem assim depender de si próprios.

Fotos: Record

Taça Uefa: Fase de Grupos – 1ªjornada

Outubro 28, 2007

Gustavo Teixeira

E eis que se jogou a primeira jornada dos grupos da UEFA. A única equipa portuguesa em prova, o Sp. Braga, teve um inicio prometedor, ao ir empatar a Inglaterra frente ao Bolton Wanderers a um golo. Um jogo pouco emotivo e algo lento. Notou-se um Sp. Braga disposto a arrancar um empate fora de casa jogando o quanto baste para tal.Tudo corria bem até que aos 67 minutos El-Hadji Diouf pos os ingleses em vantagem. A partir daí os arsenalistas acordaram e foram recompensados a 3 minutos do fim por Jailson, empatando.

bolbrag.jpg

Ainda no mesmo Grupo F o Bayern Munique ganhou em Belgrado frente ao Estrela Vermelha, por 3-2. Um grande jogo em que os bávaros estiveram a perder por duas vezes, e deram a volta nos últimos 5 minutos. De fora ficou o Aris Salónica, que já deve ter tido uma percepção da boa qualidade do grupo onde está inserido.

No geral da primeira jornada realce para o grupo B que em dois jogos se marcaram 9 golos, e para os jogos do Atlético Madrid que empatou a 3 bolas em Moscovo, com dois golos de Aguero, que se está a tornar um caso serio na finalização, a fazer esquecer de todo El Niño Torres.
Surpreendente também a derrota do Tottenham Hotspurs em casa frente aos espanhois do Getafe, que aliado ao 18º lugar na Premiership não augura nada de bom esta época para os Londrinos.

Não se pode deixar de referir a má época do famigerado Sparta Praga, que não só não consegue acompanhar o Slávia no campeonato como perdeu em casa contra os suiços do FC Zurique.
Último realce desta jornada para o empate dos gregos do Panionios em Helsingborgs a uma bola. Panionios que começa a ser um clube rotinado nesta Taça UEFA, onde tem aparecido sempre nestes últimos anos.

Grupo A

Zenith e AZ em São Petersburgo, ex-Leninegrado, abriram as hostilidades na prova visto que foi o primeiro jogo a ter inicio entre todos os 16 que compunham esta jornada. No final registou-se um empate a um golo. Pelos holandeses marcou Ari Ferreira que acabou por ser expulso ainda na primeira parte.
No outro jogo o Everton recebeu e venceu o Larissa da Grécia, por 3-1, e só precisou de 14 minutos para começar a vencer, golo de Tim Cahill.
De fora ficaram os alemães do Nuremberga.

Grupo B

Grandes jogos ontem neste grupo. O Panathinaikos de Peseiro despachou os fracos escoceses do Aberdeen com 3-0 e em Moscovo, Lokomotiv e Atl. Madrid davam espectáculo empatando a três golos. Se Aguero marcou dois pelos madrilenos, Odemingwie pelos russos não se ficou atrás e em 3 minutos marcou dois golos. Começou melhor o Atlético que esteve a ganhar por 1-0 e 2-1, e em 3 minutos se viu a perder por 3-2, aos 61 e 64 minutos. Aguero empatou a 5 minutos do fim.
De fora ficou o não menos forte FC Copenhaga, por isso prevê-se que este seja um dos grupos mais espectaculares, se não o mais.

Grupo C

Estranha coincidência neste grupo, onde todos empataram a um golo. O jogo grande era o Villareal – Fiorentina, e os italianos puseram-se em vantagem no inicio da segunda parte pelo veterano Christian Vieri. O empate surgiu já em fase de desespero aos 87 minutos por Capdevilla. Na Suécia Elfsborg e AEK Athenas não fizeram diferente empatando pelo mesmo resultado.
De fora ficaram os checos do Mladá Boleslav.

Grupo D

O Hamburgo deslocou-se à cidade de uma das surpresas desportivas desta época. Em Bergen mora o novo Campeão Norueguês que este fim de semana pôde festejar o titulo embora perdendo o jogo mas beneficiando do resultado dos seus adversários directos. O SK Brann Bergen é a duas jornadas do fim o campeão Norueguês de 2007.
Jogo morno apesar do frio nórdico, e que levou o Hamburgo a demorar uma hora e dois minutos para selar o resultado de 1-0 por intermédio de Vincent Company.
No outro jogo duelo de vizinhos com os suiços do Basileia a baterem em casa os franceses do Rennes, também por 1-0.
De fora ficou o Dinamo Zagreb.

Grupo E

Neste grupo pelo contrário mora uma das desilusões europeias desta época. O Sparta Praga, que a nível interno está em 4º lugar a 8 pontos do lider Slávia Praga e já com 3 derrotas em apenas 10 jogos, duas delas em casa. Receberam o FC Zurique e perderam por 1-2, num jogo em que estiveram em vantagem. O estranho é que no final vieram reclamar uma epidemia viral antes do proprio jogo, sendo que 5 titulares não jogaram tendo ido para o hospital com tonturas e dores de estômago. Outros 7 jogadores tiveram os mesmos sintomas mas não tão fortes. Estranha historia esta.
No outro jogo o Bayer Leverkusen bateu os franceses do Toulouse com golo solitário de… Kiessling, pois claro.
De fora ficou o Spartak Moscovo.

Grupo G

Mora neste grupo a maior surpresa da ronda. O estreante Getafe foi vencer a Londres o Spurs. Como é possível que uma equipa como o Tottenham esteja, internamente, em zona de despromoção, apenas com 7 pontos e com 5 derrotas em 10 jogos? Este jogo até começou bem para os ingleses que aos 19 minutos marcaram por Jermain Defoe, mas depressa a desilusão chegou, já que em apenas dois minutos a igualdade foi reposta por Gutierrez. Na segunda parte Braulio arrumaria a questão aos 70 minutos, fazendo o 1-2.
Durante o jogo ouviram-se canticos de apoio dos fans para o recém despedido Martin-Jol que já sabia que qualquer que fosse o resultado estaria despedido.
Segundo consta Juande Ramos do Sevilha já terá assinado contrato com os ingleses para substituir o holandês.
No outro jogo do grupo o RSC Anderlecht venceu fácilmente os israelitas do Hapoel Tel Aviv por 2 golos sem resposta, com um golo em cada parte.
De fora ficou o Aab Aalborg, que eliminou a Sampdória.

Grupo H

Outra das surpresas da noite com o Panionios a empatar na Suécia, em Helsingborgs ( Curiosidade da jornada foi que dois clubes gregos empataram na Suécia a 1 golo). Começaram melhor os gregos que marcaram nos descontos da primeira parte e sofreram o empate aos 87minutos por… (este toda a gente acerta no nome…)isso mesmo, Henrik Larsson.
No outro jogo o Bordéus recebeu e deu a volta ao jogo frente aos turcos do Galatasaray. Ao intervalo venciam os visitantes com golo de Nonda mas no final o resultado foi de 2-1 a favor dos franceses.
De fora ficou o Austria Viena.

Texto e foto gentilmente cedido pelo Futebol de Ataque

Liga dos Campeões: Fase de Grupos (Jornada 3)

Outubro 28, 2007

Francisco Reis

Grupo A

Beşiktaş 2-1 Liverpool
O Beşiktaş provou que é uma equipa muito forte em casa e levou de vencida a equipa vice-campeã europeia, o Liverpool. Hyypiä, com um auto-golo aos 13 minutos, começou por complicar a vida à equipa em britânica. Depois, aos 65, o capitão Gerrard ainda conseguiu restabelecer a igualdade, mas Bobo, brasileiro da equipa turca, deu definitivamente a vitória à formação de Istanbul, cidade onde o Liverpool se sagrou campeão europeu em 2005.

Marselha 1-1 Porto
O Marselha vinha de duas vitórias na Liga dos Campeões e o Porto precisava de vencer para passar para a liderança do grupo. Apesar de ter sido um desafio claramente dominado pela equipa azul e branca, acabou por se registar um empate. Já no Dragão, diante do Liverpool, o Porto tinha jogado muito melhor mas acabou por empatar. Niang, que já merecia ter sido expulso antes, marcou aos 69 minutos, inaugurando o marcador contra a corrente do jogo. Lucho González , de grande penalidade, dez minutos volvidos, tornou “a injustiça menos injusta”.

porto.jpg

Grupo B

Rosenborg 2-0 Valência
O Rosenborg tem sido uma agradável surpresa nesta edição da Liga dos Campeões. Depois de arrancar um empate no Stamford Bridge na primeira jornada, os nórdicos venceram o Valência, na Noruega. Koné e Riseth foram os dois marcadores dos golos.

Chelsea 2-0 Schalke 04
Num jogo disputado em Inglaterra, foram jogadores a falar francês os autores dos golos. Malouda tem-se verificado a maior contratação do Chelsea neste defeso e marcou logo a abrir um golo. Drogba, aos 47 minutos, marcou o segundo e último golo dos blues.

Grupo C

Werder Bremen 2-1 Lázio
O Werder Bremen conseguiu, finalmente, pontuar. Sanogo marcou aos 28 minutos e as equipas recolheram aos balneários com uma vantagem germânica. No segundo tempo, Hugo Almeida, voltando a demonstrar um excelente momento de forma, marcou mais um golo. Manfredini já só foi a tempo de reduzir a desvantagem.

Real Madrid 4-2 Olympiacos
Os líderes do grupo C defrontaram-se no Santiago Bernabéu num jogo que resultou em seis golos. Raúl marcou aos 2 minutos e Galletti empatou aos 7. Júlio César, logo no ínicio da segunda parte, ainda colocou os helénicos a vencer, mas um bis de Robinho voltou a dar vantagem aos merengues. Nos descontos de tempo, Balboa sentenciou a partida. Os espanhóis parecem bem encaminhados para passar aos oitavos-de-final.

Grupo D

Milan 4-1 Shakhtar
As duas equipas que até agora se têm revelado mais fortes dentro do grupo D mediram forças em pleno San Siro. Gilardino marcou por duas vezes, aos 6 e 14 minutos. Na segunda parte, Lucarelli ainda deu esperanças ao conjunto ucraniano, mas Seedorf, com mais uma prova de que a veterania não significa categoria, marcou dois golos, aos 62 e 69 minutos, estabelecendo o resultado final.

Benfica 1-0 Celtic
O Benfica sofreu mas venceu um jogo pautado pelo equilíbrio. O Benfica, apesar de tudo, mereceu ganhar. Foi Cardozo, que já tinha enviado duas bolas aos ferros, o autor do golo e o melhor elemento encarnado. Foi aos 87 minutos, já muito perto do final, que surgiu o golo vitorioso, na Luz. Esperança para os encarnados, agora…

getimage3.jpg

Grupo E

Estugarda 0-2 Lyon
O Lyon tem feito uma má Liga dos Campeões e os pontos ainda não tinham aparecido para os franceses. Tiveram que ir a Estugarda, apenas à 3ª jornada, para conseguir pontuar. E logo com três pontos. Fábio Santos e Benzema, com golos na segunda parte, foram deram a primeira vitória ao Lyon nesta edição da Liga dos Campeões.

Rangers 0-0 Barcelona
Em Glasgow, nem o Barcelona nem o Rangers conseguiram marcar golos. O nulo acabou por prevalecer num jogo em que os catalães foram mais fortes mas os anfitriões foram sólidos defensivamente.

Grupo F

Dínamo de Kiev 2-4 Manchester United
O Manchester United está praticamente apurado para a fase seguinte. Três jogos, três vitórias é o saldo dos red devils nesta Liga dos Campeões. Nos primeiros vinte minutos, Rio Ferdinand e Wayne Rooney marcaram dois golos que deram segurança aos ingleses para encarar o resto do jogo. Digo Rincón marcou e provou que, em casa, os ucranianos queriam discutir o resultado. Cristiano Ronaldo, com dois golos (um deles de grande penalidade), fez o 4-1 e terminou com o jogo. O golo de Bangoura de nada valeu aos da casa.

Roma 2-1 Sporting
O Sporting bem se esforçou para vencer mas a Roma, sempre com um ligeiro domínio, acabou por consumar uma vitória caseira. O central Juan colocou os romanos em vantagem à passagem do quarto de hora mas o “Levezinho” Liedson, parecia disposto a resolver: empatou logo de seguida. O empate estendeu-se até próximo do final quando Vučinić marcou, com muitas culpas para a defesa. Ficou mais complicada a vida para os leoninos.

getimage4.jpg

Grupo G

CSKA de Moscovo 1-2 Inter de Milão
O Inter foi à Rússia derrotar o CSKA. Jô, avançado brasileiro, ainda marcou primeiro para os moscovitas mas, na segunda parte, Crespo e Walter Samuel encarregaram-se de dar uma cambalhota ao marcador deixando o CSKA sem pontos nesta jornada. Os italianos são, agora, os novos líderes do grupo G.

PSV 0-0 Fenerbahçe
O Fenerbahçe vinha de uma vitória e um empate; o PSV vinha de uma vitória e uma derrota. O empate acabou por ser o resultado mais justo num jogo em que nenhuma das equipas conseguiu marcar. Deivid foi expulso e o Fenerbahçe, mesmo a jogar com 10, ainda poderia ter alcançado uma vitória. Tal não se verificou e os holandeses acabaram por sair mais prejudicados com isso.

Grupo H

Sevilha 2-1 Steaua de Bucareste
O Sevilha começa a marcar passo e após um desaire inicial com o Arsenal, já soma 6 pontos. Desta vez, a vítima foi o Steua de Bucareste que foi a Espanha perder por 2-1. Os avançados Kanouté e Luís Fabiano marcaram dois golos no ínicio do jogo – primeiros vinte minutos – e os romenos nunca conseguiram impor-se. O inevitável Petre ainda reduziu para 2-1 na segunda parte.

Arsenal 7-0 Slávia de Praga
A grande surpresa da jornada acabou por ser, além da vitória do Rosenborg, a goleada do Arsenal frente aos checos do Slávia de Praga. Não pelo facto de terem ganho, porque eram claramente favoritos, mas pela expressividade do resultado. De resto, apenas o Arsenal e o United se podem gabar de terem um registo de três vitórias em três jogos disputados, o que prova o poderio de ambas as formações. No fundo, este jogo foi um festival de golos. Fabregas abriu a contagem, seguido de Hubacek (que marcou na própria baliza) e Walcott. Na segunda parte, o mesmo Walcott voltou a marcar, já depois de um tento de Hleb. O 6-0 foi feito por Fabregas e Bendtner fechou o marcador já perto do final do jogo.

Fonte: Uefa
Fotos: Record e Uefa

Pode também ver este texto no blog Futebol de Ataque