Archive for the ‘Especial Europeu de Futsal’ Category

Do Céu ao Inferno é um instante

Novembro 25, 2007

João Fragata

Acabou o Europeu de Futsal. A modalidade abandona assim a cidade de Gondomar que em cerca de uma semana recebeu a modalidade e encheu o pavilhão para os jogos. Portugal conseguiu a sua melhor marca mesmo tendo ficado fora do pódio. Conseguiu também mostrar potencial para ter um futuro auspicioso e apenas foi castigado pela inexperiencia da equipa em si, em fases do campeonato.

futsal-europeu.jpg

Portugal até não começou mal o campeonato empatando a 0-0 no primeiro jogo contra a toda poderosa Itália. Foi um jogo onde os portugueses mostraram que foram para o Europeu com vontade de ser campeões. Seguiu-se a Rep. Checa, onde Portugal mostrou a sua raça. Estando a perder por duas vezes no jogo (por 1-0 e por 3-1) os pupilos de Orlando Duarte mostraram a sua qualidade e recuperaram o jogo ganhando por 5-3. Contudo ficou também visto que há algumas coisas a melhorar, e a defesa começa a ser uma delas. A falta de experiência para gerirem resultados também. Por fim, carimbaram a passagem às meias-finais com o jogo mais “à vontade” dos jogadores. Receberam a Roménia e ganharam por claros 3-0, e pela primeira vez conseguiam ir às meias-finais.

Contudo, a tal falta de calma e experiência mostrou-se no jogo das meias e no da atribuição de 3º e 4º lugares. Na primeira calhou na sorte que Portugal iria defrontar a campeã europeia e mundial, Espanha. O jogo até começou bem, muito bem mesmo para a nossa Selecção. Entraram com garra, com querer. Não foi de espantar então que Portugal conseguisse estar a ganhar por 2-0 até 4 minutos do final. Os golos foram marcados por Gonçalo e Ricardinho, este último provavelmente um dos melhores (se não o melhor) do torneio com o jogador do Benfica a corresponder de forma acrobática a um passe de Pedro Costa. Contudo, e embora tenham tentado organizar da melhor maneira o resultado, quando os espanhóis decidiram investir com mais um jogador, tirando o Guarda Redes por um jogador de campo, foi quando Portugal não aguentou a pressão. Sofreu o 2-1 aos 36’ por Daniel e aos 38’ Andreu lançou um balde de água fria aos adeptos e aos jogadores Portugueses. Quando foram para o desempate por Penalties, era muita a esperança, e seria justo pelo que a Selecção fez no campeonato. Contudo Joel e Leitão não conseguiram marcar as grandes penalidades e a Campeã europeia podia assim tentar defender o seu título.

Restava-nos o 3º lugar. Contudo nem isso os jogadores conseguiram, não por não tentarem, mas porque o azar também decidiu bater à porta. A Rússia tinha perdido com a Itália nas meias-finais, e como é sabido no futebol e futsal também o próximo é que paga a conta. E infelizmente foi o que se sucedeu. No jogo de atribuição do 3º e 4º lugar, Portugal entrou como em todos jogos,com vontade e até começou a ganhar num jogo que logo de início mostrava maior domínio português e em especial Pedro Costa que em apenas 5 minutos teve duas oportunidades de marcar golo. A Rússia teve também a estrelinha com eles quando Israel primeiro e depois Arnaldo, remataram ao poste, quando já parecia golo certo. Contudo Portugal continuou a pressionar e a 5 minutos do fim da primeira parte conseguiu mesmo o 1-0 por Gonçalo que depois de uma atrapalhação de Zuev conseguiu marcar.

Contudo, até ao fim do 1º tempo a Rússia dava a volta ao resultado e marcou 2 golos em apenas 30 seg. Primeiro Cirilo aos 16’55’’ e depois Fukin aos 17’25’’ colocou os russos à frente. Portugal voltava a fazer o mesmo, com o jogo na mãoe deixava-se ir abaixo e perdia a concentração e a calma. A segunda parte foi cheia de emoção com oportunidades variadas para os dois lados. A Portugal faltava-lhe era calma e discernimento na hora H. Contudo aos 35’ Leitão mostrou como se fazia e numa jogada individual conseguiu empatar o jogo. Pensar-se-ia que era desta que dávamos a volta, mas não. Apenas 33 seg depois a Rússia ia fazer o resultado final com Shayakhmetov a colocar a Russia no pódio com a medalha de Bronze.
Portugal despediu-se então com o 4º lugar. Não obstante de ter sido a melhor classificação portuguesa de sempre em Europeus, os portugueses são mesmo assim e ficava-se a pedir um pouco mais. Portugal teve o apoio necessário, mostrou o potencial suficiente para pelo menos disputar a final e até vencer. Contudo, Orlando Duarte ainda tem trabalho pela frente, e com esforço e trabalho Portugal pode vir a ser uma das melhores selecções do mundo. Para nós portugueses, já o é. Curiosidade também para as palavras do seleccionador, que mostra que esta prova foi boa para divulgar a modalidade, e esperemos que tenha mudado a ideia das pessoas que desporto é só o futebol. Tal como Orlando Duarte também eu espero que “.. seja um incentivo para os nossos jovens jogadores e que o futsal se possa desenvolver no nosso país.” Esperemos que sim.

Espanha é bi-campeã europeia.

Enquanto Portugal ficava pelo 4º lugar a Espanha aproveitou para vencer e revalidar o seu título de campeã europeia e a ganhar o seu 3º título europeu. Curiosidade para este jogo ter sido a réplica da final do último Mundial de Futsal em 2004, que a Espanha também venceu mas por 2-1 .

Como em qualquer final, começou muito calmo, com as equipas a testarem-se e a tentarem ganhar espaços. Contudo a Espanha mostrou o porquê de ser a melhor do mundo e aos poucos foi fazendo o resultado final. Se pela Itália Foglia tentava marcar, pela Espanha Marcelo mostrava que era um adversário a respeitar. Não foi portanto de estranhar que o espanhol aos 9’ marcasse após grande jogada de Álvaro. A Itália tinha que ir atrás do prejuízo e foi isso que fez até ao final da 1ª parte. Contudo, nada quebrava a baliza de Amado. E já na segunda parte aos 22’ a missão ficou mais dura quando a Espanha, continuando a velocidade cruzeiro, marcou de novo por Daniel, onde Álvaro esteve outra vez na jogada, tendo rematado primeiro para depois um dos 3 melhores marcadores do torneio, ter feito o 2-0 e quase sentenciar o jogo. Tanto que a Espanha não demorou muito e aos 27’ voltou a marcar. Marcelo (sempre ele) a fazer uma grande jogada para Javi Rodriguez fazer o 3-0 e sentenciar o jogo. Contudo a Itália arriscou e mandou o guarda redes Feller avançar e fazer de jogador de campo. Tal medida foi frutífera e aos 30’ o italiano rematou forte e a bola, depois de um desvio foi para o fundo das redes, estabelecendo o resultado final. O 3-1 animou um pouco o jogo, mas a Espanha soube ter a calma suficiente (que falta fez isso a Portugal) e fez a festa, tendo então o título de bi-campeã europeia em título e o de campeã mundial.

Portanto, a classificação ficou Espanha em 1º, a Itália em 2º, os Russos em 3º e a nossa Selecção em 4º.

Quanto a melhores marcadores nota para o facto de haver 3 melhores marcadores com 5 golos, e para a surpresa Predrag Rajic, cujos golos foram todos marcados na fase de grupos pois a Sérvia nem passou dessa fase. Os outros dois foram Cirilo (que marcou o 5º contra Portugal) e Daniel, que até se estreeou a marcar em fases finais do Europeu e que consegui assim o prémio também. Quanto a portugueses, Ricardinho estava quase quase a conseguir também esta distinção, ficando com 4 golos marcados. Fica para 2009 na Hungria, quando a competição já tiver 12 equipas.

Fontes: Site oficial do Europeu Futsal, Infordesporto
Foto: Arquivo Online

Portugal tem começo agridoce

Novembro 19, 2007

João Fragata

Não foi bom, nem foi mau. Foi assim assim. Assim se pode considerar o começo de Portugal no Europeu de Futsal, na passada sexta-feira, frente aos Italo-Brasileiros da Itália. Portugal empatou 0-0 e fica juntamente com a Itália no 2º lugar, no grupo A que é liderado pela surpresa Roménia que venceu 8-4 á República Checa.

futsal.jpg

Os jogadores de Orlando Duarte até mostraram vontade, talento e qualidade para conseguirem o sonho de ganhar o Europeu. Contudo, faltou a sorte e a finalização. Contra uma antiga campeã europeia, com muitos jogadores brasileiros, Portugal mostrou que é uma selecção a ter em conta, e que quer fazer aquilo que a Selecção em futebol não fez. Vencer o Euro em casa.

Portugal começou o jogo com Benedito, Arnaldo, Pedro Costa, Ivan e Ricardinho enquanto que a Itália iniciou o jogo com a particularidade de todos os jogadores terem nascidos no Brasil, Feller, Grana, Bertoni, Fabiano e Morgado.

Portugal até começou bem e Ricardinho (que nem esteve nas melhores noites) logo aos 2’ rematou para uma grande defesa do guarda-redes transalpino. Logo a seguir Carlos Morgado podia ter marcado para a Itália mas em frente a baliza rematou por cima.
Depois, aos 8’ minutos Leitão, isolado podia ter inaugurado o marcador, mas desequilibrou-se e a bola foi para as mãos de Feller que tentou jogar logo o contra-ataque para Jocimar Jubanski mas este chegou atrasado.

Com 3500 espectadores a apoiarem-nos, os portugueses continuavam a batalhar e até podiam ter conseguido o golo através de Gonçalo Alves (o melhor do jogo), que aos 18’ rematou bem, mas a bola ainda tocou no guarda-redes e no poste direito.

Na 2ª parte o jogo mudou. A experiência da equipa transalpina notou-se, defendendo bem, e aproveitando os erros defensivos dos portugueses. Erros que se baseiam quase só num, mas repetido. Por diversas vezes, Portugal falhava na marcação do jogador do lado oposto de onde se encontrava a bola. Resultado vários remates da Itália por esse lado, mas ou ao lado, ou Benedito mostrava o porquê de ser um dos melhores guarda-redes do mundo.

Mesmo assim, e contra a corrente do jogo, Portugal podia ter marcado num livre estudado, finalizado por Gonçalo Alves (quem mais?) mas salvo em cima da linha. Até ao final também Bertoni e Morgado podiam ter marcado para a selecção italiana.

Uma exibição boa e um resultado bom, segundo o seleccionador português, e que ajuda ao objectivo que é passar á próxima fase, seja em 1º ou 2º lugar.

Já Alessandro Nucorini, técnico italiano, considerou um jogo equilibrado e aberto, que só pecou pela falta de golos. Considerou também que foi um bom resultado para a Itália, porque jogo em casa do adversário.

Com este resultado as duas equipas ficam no 2º lugar, no grupo A que é liderado pela Roménia, estreante no campeonato, e que venceu a República Checa por 8-4 com destaque para os 3 golos do melhor marcador do campeonato Robert Matei.

Foto: Arquivo Online

Que venham as bandeiras outra vez

Novembro 19, 2007

João Fragata

Portugal volta a estar nos olhos do desporto europeu. Desta vez recebe o Europeu de Futsal 2007. De 16 de Novembro a 25 de Novembro, o multiusos de Gondomar (onde vai ser a final) e o pavilhão municipal de Santo Tirso vão receber as 8 melhores selecções europeias de Futsal.

futsal-europeu.jpg

O Futsal cada vez mais tem começado a ter um grande reconhecimento nacional em Portugal. E a realização do Euro no nosso país vem ajudar a que possa tentar ombrear com o domínio do futebol.

O Europeu de Futsal existe oficialmente desde 1999. Isto aconteceu depois de não-oficialmente ter sido feito um protótipo em 1996 na cidade espanhola de Córdoba, ganho pela Espanha, que com este campeonato conseguiram convencer o Comité Executivo da Uefa a darem mais atenção á modalidade e criar um campeonato oficial. Desde a sua criação o campeonato, que se realiza de dois em dois anos, já teve mais 4 edições, com algum domínio espanhol ganhando 2 das 4 edições, ficando as outras a cargo da selecção Italiana e da Rússia que venceu. De relevar que esta é a 4º participação portuguesa em europeus.

Este ano realiza-se em Portugal e conta com a participação de República Checa, Itália, Roménia, Espanha, Rússia, Ucrânia, Sérvia, e claro a anfitriã.

Os jogos vão realizar-se em grande parte no Multiusos de Gondomar, tendo excepção de 2 dos últimos jogos da fase de grupos que se realizarão no pavilhão municipal de Santo Tirso.
Portugal encontra-se no grupo A, juntamente com as selecções da Roménia, Itália e República Checa.

Já o grupo B alberga as selecções da Espanha, Rússia, da Ucrânia e da Sérvia.
Portugal começa o campeonato com um jogo contra a Itália, um jogo entre as presumiveis melhores selecções do grupo, enquanto a Roménia joga contra a República Checa.

No grupo B a Espanha joga contra a Ucrânia enquanto a Sérvia bate-se com a Ucrânia.

Fontes: Infordesporto, MaisFutebol, Site Oficial do Europeu 2007
Foto: Infordesporto