Posts Tagged ‘Basquetebol’

Michael Jordan: The King

Abril 22, 2008

Miguel Pereira

Considerado unanimemente como o melhor basquetebolista de todos os tempos. Cinco após se retirar de vez das arenas norte-americanas, continua a ser a cara da NBA e um exemplo que todos querem seguir.

Nascido em Brooklyn, no estado de Nova Iorque. Com 18 anos, após figurar no McDonald’s All-American Team, ganhou uma bolsa para praticar basquetebol na Universidade de Norte Carolina. Após ter ganho ter-se destacado no Campeonato das Universidades, foi seleccionado em 1984 para a equipa dos Chicago Bulls.

No estado de Illinois construiu uma carreira lendária, repleta de sucessos, de triunfos. Anunciou que se retiraria das arenas em 1993 e surpreendeu toda a gente quando assinou pelo Chicago White Sox, uma equipa da divisão menor de basebal americano. A paixão pela NBA, contudo, não se desmoronou e voltou ao “seu” Chicago Bulls em 1995.

A 14 de Junho de 1998, Jordan faz o seu último jogo pelos Bulls, o que muitos pensariam que seria o seu último jogo na NBA. A verdade é que o “The King” voltou a espantar quando anunciou, a 25 de Setembro de 2001, que voltaria a NBA, mas desta feita para representar os Washington Wizards. Esta decisão muito se deveu a uma questão de solidariedade, pois Jordan doou o seu salário às vítimas dos atentados de 11 de Setembro.

Esta semana fez cinco anos que “Air Jordan” fez o último jogo com a camisola do Washington Wizards e, consequentemente, o seu último jogo na NBA. Embora para os críticos a despedida tivesse acontecido há dez anos, quando Jordan fez o seu último jogo com a camisola dos Bulls.

Nos tempos que correm, o melhor jogador de basquetebol de todos os tempos é um dirigente discreto nos Charlotte Bobcats, equipa que foi ingressou na liga americana em 2004. É um jogador assíduo de golfe e continua a dar a cara a muitos anúncios publicitários. Ainda hoje é figura mais carismática da NBA e a sua influência na competição continua intacta. No último mês, a loja oficial da NBA comemorou o seu décimo aniversário e anunciou as camisolas que foram mais vendidas ao longo da última década. No topo da lista estava, é claro, Michal Jordan.

Era uma vez um “americano tranquilo”

Março 2, 2008

Miguel Pereira

Uma das maiores figuras do basquetebol português faleceu na passada terça-feira, quando orientava um treino do Quintajense. Mike Plowden, conhecido como o “americano tranquilo”, faleceu, aos 49 anos, vítima de paragem cardíaca.

215942.jpg

Mike Plowden chegou a Portugal no início da década de oitenta para representar o Barreirense. Em 1987, naturalizou-se português e chegou a alinhar pela Selecção Nacional 61 vezes. Representou o Atlético e o Benfica, onde integrou uma das melhores equipas de sempre da formação da Luz, com Carlos Lisboa, Pedro Miguel, José Carlos Guimarães e Jean Jacques.

Carlos Lisboa descreve-o como “um grande homem, humilde e empenhado”. O actual director-geral do basquetebol do SL Benfica refere que “a família do basquetebol” está triste.

Aos 49 anos, Mike Powden morreu a fazer aquilo de que mais gostava: ensinar basquetebol aos jovens.

Outros casos no basquetebol português

Infelizmente o cenário de morte com paragem cardíaco não é virgem no basquetebol português. Além de Mike Plowden, já ocorreram três casos semelhantes.

Em 1997, o jogador espanhol da Portugal Telecom Angel Almeyda não resistiu a uma paragem cardíaca durante um treino. Um ano mais tarde, o angolano Rui Guimarães, também da Portugal Telecom, seria vítima do mesmo infortúnio. Há quatro anos, quando decorria o jogo entre Aveiro Basket e Benfica, o aveirense Paulo Pinto também viria a sofrer de uma crise cardíaca.

Fonte: O Jogo, Record, Infordesporto
Foto: Infordesporto

Só Cordell não chega

Novembro 18, 2007

João Fragata

Cordell Henry começa cada vez mais a ser o único jogador da Ovarense a remar contra a maré na participação da equipa portuguesa na ULEB Cup.

cordel.jpg

Depois da derrota do primeiro jogo, contra os sérvios do FMP Belgrado por 89-79, onde o norte-americano marcou 29 pontos e fez 6 assistências, o jogador repetiu a dose e marcou 31 pontos na 2ª ronda da taça onde a equipa de Ovar perdeu com os Letões do Ventspils por 68-92. O base Norte-Americano é já, inclusive, o melhor marcador da ULEB Cup.

Contudo, não foi suficiente num jogo que começou mal para os portugueses, que começaram logo a perder por 2-10. Valeu a tentativa de resposta do Americano e do Português Rui Mota, que com 10 pontos ainda tentou dar a volta ao resultado levando a equipa para a frente. Contudo, o treinador, inexplicavelmente, decidiu deixar o jogador no banco em grande parte do 2º tempo.

Se tudo corria mal aos bi-campeões nacionais, aos letões parecia que tudo corria bem. Antes do intervalo, no qual sairam a ganhar por 24-44, marcaram três triplos consecutivos que mostravam bem como seriam os dois últimos tempos.

Foi uma equipa muito desinspirada a que apareceu na Arena de Ovar, que começa assim a hipotecar a hipótese de atingirem os objectivos de quererem voar na Europa. Com esta 2ª derrota a Ovarense é a única equipa que ainda não ganhou, assumindo o 6º e último lugar no grupo B liderado pelos turcos do Besiktas, que, com a vitória de 79-60 sobre os alemães do Koln 99ers, assumiram a liderança do grupo com 2 vitórias.

A classificação do grupo B:
1º Besiktas Cola Turka 2V 0D
2º BK Ventspils 1V 1D
3º Elan Chalon 1V 1D
4º FMP 1V 1D
5º Köln 99ers 1V 1D
6º Ovarense Aerosoles 0V 2D

Fontes: Site Oficial da ULEB Cup, JN, Infordesporto

Ovarense volta a conquistar Supertaça

Outubro 21, 2007

porto-ovarense.jpg

Francisco Reis

A Ovarense parece imparável neste início de época. Depois da conquista do Torneio dos Campeões, facto que O Online também noticiou, os vareiros venceram a 23ª Supertaça, 7ª do seu historial.

A superioridade em relação ao FCPorto foi sempre evidente e nunca se chegou a pensar que os dragões pudessem vencer a partida – a Ovarense esteve praticamente todo o encontro na liderança do marcador.

Na Póvoa do Varzim, perante uns escassos 750 espectadores, a formação orientada por Luís Magalhães beneficiou da sua experiência, do maior entrosamento entre os seus jogadores e de uma notória superioridade qualitativa.

O resultado final fixou-se nos 66-56 e nem a excelente exibição do novo americano do Porto, Toree Morris, valeu aos azuis e brancos. Ben Reed esteve imparável e Nuno Manarte, Miguel Miranda, Gregory Stempin e Élvis Évora acompanharam-no com boas prestações no terreno de jogo.

Deste modo, a Ovarense igualou o Benfica em número de Supertaças ganhas – sete. No confronto directo com o Porto passam agora a liderar por 4-3.

Fontes: Record/ Jornal de Notícias
Foto: Site Oficial do FC Porto

Proliga: 1ªjornada

Outubro 21, 2007

proliga.png

Francisco Reis

Começou a 5ª edição do Campeonato da Proliga, competição organizada pela Federação Portuguesa de Basquetebol. Depois de quatro edições – três delas conquistadas pelo Sampaense, a última pelo Vitória de Guimarães –, esta é a que vai, certamente, ter mais atenção mediática.

O Benfica, o Queluz e o Seixal, três históricos da modalidade no país, são os grandes responsáveis por isso. Os dois primeiros saíram da Liga Profissional – da responsabilidade da Liga de Clubes de Basquetebol –, o terceiro ascendeu depois de ter passado os últimos anos nos CNB2 e CNB1.

Espera-se que a competição seja um sucesso e a primeira jornada trouxe consigo alguma água na boca e a perspectiva de uma excelente competição. Sem dúvida que a equipa do Benfica é a grande favorita à conquista do título mas há conjuntos que não podem ser menosprezados pelo seu valor: Queluz, Vitória de Guimarães e Sampaense são os três grandes opositores, aos quais se podem acrescentar Illibabum e Física.

Na primeira jornada, destaque para as vitórias de Benfica, Seixal, Angra Basket, Física, Atlético, Vitória de Guimarães e Sampaense.

O Benfica derrotou o Galitos por 86-79. A equipa aveirense não conseguiu superiorizar-se aos ex-profissionais da Luz.

O Seixal não teve grandes dificuldades em bater um dos “elos mais fracos” da Proliga, o Vila Pouca de Aguiar, por 81-50.

O Angra Basket, a mais forte equipa açoriana depois do Lusitânia, sofreu mas venceu o Illiabum por 76-73.

O Física entrou com o pé direito no campeonato ao derrotar uma das mais poderosas formações, o Queluz, por 74-69.

O Maia Basket não se conseguiu superiorizar ao Atlético, tendo sido, a par do Esgueira, a única equipa a perder em casa: 76-81 foi o resultado.

O Esgueira também perdeu, como já referido, em casa, com os actuais detentores do troféu, o Guimarães, por 67-79.

Para finalizar, destaque para o grande jogo entre o Sampaense e o Sangalhos, vencido pela formação de São Paio de Gramaços por 80-73. O Sangalhos esteve na frente durante grande parte do jogo e os americanos de ambas as formações foram preponderantes mas a Mancha Amarela e restante público foi essencial na primeira conquista do Sampaense esta época.

Fonte. Record
Foto: Federação Portuguesa de Basquetebol

Ovarense conquista Torneio dos Campeões

Outubro 14, 2007

Francisco Reis

Depois do histórico feito alcançado no Eurobasket, o basquetebol em Portugal voltou à acção. Esta semana, a Ovarense venceu a primeira prova do basquetebol profissional português, numa prova marcada pela ausência do Lusitânia, pois a Liga de Clubes de Basquetebol disse não ter os “documentos necessários à validação da inscrição”. Contudo, os responsáveis do clube açoriano já se disseram que contam com a presença da formação de Angra do Heroísmo na Liga Profissional.

Nas meias-finais, a Ovarense derrotou o Barreirense por 91-80. Cordell Henry e Élvis Évora, jogadores da equipa de Ovar, acabaram por ser os jogadores em maior evidência. O primeiro pelo maior número de pontos – 18 –; o segundo pelo tempo que esteve em jogo e pela supremacia nos ressaltos. No outro jogo, o que opôs os vice-campeões nacionais, FCPorto, ao Belenenses, acabou por ser a equipa lisboeta a vencer. O equilíbrio esteve sempre presente mas ao intervalo o Belenenses já ganhava por 53-47. No final, o marcador indicava 108-101 favorável à equipa de Luís Silveira. Os 19 pontos e 6 ressaltos de Paulo Cunha, melhor dragão em campo, acabaram por se verificar insuficientes perante os 24 pontos de Anderson Ferreira, os 20 de Diogo Carreira ou os 11 ressaltos de Jamie Kendrick.

b_ovagr.jpg

O terceiro lugar, esse, acabou por não escapar ao conjunto azul e branco que derrotou o Barreirense por 66-77. O destaque da equipa do Porto vai para Nuno Marçal, que fez 24 pontos. Já Shawn Hopes, com 18 pontos e 19 ressaltos (!), foi claramente o melhor elemento do Barreirense. A Arena Dolce Vita, palco de todos os jogos desta competição, presenciou uma reviravolta por parte dos pupilos de Alberto Babo. O Barreirense estava na liderança ao intervalo, 37-28. Todavia, o 3º período já fechava com um 47-56 para o Porto. Até final, a equipa do Porto manteve-se na liderança.

Por fim, a final, que foi dominada do princípio ao fim pelos bicampeões nacionais, Ovarense. No final da primeira parte, o jogo já parecia decidido: 45-29, vencia a Ovarense. As entradas de Cordell Henry e Nuno Cortez fizeram a diferença e empurraram os da casa para a vitória. Aliás, o português fez 7 pontos consecutivos que serviram de embalo para o triunfo. Os 9 ressaltos conseguidos por Élvis Évora foram também preponderantes.

Este foi um torneio de abertura da época que deixou água na boca a todos os amantes da modalidade em Portugal. A Ovarense é, uma vez mais, a principal favorita à vitória da Liga e provou ser a formação mais forte de Portugal.

Fonte e Foto: Liga dos Clubes de Basquetebol

Dívidas levam Queluz a optar pela Proliga

Setembro 29, 2007

queluz.jpg

O Queluz trocou a Liga Profissional de Basquetebol, competição organizada pela Liga dos Clubes de Basquetebol (LCB) –, pela ProLiga, competição organizada pela – Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB). O problema é que, segundo o presidente da LCB, Paulo Mamede, o clube não cumpriu os seus compromissos financeiros.

O Clube Atlético de Queluz passou os direitos desportivos ao Núcleo de Basquetebol Queluz Sintra Património Mundial, que se comprometeu a pagar as dívidas do Clube Atlético de Queluz. Tal não sucedeu.

As declarações de Paulo Mamede originaram uma profunda perplexidade e indignação no ex-jogador do Queluz Filipe Gomes. Segundo o antigo basquetebolista, o clube ficou a dever-lhe dois anos de salários e nenhuma carta enviada para as entidades competentes – nomeadamente a LCB – fez mover fosse o que fosse. Agora, perante a mudança do Queluz da LPB para a ProLiga, Paulo Mamede protestou e fez Filipe Gomes protestar ainda mais. O ex-atleta disse ao jornal Record: “A minha indignação é que durante este tempo todo esse senhor não se mostrou preocupado com as nossas dívidas e agora, só porque o Queluz vai para a ProLiga, lembrou-se que afinal há incumprimentos”, disse o ex-atleta ao jornal Record, sublinha que acha estranho que “só agora se tenha preocupado com esses incumprimentos”. Prosseguiu, dizendo que “na altura em que a Assembleia Geral da Liga aceitou que o clube mudasse de nome, Paulo Mamede concordou com o aparecimento de um documento onde o novo clube se comprometia a pagar as dívidas, mas ninguém fez nada. Como é que agora vem queixar-se que o Queluz saiu da Liga sem pagar a ninguém?”. Rematou, dizendo que “a Liga é que é uma competição ilegal. Na Proliga não ouvimos falar de ordenados em atraso”.

Francisco Reis